Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311790
Type: TESE DIGITAL
Title: Percepções e condutas do cotidiano laboral sob a ótica dos trabalhadores reabilitados profissionalmente
Title Alternative: Percepcions and condut from work everyday from the perspective of workers rehabilitation
Author: Bastos, Ailine dos Santos, 1983-
Advisor: Montilha, Rita de Cássia Ietto, 1965-
Abstract: Resumo: A inclusão social de um trabalhador não se resume à ação de conferir-lhe nova função laboral ou de mantê-lo empregado. A inclusão é um processo social envolvendo não somente a fase de reabilitação profissional, mas o tempo subsequente ao término desta, na qual ocorrem processos de integração ao grupo de trabalho, de aprendizagem da nova atividade, de adequação de sua rotina diária. Os programas de reabilitação profissional não garantem a inclusão dos trabalhadores reabilitados. A reabilitação profissional, tal como se acostuma apresentar, acaba por ser uma medida demagoga, pois intercede em casos individuais dentro das empresas, mas não age nos fatores determinantes do adoecimento, na prevenção e promoção de saúde aos trabalhadores. Embora realocados, os trabalhadores reabilitados permanecem na mesma organização patológica do trabalho. Hipotetizou-se que os trabalhadores reabilitados estivessem insatisfeitos com seu processo de reabilitação profissional. Os poucos casos em que se obteve informações após o processo de reabilitação profissional, traziam aspectos de descontentamento do e/ou no trabalho. Diante da problemática, essa pesquisa objetivou caracterizar trabalhadores reabilitados, verificar suas percepções e condutas a respeito do seu cotidiano de trabalho após serem reabilitados. Realizou-se levantamento descritivo e transversal associado à pesquisa documental. Elaborou-se um instrumento de identificação e acompanhamento de trabalhadores reabilitados. No que se refere às características de trabalhadores, procedeu-se levantamento nos prontuários ocupacionais de trabalhadores reabilitados de 2007 à 2011 em uma empresa pública municipal do interior paulista. Para obtenção de dados referentes às percepções e condutas de trabalhadores reabilitados no programa, utilizou-se questionário auto aplicável. O questionário auto aplicável foi desenvolvido pela pesquisadora, após estudo exploratório e pré-teste. Tratou-se de um instrumento de identificação e acompanhamento de trabalhadores reabilitados. Os sujeitos que participaram da etapa de construção do questionário foram desconsiderados na aplicação do mesmo. Para a análise dos dados levantados dos prontuários e questionários foi elaborado um banco de dados no programa Excel 2013. Procedeu-se a análise estatística. Foram reabilitados neste período 70 trabalhadores, nos quais 51 responderam o questionário autoaplicável. Dos 70 trabalhadores reabilitados, houve predomínio do gênero feminino, com ensino médio completo. Apresentaram, em média, idade de 47 anos e 13 anos de exercício profissional. A maioria dos trabalhadores reabilitados eram oriundos da Secretaria de Educação: monitores de escolas infantis, professores de ensino infantil e fundamental. As principais causas de adoecimento foram as doenças do sistema osteomuscular. No que se refere às percepções, os trabalhadores da amostra consideraram o atual cotidiano de trabalho menos exigente, cansativo e corrido. Referiram que o cotidiano após a RP traz mais facilidades e/ou vantagens do que dificuldades e/ou prejuízos. Embora alguns trabalhadores continuem a sentir dores, avaliaram positivamente o fato de terem sido reabilitados profissionalmente. Perceberam melhora de saúde, relacionando-a com a reabilitação profissional. Em relação às condutas adotadas pelos trabalhadores da amostra, a minoria mudou de função, local de trabalho ou saíram de licença médica após a reabilitação profissional. As mudanças destacadas foram: maior respeito às limitações de saúde e o aumento da motivação para o trabalho. A hipótese levantada foi refutada

Abstract: Social inclusion of a worker is not just the action of giving it new labor function or keep you employed. Inclusion is a social process involving not only the vocational rehabilitation phase, but the subsequent time at the end of this, in which integration processes occur to the working group of the new learning activity, adequacy of your daily routine. Vocational rehabilitation programs do not guarantee the inclusion of rehabilitated workers. The vocational rehabilitation, as accustomed present, ends up being a demagogue measure because intercede in individual cases within companies, but does not act on the determinants of illness factors, prevention and health promotion workers. Although relocated, rehabilitated workers remain in the same pathological organization of work. It was hypothesized that the rehabilitated workers were dissatisfied with their vocational rehabilitation process. The few cases where information was obtained after the vocational rehabilitation process, brought discontent aspects of and / or at work. Regarding the problem, this research aimed to characterize rehabilitated workers, verify their perceptions and behaviors about their daily work after being rehabilitated. This is a descriptive, cross-sectional survey associated with documentary research. It prepared an identification instrument and accompanying rehabilitated workers. With regard to the characteristics of workers, proceeded to survey the rehabilitated occupational workers charts from 2007 to 2011 in a public company in São Paulo. To obtain data on perceptions and behaviors of workers rehabilitated in the program, we used questionnaire self applicable. The self administered questionnaire was developed by the researcher, after exploratory study and pre-test. This was an identification instrument and accompanying rehabilitated workers. The subjects who participated in the construction of the questionnaire stage were disregarded in applying the same. For the analysis of data collected from medical records and questionnaires we designed a database in Excel 2013 program proceeded to statistical analysis. They were rehabilitated in this period 70 employees, in which 51 answered the self-administered questionnaire. 70 rehabilitated workers, there was a predominance of females, with completed high school. They showed an average age of 47 years and 13 years of professional practice. Most rehabilitated workers were from the Department of Education: monitors children's schools, kindergarten and elementary school teachers. The leading causes of illness were the musculoskeletal system diseases. With regard to perceptions, the workers of the sample considered the current less demanding daily work, tiring and run. Said it everyday after RP brings more features and / or advantages than difficulties and / or loss. Although some workers continue to experience pain, positively assessed the fact that they have been rehabilitated professionally. Perceived health improvement, linking it to the vocational rehabilitation. Regarding the conduct adopted by the sample workers, the minority changed function, workplace or left on medical leave after vocational rehabilitation. The changes highlighted were: greater respect to the limitations of health and increased motivation to work. The hypothesis was refuted
Subject: Readaptação ao emprego
Saúde do trabalhador
Ambiente de trabalho
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FCM - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Bastos_AilinedosSantos_M.pdf1.6 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.