Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311476
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Intervenção ergonomica em uma industria quimica
Title Alternative: Ergonomic intervention at a chemical factory
Author: Miguez, Symone Antunes
Advisor: Alexandre, Neusa Maria Costa, 1954-
Abstract: Resumo: As intervenções ergonômicas têm sido realizadas para minimizar os problemas dos distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho. Neste contexto, esta pesquisa teve por objetivo realizar uma intervenção ergonômica em uma indústria química da região metropolitana de Campinas, São Paulo e avaliar os índices de absenteísmo geral, os sintomas osteomusculares e a qualidade de vida dos trabalhadores. O presente estudo é do tipo transversal, de caráter descritivo, realizado com 76 trabalhadores do sexo masculino, da área operacional da indústria. Na coleta de dados foi utilizado um questionário de dados gerais e ocupacionais, o instrumento Nordic Questionnaire (Questionário Nórdico) sobre sintomas músculo esqueléticos com uma adaptação para o desenho metodológico deste estudo e o Short Form Health Survey (SF-36) para qualidade de vida. Verificou-se os índices de absenteísmo geral dos últimos três meses que antecederam a intervenção junto ao ambulatório médico da empresa. A análise das atividades baseou-se em um formulário para registro de soluções ergonômicas. As participações foram voluntárias e os trabalhadores receberam informações da pesquisadora sobre a intervenção ergonômica e assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. No tratamento dos resultados realizou-se análises descritivas das variáveis dos três instrumentos. Para a análise da relação entre os sintomas osteomusculares nos últimos três meses e os dados gerais e ocupacionais utilizouse a Regressão Logística Múltipla.A média de idade geral dos participantes foi de 35 anos, com escolaridade predominante do ensino médio (58,7%). A maioria dos trabalhadores (77,6%) relatou não praticar nenhuma atividade física. Observou-se um elevado percentual de trabalhadores que referiu fazer horas extras (73%). Constatou-se que o maior índice de absenteísmo nos últimos três meses foi causado por problemas osteomusculares (48%). Em relação aos sintomas osteomusculares, observou-se que 53% dos trabalhadores apresentaram sintomas em pelo menos uma área corporal nos últimos três meses.Verificouse o comprometimento de diversas regiões corporais, sendo que a mais acometida foi a coluna lombar (19,7%), que ficou também em primeiro lugar (6,6%) na justificativa por auxílio de profissional da área de saúde. Notou-se uma distribuição diferenciada de sintomas osteomusculares por prédio, sugerindo relação com as atividades ocupacionais do trabalhador. Os trabalhadores com faixas etárias mais elevadas apresentaram menos chance de desenvolver distúrbios músculo-esquelético, em qualquer região corporal. O tempo na atividade foi significativo, indicando que trabalhadores com mais de 36 meses têm quatro vezes mais chance de apresentar problemas osteomusculares. Comparando-se os participantes com e sem sintomas osteomusculares, verificou-se que todos os domínios do questionário de qualidade de vida (SF36) apresentaram índices menores nos sujeitos que referiram algum sintoma. Diante dos resultados, sugestões como ações educativas junto aos trabalhadores, a implantação do Comitê de Ergonomia e o desenvolvimento de um dispositivo para o corte de sacarias fizeram parte das primeiras melhorias ergonômicas implantadas. Concluiu-se que é de extrema importância dar continuidade a esta intervenção ergonômica validando as recomendações sugeridas e mensurando a contribuição para a saúde do trabalhador

Abstract: The ergonomic interventions have been performed to minimize the work related musculoskeletal disorders. Given such background, this research had as target the performance of an ergonomic intervention at a chemical factory from the Campinas metropolitan area, state of São Paulo, evaluation of the general absenteeism indexes, the musculoskeletal symptoms and the workers quality of life. The present study is of the transversal type, descriptive in character, executed with 76 workers of the male gender, from the operational area of the factory. A general and occupational data questionnaire was utilized during the gathering of data, the instrument, Nordic Questionnaire, regarding musculoskeletal symptoms with an adaptation for the methodological drawing of this study and the Short Form Health Survey (SF-36) for quality of life. There were verified along with the factory's medicar clinic general absenteeism indexes frem the last 3 months prior to the intervention. The activities analysis was based on a form for the registration of ergonomic solutions. The participations were voluntary and the workers received information from the researcher regarding the ergonomic intervention and signed the Free and Clarified Consent Term. Descriptive analyses of the variables from the 3 instruments were performed at the treatment of the results. For the analysis of the relation between the musculoskeletal symptoms at the last 3 months and the general and occupational data the Multiple Logistic Regression was utilized. The general participants age average was that of 35 years old, with schooling at the secondary education levei being predominant (58,7%). The majority of workers (77,6%) reported not practicing any physical activity. It was observed a high percentage of workers, which reported working overtime (73%). It was found that the highest absenteeism índex in the last 3 months was caused by musculoskeletal problems (48%). Conceming the musculoskeletal symptoms it was observed that 53% of workers presented symptoms in at least one bodily area in the last 3 months. It was verified the compremising of various bodily regions, with the most stricken being the lumbar spine (19,7%), which also ranked first (6,6%) at the supporting cause for the aid of professional help from the health field. A differentiated distribution of musculoskeletal symptoms by building was noted, suggesting relationship with the worker's occupational activities. The workers at a higher age group presented less chance of developing musculoskeletal troubles, in any region of the body. The time at the activity was significant, indicating that workers with more than 36 months are 4 times more susceptible of presenting musculoskeletal problems. Comparing participants possessing and not possessing musculoskeletal symptoms, it was verified that ali the domains of the quality of life questionnaire (SF36) presented lower levels in the subjects that referred some symptom. In face of the results, suggestions such as educational actions combined with the workers, the implementation of the Ergonomics Committee and the development of a device for the sectioning of sacks were part of the first ergonomic improvements implemented. In conclusion, it is of utmost importance the continuance of such ergonomic intervention validating the suggested recommendations and measuring the contribution for the worker's health
Subject: Ergonomia
Indústria química
Saúde e trabalho
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2005
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Miguez_SymoneAntunes_M.pdf5.84 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.