Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311624
Type: TESE
Title: Avaliação de custos do tratamento hospitalar da esquizofrenia : um estudo retrospectivo
Author: Lima, Manuela Garcia
Advisor: Dalgalarrondo, Paulo, 1960-
Abstract: Resumo: A esquizotrenía é provavelmente o transtorno mental de mais elevado custo. Atinge cerca de 1 % da população, acomete adultos jovens e 50% a 60% dos pacientes apresentam um curso crôníco e limitante. Os custos da esquizotrenía para a sociedade podem ser divididos em direto (custos de tratamento) e indireto (perda de produtividade). Objetivos: estimar os custos diretos da internação psiquiátrica de pacientes esquizotrêmcos em surto agudo, com ênfase sobre os custos do tratamento farmacológico, e compará-Ios com pacientes portadores de transtorno afetivo bipolar em episódio de mania e também comparar o perfil sócio-demográfico desses dois grupos. Método: utilizou-se o método de capital humano baseado na abordagem de prevalência para a avaliação dos custos diretos do tratamento dos pacientes internados no Serviço de Saúde Df. Cândido Ferreira (Campinas, SP). Resultados: foram avaliados 132 esquizotrênícos (70% homens) e 51 maníacos (47% homens), internados no ano de 1995, com médias de idade de 37 e 39 anos, respectivamente. Houve predominância de solteiros e desempregados no grupo da esquizotrenía (p<0,005). A média de duração da doença foi 12,4 anos para a esquizotrenía e'12,8 anos para a mama (p>O,05). A du,ração média da internação foi 41 dias para a esquizotreníae 28 dias para a mama (p<0,025). O número de internações anteriores foi, em média, 11 e 7 para a esquizotrenía e mama, respectivamente. A remissão completa dos sintomas foi 11 % nos esquizotrênícos e 53% nos maníacos (p<0,005). A média.. por paciente do custo total do tratamento medicamentoso foi R$30,OO. para os esquizotrênícos e R$24,00 para os maníacos e R$0,70 e R$0,80 o custo por dia por paciente. O custo da internação, para o hospital do estudo, foi R$1.974,00 para os esquizotrênícos e R$1.348,OO para os maníacos e o custo para o governo federal foi, respectivamente, R$756,86 e R$516,88; o que corresponde a 1,5% e 1,8% para o primeiro e 4%e 4,6% para o SUS o valor do tratamento medicamentoso em função do custo com a internação. Conclusões: os pacientes esquizofTênicos apresentam um transtorno mental mais grave no que diz respeito ao desempenho social e risco de reinternaçães. Com uma maior duração da internação há um aumento do custo tanto para o tratamento farmacológico como para a internação. Embora o tratamento farmacológico eficaz seja um ponto crucial na prevenção de recaídas, o custo dos medicamentos é apenas uma pequena parcela do montante que é gasto no tratamento da esquizofTenia. Por isso análises de custo-beneficio devem visar novas estratégias no tratamento da esquizofTenia que não seja a internação

Abstract: Schizophrenia is by far the most costly mental illness to be treated. It affects 1% of the population, has a chronic course, and between 50% to 60% of the patients display oniy partial remission or no remission at alI. Thus the economic burden is considerable. The costs of schizophrenia to society can be divided into direct (treatment costs) and indirect costs (lost of productivity). Objectives: to estimate the direct cost treatment of schizophrenic inpatients, in particular pharmacological treatment and compare it with affective disorder patients in manic episodes, also to compare these patient' s sociodemographic profiles. Method: the human capital method based on the prevalence approach was used to evaluate costs. Results: There were 132 schizophrenics (70% men) and 51 manics (47% men) hospitalized in 1995, with a mean age 37 and 39 years, respectively. Single and unemployed status predominated in the schizophrenic group (p<0,005). The mean length ofillness was 12,4 years for schizophrenics and 12,8 years for manics. The mean length of hospital stay was 41 days for schizophrenics and 28 days for manics (p<0,025). The mean prior rehospitalization was 11 and 7 for schizophrenics and manics, respectively. Complete symptoms remission occurred in 11% schizophrenics and 53% manics (p<0,005). The meaÍl total cost of pharmacological treatment per patient was R$30,00 and R$24,00; R$0,70 and R$0,80 the average day cost per eaçh schizophrenic and manic patient, respectively. Hospital cost was R$1.974,00 for schizophrenics and R$1348,00 for manics and hospital cost for federal govemment was R$756,00 and R$516,00; which correspond to 1,5%,hand 1,8% for the first and 4% and 4,6% for the later concemed to drug' treatment in relation to hospital cost. Conclusions: schizophrenics as compared to manics have a more severe disorder in respect to social impairment and are at higher risk for rehospitalization. They have a much longer length of 8 hospital stay which increases phannacological and hospital treatment COSts. LlI u~ treatment cost represents on1y a small percentage of the total cost of schizophrenia treatment. Hence, cost-benefit studies should bear in mind other strategies for the treatment of schizophrenia than hospitalization
Subject: Esquizofrenia
Assistencia medica - Custos
Cuidados médicos - Custos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1997
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Lima_ManuelaGarcia_M.pdf1.7 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.