Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312046
Type: TESE
Title: Avaliação de variaveis ventilatorias segundo o manejo do ventilador pulmonar manual autoinflavel
Title Alternative: Evaluation of ventilatory parameters according to handing of self-inflating bag
Author: Bassani, Mariana Almada, 1981-
Advisor: Marba, Sérgio Tadeu Martins, 1958-
Abstract: Resumo: O objetivo deste estudo foi analisar variáveis ventilatórias - frequência ventilatória (FV), pressão de pico inspiratória (PIP), volume corrente (Vt), tempo inspiratório (Ti) e fluxo inspiratório (Vinsp) - durante o manejo do ventilador pulmonar manual autoinflável neonatal. Foi realizado um estudo experimental em que diferentes profissionais de saúde que trabalham na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal do CAISM/UNICAMP ventilaram manualmente um pulmão artificial (Biotek, VT-2) ajustado com complacência (0,003 l/ cmH2O) e resistência (200 cmH2O/l/min) de um recém-nascido a termo intubado. Foi utilizado um reanimador autoinflável modelo neonatal (JG Moriya), sem fonte de gás comprimido e sem reservatório. As variáveis ventilatórias estudadas foram analisadas em relação a cinco diferentes manuseios (10, 5, 4, 3 e 2 dedos), tamanho de mão (pequena, média, grande) e profissão do operador (médicos assistentes ou docentes, médicos residentes, fisioterapeutas, enfermeiros, técnicos de enfermagem). As variáveis ventilatórias também foram analisadas levando-se em consideração categorias de referência estabelecidas. Para análise estatística foram utilizadas tabelas de freqüência, medidas de tendência central e de dispersão para a descrição da amostra. Para avaliar as variáveis ventilatórias segundo o manuseio, tamanho de mão e profissão aplicou-se análise de variância para medidas repetidas, seguida dos testes perfil por contraste ou Tukey. Os testes de Friedman, Fisher e Quiquadrado foram aplicados para avaliar as variáveis ventilatórias categorizadas segundo o manuseio, tamanho de mão e profissão do operador. Foram incluídos 172 diferentes profissionais: 15 médicos assistentes/docentes, 28 médicos residentes, 43 fisioterapeutas, 30 enfermeiros e 56 técnicos de enfermagem. O modo de manuseio influenciou de maneira estatisticamente significativa Vinsp, PIP e Vt, cujos valores foram tanto maiores quanto maior o número de dedos utilizados para ventilar. Observou-se, também, para estas 3 variáveis, uma alta variabilidade dos valores obtidos. O tamanho de mão não afetou nenhuma das variáveis ventilatórias estudadas. Os valores de Vt, Ti e FV foram influenciados significativamente pela profissão. Em geral, observou-se que os fisioterapeutas geraram maiores valores de Vt e Ti e menores valores de FV do que os demais profissionais. Na comparação dos valores das variáveis ventilatórias obtidos em relação aos valores de referência, observamos pouca adequação dos valores das variáveis obtidas pelos profissionais, exceto para Vinsp, para o qual 84,9% dos voluntários forneceram valores adequados. Para PIP, Vt e Ti, a grande maioria dos voluntários gerou valores acima dos considerados adequados para reanimação neonatal. Em contrapartida, 49,4% dos voluntários geraram valores baixos de FV. O manuseio e o tamanho de mão não influenciaram a ampla inadequação dos valores fornecidos. No entanto, observamos influências significativas da profissão sobre Ti e FV em suas diferentes categorias. Concluímos que apenas Vinsp, PIP e Vt foram influenciados pelo manuseio de modo significativo. O tamanho de mão não influenciou nenhuma das variáveis estudadas. O Vt, Ti e FV foram afetados pela profissão. Houve pouca adequação dos valores gerados pelos profissionais para PIP, Vt, Ti e FV. O manuseio e tamanho de mão não afetaram a ampla inadequação da técnica, no entanto, a profissão influenciou o Ti e FV quando categorizados

Abstract: The main goal of this study was to evaluate how ventilator variables - inspiratory flow rate (IFR), peak inspiratory pressure (PIP), tidal volume (Vt), inspiratory time (Ti), and and ventilatory rate (VR) - may be affected by different ways of handling a neonatal selfinflating bag. This is an experimental study in which different health professionals who work at the Neonatal Intensive Care Unit of CAISM/UNICAMP ventilated an artificial lung (Biotek, VT-2) adjusted with airway resistance (200 cmH2O/l/min) and compliance (0,003 l/ cmH2O) compatible with physiologic values of an intubated term newborn (approximately 3 kg). It was used a neonatal self-inflating resuscitator (JG Moriya), with no reservoir bag or source of compressed gas. The ventilatory variables were assessed considering five different ways of handling (with 10, 5, 4, 3 and 2 fingers), operator's hand size (small, medium and large) and profession (faculty/assistant physicians, resident physicians, physiotherapists, nurses and nursing technicians). These variables were also assessed considering established reference categories. For the statistical analysis, frequency tables and measures of central tendency and dispersion were used to describe the studied sample. Analysis of variance for repeated measures, followed by contrast profile or Tukey's tests, was used to evaluate how different ways of handling, hand size and profession affect the ventilatory variables. Friedman's, Fisher's and Chi-square tests were used to analyze the categorized variables considering the different ways of handling and operator's hand size and profession. This study was conducted with 172 professionals: 15 faculty/assistant physicians, 28 physician residents, 43 physiotherapists, 30 nurses and 56 nursing technicians. Bag handling influenced significantly IRF, PIP and Vt values, which were the higher the greater the number of fingers used, and presented high variability. Hand size did not affect significantly any of the studied variables, whereas, profession influenced Vt, Ti and VR. In the general, physiotherapists delivered higher values of Vt and Ti, and lower values of VR than the other professional groups. When comparing variable values considering the reference values, it was observed poor adequacy of these values, except for VR, which was adequate in 84.9% of the cases. For PIP, Vt and Ti, the majority of volunteers delivered values considered excessive for neonatal resuscitation. On the other hand, 49.4% of the volunteers delivered low values for VR. Handling and hand size did not influence the overall poor adequacy of the delivered values, whereas profession significantly influenced Ti and VR values in their categories. We conclude that only IFR, PIP and Vt were significantly influenced by bag handling. Hand size did not affect any of the studied variables. Vt, Ti e FV were influenced by the operator's profession. There was poor adequacy for all values of PIP, Vt, Ti and VR. Bag handling and operator's hand size did not affect the overall poor adequacy, although profession influenced categorized Ti and FV
Subject: Ressuscitação cardiopulmonar
Respiração artificial
Recém-nascidos
Barotrauma
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2009
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Bassani_MarianaAlmada_M.pdf745.93 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.