Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311441
Type: TESE
Title: Explorando as fronteiras da assistencia psiquiatrica na America do Sul : o papel das unidades psiquiatricas nos hospitais gerais
Author: Larrobla Mendez, Cristina
Advisor: Botega, Neury J. (Neury José), 1958-
Botega, Neury José
Abstract: Resumo: O presente trabalho teve como objetivo analisar a evolução recente e a situação atual da assistência psiquiátrica na América do Sul, colocando especial ênfase nas Unidades Psiquiátricas em Hospitais Gerais (upHGs), como uma das alternativas assistenciais ao macro-hospital. Para tal fim, se realizou uma leitura critica e abrangente da literatura afim e específica sobre ambos os temas, e foram enviados dois inquéritos postais aos diferentes países sul-americanos. Na primeira parte do trabalho, estudaram-se as origens dos primeiros hospitais dedicados aos cuidados dos doentes mentais na América Latina e o processo através do qual a prática assistencial introduzida foi consolidando-se como hegemônica. Também foram abordadas as mudanças sociais, políticas e econômicas que intervieram nesse processo. Numa segunda etapa, foram analisados e discutidos os dados sobre Programas Nacionais de Saúde Mental e sobre as Unidades Psiquiátricas em Hospitais Gerais, obtidos através dos inquéritos postais. O trabalho estrutura um conjunto de informações atualizadas em relação aos sistemas nacionais de saúde mental dos diferentes países da região, até agora apresentado na bibliografia como experiências isoladas e específicas de alguns dos países. Destaca-se que o início da reestrutura da assistência psiquiátrica no continente foi tardio em relação àquela dos países desenvolvidos: ela localiza-se basicamente na década de 90. Alguns dos Programas de Saúde Mental ainda não estão explicitados em documentos oficiais, a maioria deles não tem destinado um orçamento próprio e sua elaboração tem ficado restrita aos técnicos do setor de saúde. Na totalidade dos países, apresentam-se carências nos recursos tanto humanos quanto materiais. Também uma alta porcentagem de programas não contam com sistema de avaliação que permita medir seu impacto e seu resultado nas populações assistidas. Observa-se que, na América do Sul, as Unidades Psiquiátricas em Hospitais Gerais, junto a outras estruturas descentralizadas, têm sido adotadas como modelo alternativo à assistência do clássico hospital psiquiátrico. As unidades refletem iguais carências que os programas no que diz respeito aos recursos humanos e materiais, destacando-se a falta de adequação à demanda assistencial. Os medicamentos, além de serem insuficientes, em alguns casos se apresentam como desatualizados, ficando comprometido o objetivo de manter os pacientes o maior tempo possível na sua comunidade de origem. A maioria das unidades funcionam, basicamente, com duas estruturas assistenciais: ambulatório e enfermarias psiquiátricas, apresentando-se em alguns países também as emergências psiquiátricas. Na segunda estrutura tem surgido, na última década, um incremento no número de leitos, mas a relação de leitos psiquiátricos / habitante em grande parte dos diferentes países está longe de alcançar as cifras recomendadas pelos organismos internacionais. A informação apresentada nesse trabalho, de caráter global, descrevendo os problemas comuns a todos os países sul-americanos, as alternativas adotadas para solucioná-los e as diferenças dos programas, visa ampliar o conhecimento da situação atual da área e facilitar assim futuras mudanças na melhora da qualidade da assistência psiquiátrica. Fomenta-se, dessa forma, um maior intercâmbio de experiências e dados, expectativa que foi explicitada por parte de todas as fontes de informação

Abstract: The objective of this dissertation was to analyze the current situation of the psychiatric care in South America, with especial emphasis on Psychiatric Units in General Hospitals, as an altemative to the classic mental hospital. In order to reach our goal, a critical and thorough review of the literature was carried out, and two mailing surveys were sent to the South American countries. The first part of the study focussed on the origins of the first hospitals which were exc1usively dedicated to mentally iIl people in Latin America. 1t also studied the process through which the introduced practice of care assumed a hegemonic position. Likewise, the social, polítical and economical changes, which interfere in this process were looked into. In the second part, the data of the National Mental Hea1th Programs and that of the Psychiatric Units in General Hospitals, obtained through the mailing surveys, were analyzed and discussed. This study structures up a complete and up dated set of information on the national mental health systems of the countries in the studied region. Until now, this information had been presented in literature as some of the countries' specific and isolated experiences. !t' s important to note that. the restructuring of the psychiatric care on the continent delayed too much compared to that of the developed countries: it basically started in the nineties. Some of the Mental Health Programs have not been clearly spelt out in official documents so faro Almost alI the countries lack budget estimates for this end, so the elaboration of such a program was restricted to professionals of the medical sector, resulting in material and human resources deficits. A higher percentage of the programs is devoid of an evaluation system that could measure the results and effectivevess on the people attended. In South America, it is observed that the Psychiatric Unit in General Hospital and other decentralized centers, were adopted as an altemativt} to the state mental hospitaIs. The units reflect the same deficit in human resources and material as that seen in the programs. This clearly shows that the centers can not cope with the demand for medical services. In addition, the medicines are insufficient and in many cases they are outdated. Therefore, due tothe deficiency, it's impossible to maintain the patients in their own communities. The majority of the units basically work with two models: inpatient and outpatient services; in some of the countries these units also have psychiatric emergencies. In the inpatient services, in the last decade, there has been an increase in the length of stay, however the relation between the length of stay / per habitant in many countries is far from the recommended by the intemational organisms. The information presented in this study is of a general nature, describing the common problems to South American countries, altematives taken to solve them and the differences in the programs. This information aims at broadening the knowledge of the current situation in the area. Thus, promoting a major interchange of experiences and data, in harmony with our correspondents. This wiIl in tum help the countries improve the quality of psychiatric assistance in the future
Subject: Serviços de saúde mental
Saúde mental
Psiquiatria - História
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1999
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
LarroblaMendez_Cristina_M.pdf4.64 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.