Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311350
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Rastreamento de mutações no gene ASB10 (GLC1F) em pacientes portadores de glaucoma primário de ângulo aberto
Title Alternative: Screening of mutations in ASB10 gene in primary open angle glaucoma patients
Author: Souza, Bruno Batista, 1983-
Advisor: Melo, Mônica Barbosa de, 1968-
Abstract: Resumo: O glaucoma é uma das principais causas de cegueira irreversível no mundo, acometendo cerca de 70 milhões de indivíduos, com pelo menos 6,8 milhões de pessoas apresentando cegueira bilateral. Fisiopatologicamente, o glaucoma é uma doença degenerativa do nervo óptico, frequentemente associada a uma elevada pressão intra-ocular (PIO) e caracterizada pela escavação do disco óptico e alterações no campo visual. Diferentes genes associados ao glaucoma têm sido identificados por meio de estudos de ligação, mas alterações nesses genes representam uma pequena proporção dos genes envolvidos no desenvolvimento da doença. Os genes identificados até o momento são TIGR/MYOC, OPTN, WDR36, NTF4 e ASB10, sendo que o último, identificado no ano de 2012, foi inicialmente mapeado em 1999 (lócus GLC1F) a partir do estudo de famílias com glaucoma primário de ângulo aberto (GPAA). O gene ASB10 está localizado na região 7q36.1 (lócus GLC1F) e possui 6 éxons, sendo que sua região de leitura compreende os éxons 1 a 5. Pertencente à família de proteínas ASB, a proteína ASB10 possui uma região central com sete repetições de anquirinas codificada pelos éxons 2 e 3 e uma região C-terminal SOCS Box codificada pelo éxon 5. Pasutto et al. 2012 observaram que a variante Thr255Thr segregava com o glaucoma em uma família, tornando-o candidato a gene causador do GPAA no lócus GLC1F. O objetivo deste estudo do tipo caso-controle, foi avaliar a presença de mutações no gene ASB10 em 100 pacientes afetados por GPAA, e 100 indivíduos controle, por meio das técnicas de PCR e sequenciamento. A análise dos sequenciamentos permitiu a identificação de 13 mutações, sendo 8 do tipo "missense" e 5 sinônimas. Dentre as 13 variantes, quatro não haviam sido previamente reportadas ou encontram-se descritas em bases de dados. A análise estatística pelo teste qui-quadrado não mostrou associação entre alterações no gene ASB10 e o desenvolvimento de GPAA (p = 0.3377). Alterações foram encontradas na mesma proporção entre indivíduos do grupo com GPAA e do grupo controle. As variantes do tipo "missense" foram submetidas a duas análises in silico, que sugerem que tais alterações não causam danos relacionados à estrutura ou à função protéica ou possuem relação com o desenvolvimento da doença. Não foi possível observar relação entre alterações no gene ASB10 e níveis elevados de PIO. Em conclusão, sugere-se que alterações no gene ASB10 possam não estar associadas à etiologia do GPAA na amostra da população estudada

Abstract: Glaucoma is an optic nerve degenerative disease, often associated with high intraocular pressure (IOP) and characterized by excavation of the optic disc and visual field loss. Some genes associated with glaucoma have been identified, but there is a small contribution of variants in these genes in disease development. The ASB10 gene, identified in 2012, was first mapped in 1999 through the study of families with primary open angle glaucoma (POAG). ASB10 is located at chromosome 7q36.1 (GLC1F locus) and has 6 exons, with an open reading frame region that comprises exons 1-5. Belonging to the family of ASB proteins, the ASB10 protein has a central region with seven ankyrin repeats encoded by exons 2 and 3 and a C-terminal SOCS Box region encoded by exon 5. The aim of this case-control study was to evaluate the presence of variations in the ASB10 gene in 100 patients with POAG and 100 controls. Coding sequence and intron-exon boundaries were evaluated through PCR and direct sequencing. Sequencing analysis allowed the identification of 13 variants, 8 missense and 5 synonymous. Among the 13 variants, four had not been previously reported or are not described in databases. Variants were observed in the same proportion among individuals from the POAG group and the control group. The missense variants that were described for the first time were subjected to in silico analysis, which suggest that such changes might not cause damages related to protein structure or function. It is important to note that four missense variants were present only in the POAG group including, A75E, R222G, P387T, and R438C. No association was observed between alterations in the ASB10 gene and high levels of IOP. Changes in the ASB10 gene may not be associated with the etiology of POAG in this sample of the Brazilian population. Functional analysis and an extended cohort may help in the evaluation of the role of ASB10 in relation to the etiology of POAG
Subject: Reação em cadeia da polimerase
Glaucoma
Mutação
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: SOUZA, Bruno Batista. Rastreamento de mutações no gene ASB10 (GLC1F) em pacientes portadores de glaucoma primário de ângulo aberto. 2013. 88 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/311350>. Acesso em: 22 ago. 2018.
Date Issue: 2013
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Souza_BrunoBatistade_M.pdf2.04 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.