Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311626
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Adesão medicamentosa em aids : interferencia de variaveis sociodemograficas, psicossociais e psicopatologicas
Author: Dias, Marcelo Kimati
Advisor: Dalgalarrondo, Paulo, 1960-
Abstract: Resumo: Introdução- Adesão medicamentosa a antirretrovirais é comprovadamente um dos aspectos mais importantes no tratamento para Aids e define o sucesso ou não das intervenções médicas frente a esta doença. Ainda que haja um grande investimento no setor público para proporcionar fornecimento universal de drogas antirretrovirais, existem poucos estudos sobre adesão no país. Objetivos do estudo- l)Verificar a porcentagem de pacientes que fazem uso adequado (que permitem supressão viral) de medicações no tratamento de Aids. 2)Avaliação de variáveis sociodemográficas, psicossociais e psicopatológicas que interferem na adesão medicamentosa de pacientes em tratamento com antirretrovirais. Método- Foram entrevistados 78 pacientes de ambulatório com sorologia positiva para mv em uso de antirretrovirais no ambulatório geral de Moléstias Infecciosas, no Hospital das Clinicas na UNICAMP. As entrevistas utilizaram um protocolo no qual constavam contidos: 1) dados sóciodemográficos, 2) perguntas sobre sigilo relacionado à doença e ao tratamento, 3) questões sobre motivação para o tratar-se, confiança no médico e no tratamento 4) HADS e o teste de Kent 5) dados complementares sobre o tratamento presentes no prontuário do-paciente. A-avaliaçãode adesão-foi feita a partir da razão entre o número de comprimidos tomados pelo paciente na última semana e o número de comprimidos prescritos no mesmo período. Foi criado um banco de dados informatizado e a análise estatística foi realizada pelo SPSS for Windows. Resultados- Pacientes do sexo feminino apresentam pior adesão medicamentosa, da mesma forma que pacientes pentecostais. Pacientes do sexo feminino apresentam mais sintomas depressivos que os masculinos. Pacientes que queixam-se de apresentarem mais efeitos colaterais apresentam pior adesão medicamentosa. Pacientes com pior adesão medicamentosa apresentam menor motivação no tratamento e menor crença no que é dito pelo médico durante a consulta. A análise multivariada verificou como variável mais relevante para baixa adesão o gênero feminino, seguida pela presença de efeitos colaterais, pouca crença na medicação e falta às consultas. Discussão- Os dados são sugestivos da importância da confiança em orientações médicas e de uma visão pragmática dos objetivos do tratamento. Motivação para tratar-se foi influenciado tanto pela menor presença de sintomas depressivos quanto por aspectos relacionados à relação médico-paciente

Abstract: lntroduction- Adherence to HAAD is one of most important aspects associated to success of Aids/HIV treatment. Some data suggests some particularities in Brazilian and South American epidemic both in the dynamics of disease distribution and population use of health services. Objectives- This study tests if some demographic, psychosocial and psychiatric variables are involved in non-adherence to HAAD in a Brazilian sample. Method- 78 HIV randomized serum positive outpatients in use of HAAD were interviewed. These patients were in regular treatment at an University outpatient clinic in Campinas, Brazil. The interview included socio demographic data, questions about motivation for treatment, trust in medical discourse and diagnosis and patients' reserve about disease. Adherence was measured dividing the number of pills which patients related they'd taken during the week before interview by the number of pills prescribed registered in the medical file. Results- Female patients had worse adherence to HAAD than male patients did (p= 0,001). Female patients have more depressive symptoms (measured with HADS) than male patients (p=0,04). Non-adherent patients were less motivated (p=O,OO1) than adherent ones. Non-adherent patients also have a less realistic perspective of treatment objectives and doubts about medical discourse and diagnosis. There were no associations between compliance and alcohol or illicit drugs consumption in this sample. Depressive and anxiety symptoms measure by HADS were associated to less motivation for treatment. Discussion- these data suggest that confidence in medical orientations and a pragmatic vision of objectives of treatment may be key factors for good adherence in Aids/HIV treatment. Treatment motivation was influenced both by depressive symptoms and medical-patient relationshi
Subject: Adesão
Médico e paciente
AIDS (Doença)
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2002
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Dias_MarceloKimati_M.pdf22.89 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.