Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311592
Type: TESE
Title: Influencia estrogenica na integração do enxerto de tecido adiposo autologo periuretral : estudo experimental em coelhas
Author: Riccetto, Cássio Luís Zanettini
Advisor: Palma, Paulo César Rodrigues, 1953-
Abstract: Resumo: A insuficiência esfincteriana intrínseca da uretra é uma das causas freqüentes de incontinência urinária de esforço na mulher, sobretudo no período pós-menopausa. As opções de tratamento desta condição incluem os "slings", os esfincteres artificiais e as injeções periuretrais. No desenvolvimento do material ideal para a injeção periuretral, foram propostos, entre outros, a pasta de teflon, o colágeno bovino purificado, os balões de silicone e o tecido adiposo autólogo. Como vantagens sobre os demais, este último apresenta: facilidade de obtenção, biocompatibilidade e baixo custo. No entanto, a absorção de parte do tecido adiposo injetado continua representando um problema, que implica na realização de injeções repetidas para aumentar a possibilidade de se alcançar o resultado desejado. A influência do estrógeno sobre o trato urinário feminino foi bem estabelecida na literatura, particularmente sua ação no trofismo uretral e no suprimento sangüíneo aos vasos do trígono e da submucosa uretral. O presente estudo experimental foi desenvolvido com base nestas evidências, para verificar a influência da hipoestrogenia (induzi da artificialmente através de ooforectomia bilateral) sobre os aspectos anatomopatológicos e histométricos do enxerto de tecido adiposo autólogo periuretral. O conhecimento deste fenômeno pode ser útil para determinar a aplicabilidade clínica da reposição estrogênica previamente à lipoinjeção periuretral. A lipoinjeção periuretral foi realizada em dois grupos de 14 coelhas (cada um) albinas adultas e isogênicas (peso médio de 3,85 quilogramas). Após 120 di~ de observação, os animais foram sacrificados para o estudo dos aspectos anatomopatológicos e histométricos do enxerto de tecido adiposo. Em um dos grupos (denominado grupo 1) realizou-se a ooforectomia bilateral 120 dias antes da lipoinjeção periuretral. A análise microscópica avaliou de forma qualitativa a presença de: exsudato inflamatório linfomonocitário e granulomatoso, áreas de fibrose cicatricial, acúmulos de gordura extracelular e septos conjuntivos no interior do enxerto. Os resultados obtidos nos dois grupos foram comparados através do teste de Mann- Whitney. Por meio de técnicas histométricas, os dois grupos foram analisados de forma comparativa, tomando por parâmetros a trimédia das áreas dos adipócitos e a densidade dessas células (número de adipócitos por 104 !J.m2) em uma amostra do enxerto de cada animal. Os mesmos parâmetros mbém foram estudados em amostras do tecido adiposo pélvico que serviu de sítio doador, a fim de permitir, em cada animal, a análise da evolução do tecido enxertado. Foi empregado o teste de Wilcoxon pareado nas comparações realizadas entre o enxerto de tecido adiposo e o respectivo tecido adiposo pélvico de um mesmo animal. Para as comparações entre os dois grupos foi utilizado o teste de Mann-Whitney. Em todos os testes foi fixado em 5 % o nível de rejeição da hipótese de nulidade. Não foram encontradas diferenças macroscópicas significantes nos enxertos de tecido adiposo entre os grupos. Também não foram verificadas diferenças significativas, entre os grupos, na freqüência de todos parâmetros microscópicos estudados. Foram verificados focos de infiltrado inflamatório linfomonocitário (p=O,228), acúmulos de gordura extracelular (p=O,432) e septos conjuntivos no interior dos enxertos (p=O,694) na maior parte dos animais, em ambos os grupos. Em todos animais foi observada reação granulomatosa do tipo corpo estranho, com fagocitose de parte da gordura injetada (p=O,455), enquanto áreas de fibrose cicatricial foram menos frequentes e, em geral, de leve a moderada intensidade (p=O,545). Na análise histométrica dos enxertos de tecido adiposo não foram encontradas diferenças significativas na distribuição das trimédias das áreas celulares dos adipócitos (p=O,696) e na densidade de adipócitos (p=O,183) entre os dois grupos estudados. Os resultados permitiram concluir que a ooforectomia não determinou diferenças significantes na vitalidade do enxerto de tecido adiposo autólogo periuretral em coelhas, de acordo com os parâmetros anatomopatológicos e histométricos estudados. Isto permite inferir que a terapia de reposição estrogênica neoadjuvante não causaria benefícios significativos na integração deste tipo de enxerto

Abstract: Intrinsic sphincteric insufficiency is a common cause of urinary stress incontinence in women, especially during the post-menopausal period or when these have been previous surgi cal attempts to correct incontinence. The treatment for this problem includes "slings", artificial sphincters and periurethral injections. In the search for an ideal bulk-enhancing material, several clinical trials have tested the use of teflon paste, highly purified cross-linked bovine collagen, silicon balloons and autologous fatty tissue. Fatty tissue has several advantages, including it is ready availability and biocompatibility. However, the absorption of part of the injected fat is a problem that still has to be solved. The effect of estrogen on the female lower urinary tract, especially its action on the blood supply to submucosal vessels of the trigone and urethral submucosa, is well known. In this study we examined the effect of hypoestrogenism induced through bilateral oophorectomy, on the histopathological and histometric aspects of periurethral grafting with autologous adipose tissue. Such information may be useful fOF establishing the clinical applicability of estrogen reposition prior to periurethrallipoinjection. The study was done in two groups of 14 female isogenic New Zealand rabbits (mean body weight 3,8 kg) in which fatty tissue was injected in the bladder neck and proximal urethra. AlI the animaIs were observed for 120 days and then sacrificed for histopathological and histometric analysis of the adipose tis sue graft. One of the groups (group 1) underwent bilateral oophorectomy 120 days before the lipoinjection. The injected fatty tissue acquired an elliptical shape in all grafts, with no significant macroscopic differences between the groups. Histopathological analysis showed no significant differences between the groups, with both showing a chronic lymphomonocytic inflammatory response and the accumulation of free extracellular fat in most of the animals. AlI grafts developed a chronic granulomatous inflammatory response and a mild to moderate fibroblast reaction inside the grafts. Comparison of the histopathological findings of the two groups by the Mann-Whitney test showed that there were no significant differences between them. Histometric evaluation included the tri-median of the adipocyte areas and the density of these celIs (number of adipocytes per 1 04 ~m2) in a graft sample from each rabbit. The progress of the grafted tissue in each rabbit was assessed using the same parameters calculated for pelvic adipose tissue samples from the donor site. The Wilcoxon test was used to compare the adipose tissue of the graft and the respective adipose pelvic tissue of the same animal. The Mann-Whitney test was used to compare the two groups. The rejection leveI for the nulI hypothesis was fixed at 5% for alI tests. Histometric analysis of the adipose tissue grafts in the two groups showed no significant differences in the distribution of the adipocyte celIular areas (p=O,696) or in the density ofthe adipocytes (p=O,183). These results indicate that oophorectomy did not affect the outcome of the autologous adipose tissue graft integration. They also suggest that neoadjuvant estrogen replacement therapy has no benefits on the late outcome of autologous adipose tissue grafts
Subject: Estrógenos
Menopausa
Incontinência urinária
Aparelho urinario - Tratamento
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2000
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Riccetto_CassioLuisZanettini_D.pdf6.07 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.