Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311860
Type: TESE
Title: O desenvolvimento cognitivo e a aquisição do conceito de morte em crianças de diferentes condições socio-experienciais
Author: Torres, Wilma da Costa
Advisor: Cassorla, Roosevelt Moises Smeke, 1945-
Abstract: Resumo: Este estudo tem por objetivos: investigar a relação entre o desenvolvimento cognitivo e a aquisição do conceito de morte em crianças de condições sócio-experienciais de carência sócio-econômica e de marginalidade~ e comparar a evolução do conceito de morte entre crianças de condições sócio-experienciais de carência sócio-econômica, de marginalidade e de nível sócio-econômico médio/alto com o mesmo nível cognitivo. A revisão da literatura inclui as bases teóricas e os achados empíricos em duas áreas: desenvolvimento do conceito de morte~ e desenvolvimento cognitivo e privação sócio econômica e cultural. Para a avaliação do conceito de morte utilizou-se o Instrumento de Sondagem do Conceito de Morte (TORRES, 1979) que investiga três dimensões - extensão, significado e duração - do conceito de morte biológica. Para a avaliação do nível de desenvolvimento cognitivo tarefas em moldes piagetianos foram empregadas. A amostra total constitui-se de 532 crianças distribuídas entre as três subamostras: 183 de nível sócio-econômico médio/alto, 146 em condição de carência sócio-econômica e 203 em condição de marginalidade. Para testar a relação entre desenvolvimento cognitivo e conceito de morte de crianças em condições de carência sócio-econômica e de marginalidade e para comparar o conceito de morte entre crianças de diferentes condições sócio-experienciais com o mesmo nível cognitivo foram empregadas análises da variância multivariada quando o conceito era considerado globalmente e análises da variância simples quando cada uma das dimensões era considerada isoladamente. As respostas das crianças das subamostras de carência sócio-econômica e de marginalidade ao Instrumento de Sondagem do Conceito de Morte foram também qualitativamente avaliadas e comparadas com as das crianças de nível sócio-econômico médio/alto, analisadas em estudo precedente (TORRES, 1979), a fim de obter informações sobre as respostas típicas das crianças de cada nível cognitivo em cada uma das condições sócio-experienciais. Os resultados da avaliação do nível cognitivo revelaram que crianças em condições de carência sócio-econômica e de marginalidade apresentam uma defasagem cognitiva em relação às crianças de nível sócio-econômico médio/alto. Em relação à evolução do conceito de morte os resultados confirmaram uma relação entre desenvolvimento cognitivo e conceito de morte em crianças de condições sócio experienciais de carência sócio-econômica e de marginalidade, reforçando os achados do estudo precedente (TORRES, 1979) com crianças de nível sócio-econômico médio/alto. Os resultados da comparação do conceito de morte de crianças de diferentes condições sócio-experienciais com o mesmo nível cognitivo e mesma faixa etária revelaram diferenças significativas entre as três subamostras. Da mesma forma, a avaliação qualitativa das respostas das crianças ao Instrumento de Sondagem do Conceito de Morte apontou para diferenças quanto ao conteúdo das mesmas. Com base nos resultados obtidos concluiu-se que crianças em condições de carência sócio-econômica e de marginalidade quando comparadas com seus pares de nível sócio econômico médio/alto apresentam uma inadequação do conceito de morte que, associada à defasagem cognitiva e às próprias condições sócio-experienciais, pode concorrer para reduzir o leque de modalidades adaptativas e ser um dos fatores determinantes da opção pela violência destas crianças. Sugestões são feitas no sentido de uma ação educativa que possibilite às crianças em condições de carência sócio-econômica e de marginalidade alcançar um instrumental cognitivo que lhes permita pensar sua realidade a fim de poder superá-la

Abstract: The present study has two main objectives: to investigate the relationship between the cognitive development and the acquisition of the concept of death in children with social-experienced conditions of social economic needs and marginality; and to compare the evolution of the concept of death among these children and those of medium-high social economic class with the same cognition level. The literature revised includes the theoretical basis and the empirical discoveries in the two principal areas: the development of the concept of death; and the cognitive development and social-economic depriving. The Instrument for Death Concept Survey (TORRES,1979) was used to evaluate the concept of death. It allows the investigation of the concept of biological death in three different dimensions - extension, meaning, and duration. To evaluate the level of cognitive development, several Piagetian tasks were employed. The total sample included 532 children divided into three different sub-groups: 183 children of medium/high social-economic class; 146 with social-economic needs; and 203 in margimility conditions. Multivariate analysis of variance were used to test the relationships between cognitive development and the concept of death in children with social-experienced .conditions of social-economic needs and marginality and also to compare the concept of death in children of different social-experienced conditions, with the same level of cognitive development. One-way analysis of variance were used when each of the dimensions of the concept of death were considered separately. The answers of the children of the social-economic needs and marginality sub-groups to the Instrument for Dea1th Concept Survey were also qualitatively evaluated and compared to those of the children of the medium/high social-economic class, already analysed in a previous study (TORRES,1979), in order to get information about the typical answers of children of each cognitive level in each of the social-experienced conditions. The results of the evaluation of the cognitive level showed that children with social-economic needs and marginality conditions have a cognitive gap in comparison to those in the medium-high social-economic class. As far as the evolution of the concept of death is concemed, the results confirmed the relationship between cognitive development and death concept in children of the social-experienced social economic needs and marginality group. These results confirm the findings of a previous study (TORRES,1979) carried on with children of medium-high social economic class. The results of the comparison of death concept among children of diverse social experienced conditions, with the same cognitive level and the same age range, revealed significant differences among the three sub groups sampled. Also the qualitative evaluation of the answers to the Instrument for Death Concept Survey, revealed differences in its contents. Based on the results obtained, it was concluded that children with social-economic needs and marginality conditions, when compared to their peers of mediumlhigh social economic class, present a death concept inadequateness that, in association with the cognitive gap and with their own social-experienced conditions, may concur to reduce the adaptation modes range, and, consequently, turn to be one of the determining factors of the option for violence by these children. Suggestions are made towards an education action that enables the children with social-economic needs and marginality condition become cognitively able to think about their own reality in order to overcome it
Subject: Mortalidade infantil
Conceitos
Cognição
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1996
Appears in Collections:FCM - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Torres_WilmadaCosta_D.pdf7.31 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.