Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311880
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Saúde mental na atenção básica = as relações entre a subjetividade e o território
Title Alternative: Mental health in basic attention : the relatioship between subjectivity and territory
Author: Gama, Carlos Alberto Pegolo da
Advisor: Campos, Rosana Onocko, 1962-
Abstract: Resumo: O presente estudo tem como objetivo investigar quais as concepções que os profissionais da atenção básica têm a respeito da relação entre saúde mental e território e do processo de implantação da saúde de mental no território. Este processo é bastante complexo e inclui as concepções sobre o que significa saúde mental na atenção básica, o que é um problema de saúde mental, como se configura a demanda de saúde mental, como deve ser atendida e qual o objetivo deste atendimento. Primeiramente realizamos uma pesquisa bibliográfica sobre a saúde mental na atenção básica, em seguida apresentamos algumas concepções a respeito do conceito de território e introduzimos alguns conceitos psicanalíticos relacionados à constituição psíquica do sujeito e ao desamparo. Partimos do pressuposto que o território tem a função de suporte da subjetividade. A coleta de dados foi realizada através de seis grupos focais com trabalhadores da Atenção Básica da rede de saúde da cidade de Campinas. Estes grupos foram áudio-gravados, transcritos e organizados utilizando o referencial da hermenêutica-crítica. Do trabalho de análise dos dados emergiram três categorias: O conhecimento dos trabalhadores a respeito da população, Subjetividade e precariedade do social - demanda da saúde mental e As respostas ao sofrimento psíquico. Constatou-se que a Estratégia de Saúde da Família por privilegiar o território propicia uma maior vinculação e abre novas possibilidades de intervenção, no entanto provoca também uma série de resistências. Os trabalhadores reconhecem a ligação entre a demanda de saúde mental e a vulnerabilidade social e desenvolvem algumas práticas e dispositivos para lidar com a questão. Reconhecem o uso excessivo da medicação como resposta ao sofrimento e ao desamparo, mas ao mesmo tempo constatam-se novos olhares sobre o sofrimento mental, novos dispositivos de intervenção e a construção de lugares no social que propiciam a elaboração e tratamento do sofrimento mental. O matriciamento aparece como um dispositivo com potência para auxiliar no avanço das discussões e implantação da saúde mental na atenção primária, no entanto sua implantação ainda é inicial

Abstract: This study aims to investigate what conceptions the basic health attention professionals have about the relationship between mental health and territory and about the deployment process of mental health within the territory. This process is very complex and includes notions about what means mental health in basic attention, what a mental health problem is, how to configure the demand for mental health, how it should be attended and what is the purpose of this attendance. First we perfomed a bibliography research about mental health in basic attention, then present some conceptions about the concept of territory and introduce some psychoanalytic concepts related to psychical constitution and helplessness. We assume that the territory has the support role of subjectivity. Data collection was performed by six focal groups with professionals of the Basic Attention network health of the city of Campinas. These groups were audio-recorded, transcribed and organized using the reference of the critical hermeneutics. From the work of analyzing the data emerged three categories: Workers knowledge about the population, Subjectivity and social precariousness - mental health demand and Psychological pain responses. It was found that the Family Health Strategy of privileging the territory propitiates a greater linking and opens new possibilities for intervention, however it also provokes a series of resistances. Workers recognize the link between the demand for mental health and social vulnerability and develop some practices and devices to deal with the issue. They recognize the excessive use of medication in response to suffering and helplessness, but at the same time appear new perspectives on mental suffering, new devices for intervention and the social construction of places that propitiate the development and treatment of mental suffering. The matrix appears as a powerful device to assist in advancing the discussion and implementation of mental health in primary care, however its implementation is still incipient
Subject: Saúde mental
Atenção basica á saude
Estratégia Saúde da Família
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2011
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Gama_CarlosAlbertoPegoloda_D.pdf1.53 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.