Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311918
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Genotipagem e quantificação de citomegalovirus humano em hospedeiros imunocomprometidos
Author: Albuquerque, Dulcinéia Martins de
Advisor: Costa, Sandra Cecília Botelho, 1951-
Abstract: Resumo: O Citomegalovírus Humano (HCMV) é um dos mais importantes agentes infecciosos que acometem pacientes imunocomprometidos, causando significante morbidade e mortalidade nesse grupo. A detecção do genoma do HCMV pela PCR (Reação em cadeia da polimerase) é específica e sensível e pode servir como uma poderosa ferramenta para o diagnóstico precoce da infecção causada por esse vírus. Variações em regiões funcionalmente relevantes do genoma do HCMV têm sido usadas como marcadores' genéticos em numerosos estudos clínicos para diferenciar as linhagens e associá-las a pato gênese viral e manifestação clínica no paciente. As glicoproteínas do envelope do citomegalovírus são provavelmente essenciais para a entrada e disseminação viral nas células hospedeiras; são também imp9rtantes alvos da resposta imune humana que induz a formação de anticorpos de neutralização do vírus. A PCR, combinada com análise de restrição de regiões polimórficas de produtos amplificados (PCR-RFLP), é eficaz para identificação dos genotipos de HCMV, sendo possível a distinção de pelo menos 4 padrões eletroforéticos. Por outro lado, a determinação da carga viral em pacientes comprometidos imunologicamente, tem sido associada como marcador ou preditor para o desenvolvimento de doença órgão-específica pelo HCMV, sendo de fundamental importância para a monitorização da terapêutica. Além disso, o valor da carga viral está relacionado com o grupo de paciente e/ou tipo de transplante, pato gênese do HCMV e níveis de imunossupressão e pode indicar o inicio da terapia antiviral. Sabendo-se da importância da identificação das linhagens de HCMV em pacientes imunocomprometidos, sua possível relação com a infectividade e apresentação clínica, e a relevância da determinação da carga viral nos diversos grupos, este trabalho, avaliando diferentes populações imunologicamente comprometidas atendidas no HC-UNICAMP, teve como objetivos principais: determinar a prevalência dos genotipos de HCMV e avaliar uma possível associação do subtipo com IV o quadro clínico apresentado pelos diferentes grupos estudados; padronizar métodos de determinação da carga viral com a finalidade de avaliar a aplicabilidade no monitoramento da terapia antiviral e como valor preditivo de doença pelo HCMV. Para a genotipagem, 122 amostras clínicas (sangue e urina) de 104 pacientes foram avaliadas retrospectivamente. Os grupos de pacientes, infectados pelo HCMV, eram basicamente os seguintes: recém-nascidos com infecção congênita, transplantados de medula óssea, transplantados hepáticos e renais, e portadores do HIV. Os resultados foram analisados estatisticamente. Para a quantificação, foram avaliadas 2 metodologias: uma baseada no princípio de captura híbrida onde foram analisadas 93 amostras e a outra PCR diluição limitante, alguns exemplares foram avaliados, já que a qualidade do DNA é fundamental para o prosseguimento da metodologia. Como resultados, pudemos caracterizar em nosso grupo de pacientes, os 4 genotipos descritos em literatura. Observamos a maior prevalência do genotipo gB2, embora os subtipos gBI e gB3 estivessem bem representados. Dados estatísticos não comprovaram a associação de uma determinada linhagem do vírus com a gravidade da manifestação clínica, bem como um grupo específico de pacientes. As metodologias de quantificação avaliadas possuem alta sensibilidade e especificidade, compatíveis com a Antigenemia. A principal vantagem das metodologias em relação à essa última, é em relação ao processamento da amostra, que não necessita ser imediata à coleta pois não dependem da viabilidade do vírus. Enfim, acreditamos que a determinação da linhagem do HCMV e da carga viral sejam metodologias complementares e de fundamental importância no entendimento e monitoramento da infecção pelo HCMV em pacientes imunocomprometidos

Abstract: Human Cytomegalovirus (HCMV) is one of the most important infectious agents that attack immunocompromised patients causing significant morbidity and mortality in this group. The detection of the HCMV genome by the PCR (polymerase Chain Reaction) is specific and sensitive; and it can be used as a powerful tool for the early diagnoses of the infection caused by this virus. Variations in functionally relevant areas of the HCMV genome have been used as genetic markers in numerous clinical studies to differentiate the strains and to associate them with the viral pathogenesis and the clinical manifestation in the patient. The glycoproteins of the envelope of the human cytomegalovirus are probably essential to the entrance and the viral dissemination in the host cells; they are also important targets of the human immune response that induce the formation of the antibodies of the virus neutrality. The PCR, combined with the analysis of restriction of the polymorphic areas of the amplified products (PCR-RFLP), is elective for the identification of the HCMV genotypes, becoming possible the distinction ofat least 4 (four) electrophoretic pattems. On the other hand, the determination of the viralload in patients immunologically atlected has been associated as marker or predictor for the development of the organ specific disease by the HCMV, being of fundamental importance to the management of the therapy. Besides, the value of the viral load is related to the group of patients and/or the type of transplant, the pathogenesis of the HCMV, and the levels of the immune-suppression; and it can indicate the beginning of the antiviral therapy. Knowing the importance of the identification of the strains of the HCMV in immunocompromised patients, its possible relation with the infection and clinical presentation, and the relevance of the determination of the viral load in several groups, this study, evaluating different immunocompromised people followed at HC-UNICAMP, had as main targets: to determine the prevalence of the HCMV genotypes and evaluate a possible association of the subtype with the clinical table presented by different groups studied; standardize determination methods of the viral load with the finality of evaluating the applicability in the management of the antiviral therapy, and as predictable value of the disease by the HCMV. A hundred and twenty-two (122) clinical samples (blood and urine) of 104 patients were evaluated retrospectively to the genotipage. The groups of HCMV infected patients were basically the following: newborn children with congenital infection, bone marrow transplanted patients, hepatic and renal transplanted patients, and HIV infected individuals. The results were statistically analyzed. Two methodologies were evaluated for the quantification: one based on the principle of the hybrid capture, where 93 samples were analyzed; and another one on the PCR limiting dilution, where some exemplars were. evaluated, since the quality of the DNA is fundamental to the continuation of the methodology. We could characterize, in our group of patients, the four genotypes described in literature as results. We observed the largest prevalence of the gB2 genotype, although the gB 1 and gB3 genotypes were well represented. Statistical data did not prove the association of a determined strain of the virus with the sevevity of the clinical manifestation, as well as a specific group of patients. The methodologies of quantification evaluated have high sensitivity and specificity, compatible with the Antigenemia. The main advantage of the methodologies regarding the former one is in relation to the processing of the sample that does not need to be just after the collection because it does not depend on the viability of the virus. inally, we believe that the determination of the HCMV strain and viral load are complementary methodologies and of fundamental importance for the understanding and management of the HCMV infection in immunocompromised patients.
Subject: Vírus
Reação em cadeia da polimerase
Transplante de rim - Infecção
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2000
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Albuquerque_DulcineiaMartinsde_M.pdf5.34 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.