Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311466
Type: TESE
Title: Sintomas ostemusculares e a percepção dos trabalhadores sobre as condições do trabalho em uma indústria de papel e celulose
Title Alternative: Musculoskeletal symptoms and workers'perception of job conditions in a pulp and paper industry
Author: Pedrini, Thais de Freitas
Advisor: Alexandre, Neusa Maria Costa, 1954-
Abstract: Resumo: Os sintomas osteomusculares são uma das maiores causas de afecções ocupacionais e incapacidade funcional. O objetivo desta pesquisa foi avaliar os sintomas osteomusculares e a percepção dos trabalhadores sobre os fatores do trabalho que podem contribuir para sua manifestação em uma indústria de papel e celulose, além de verificar a relação entre a intensidade da dor e a incapacidade em trabalhadores sintomáticos. Trata-se de um estudo exploratório, transversal e correlacional, que foi realizado com 112 trabalhadores da área de acabamento de uma indústria localizada no interior de São Paulo. Os dados foram coletados por meio de entrevista, utilizando a versão brasileira do Questionário Nórdico e o Instrumento sobre fatores do trabalho que podem contribuir para sintomas osteomusculares. Para os trabalhadores sintomáticos, também foram aplicados o Questionário de avaliação da incapacidade gerada pela dor (The Pain Disability Questionnaire-PDQ) e a Escala numérica de dor. Os dados foram submetidos às análises: descritiva; de comparação (teste de Mann-Whitney) para verificar os escores de fatores de risco entre os sujeitos com e sem sintomas osteomusculares; e de correlação (Coeficiente de Spearman) para correlacionar a intensidade da dor e a incapacidade em trabalhadores sintomáticos. Os resultados mostraram que a maior parte dos trabalhadores (63,4%) apresentou sintomas osteomusculares, principalmente na coluna vertebral e ombros. Verificou-se que a presença de sintomas em ombros (6,4%) e região lombar (6,4%) foi a maior causa de impedimento ao trabalho nos últimos 3 meses. Dos trabalhadores, 11,8% indicaram necessidade de ajuda de profissional da área de saúde nos últimos três meses devido à dor nos ombros, 10,9% devido à dor lombar e 8,2% devido à dor na região dos joelhos. A análise sobre o impedimento de realizar atividades no trabalho e da procura por consulta por especialista evidencia que os sintomas osteomusculares já interferem de forma importante na vida desses trabalhadores. As atividades consideradas mais problemáticas por todos os trabalhadores foram: realizar a mesma tarefa repetidamente; carregar, levantar ou mover materiais ou equipamentos pesados; trabalhar na mesma posição por longos períodos; e curvar ou torcer suas costas de maneira desconfortável. Houve diferença significativa (p < 0,05) na percepção de nove fatores do trabalho que podem contribuir para os sintomas osteomusculares entre sujeitos sintomáticos e assintomáticos. A análise da intensidade da dor e da incapacidade gerada pela dor, avaliada pela aplicação do PDQ, em trabalhadores sintomáticos evidenciou média de intensidade de dor de 3,4 (Escala 0 - 10) e escores médios do PDQ total (11,5) e de suas dimensões - condição funcional (6,7) e condição psicossocial (4,8) - que apontam para incapacidade moderada nesse grupo de trabalhadores. Observou-se uma correlação significativa de moderada magnitude (r=0,40) entre a intensidade da dor e o escore total de incapacidade gerada pela dor. Os dados neste estudo fornecem subsídios para elaboração e implementação de programas de prevenção com vistas à otimização da saúde ocupacional de trabalhadores em indústria de papel e celulose

Abstract: Musculoskeletal symptoms are the major causes of occupational diseases and disability. The aim of this study was to evaluate the musculoskeletal symptoms, and the workers' perception about job-factors that may contribute to musculoskeletal symptoms in a pulp and paper industry, and also to identify the relationship between the intensity of pain and disability in workers with musculoskeletal symptoms. This is an exploratory, crosssectional and correlational research, which was conducted with 112 workers in the "finishing area" of an industry located in São Paulo. Data were collected through interviews, using the Brazilian version of the Nordic Questionnaire, and the Work-related activities that may contribute to job-related pain and/or injury. The Pain Disability Questionnaire (PQD) and the Numeric pain scale were also applied to workers with pain. Several statistical analysis were performed: descriptive analysis; comparison (Mann- Whitney test) to compare the scores of risk factors among subjects with and without musculoskeletal symptoms, and correlation (Spearman coefficient test) to correlate the intensity of pain and disability in symptomatic workers. Results showed that most workers (63.4%) had musculoskeletal symptoms, especially in the spine and shoulders. It was found that the presence of symptoms in the shoulders (6.4%) and lumbar (6.4%) were the major causes of absence from work over the past three months. Considering the population studied, 11.8% indicated the need for professional help from health care in the past three months due to shoulder pain, 10.9% due to back pain and 8.2% due to pain in the knees. The analysis of the occurrence of absenteeism and the health care utilization shows that the musculoskeletal symptoms are already interfering significantly in the workers' lives. The job factors perceived as most problematic were: performing the same task over and over; carrying, lifting, or moving heavy materials or equipment; working in the same position for long periods; and bending or twisting your back in an awkward way. The comparison between symptomatic and asymptomatic subjects showed significant difference (p <0.05) in their perception of nine job-factors. Therefore, workers who reported pain indicated higher values in the measurement instrument. The analysis of the intensity of pain and the disability caused by pain, evaluated by applying the PDQ, in symptomatic workers showed an average pain intensity of 3.4 (scale from 0 to 10) and mean scores of the PDQ total (11.5) and its dimensions - functional condition (6.7) and psychosocial condition (4.8) - pointing to moderate disability in this group of workers. There was a significant correlation of moderate magnitude (r = 0.40) between pain intensity and the total score of disability caused by pain. The data in this study provide basement for drafting and implementing prevention programs in order to optimize the occupational health of workers in the pulp and paper industry
Subject: Saúde do trabalhador
Transtornos traumáticos cumulativos
Fatores de risco
Incapacidade
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2011
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Pedrini_ThaisdeFreitas_M.pdf2.58 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.