Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311270
Type: TESE
Title: Avaliação dos fatores de risco e criterios de prognostico na morbidade materna grave em UTI obstetrica
Title Alternative: Evaluation of risk factors and prognosis criteria in severe maternal morbidity in obstetric ICU
Author: Oliveira Neto, Antonio Francisco de
Advisor: Parpinelli, Mary Angela, 1956-
Abstract: Resumo: Introdução: Na última década, a identificação de casos de morbidade materna grave (MMG) tem emergido como complemento promissor e alternativo para a investigação da morte materna. A disfunção orgânica é parte do processo contínuo de MMG. Mulheres admitidas na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) durante a gestação ou puerpério podem ser uma boa fonte de informações, refletindo com maior exatidão a qualidade do cuidado à saúde da gestante. Caracterizar e identificar os fatores que influenciaram a evolução clínica e o desfecho da internação são estratégias úteis para o enfrentamento das emergências obstétricas e redução da mortalidade materna. Objetivo: Caracterizar o perfil epidemiológico, identificar os fatores que influenciaram o desfecho da internação, avaliar o poder de discriminação do escore SOFA na predição do prognóstico e na validação dos critérios definidores de "near miss" em mulheres com MMG admitidas na UTI obstétrica. Método: Foram realizados dois tipos de estudo uma coorte retrospectiva para identificação de fatores de risco associados ao desfecho materno da internação, e um estudo de validação de escore de gravidade, prognóstico e para os critérios definidores de "near miss" em mulheres com diagnóstico de MMG admitidas em UTI obstétrica. Através do sistema de registro de internação na UTI, selecionou-se o total de admissões no período de 1° agosto de 2002 a 30 de setembro de 2007. A partir da identificação dos casos, os respectivos prontuários médicos foram revisados e os dados clínicoepidemiológicos coletados por dois pesquisadores e dois assistentes de pesquisa. Foi realizada análise bivariada para os fatores associados com o desfecho da internação na UTI (morte ou sobrevivência), utilizando o teste qui-quadrado com correção de Yates ou o exato de Fisher. Foram calculados o Odds ratio (OR) e seus respectivos IC 95%. O escore SOFA foi utilizado para a definição de disfunção/falência orgânica ao longo da internação na UTI. De acordo com o desfecho, foi calculada a média e o desvio padrão (média ± DP) do escore SOFA MT, aplicando-se o teste não-paramétrico de Mann-Whitney para amostras independentes. Construiu-se uma curva ROC (Receiver Operating Characteristics) para o escore SOFA MT e critérios de near miss da OMS, apresentando-se os valores da sensibilidade e especificidade. Finalmente, foi avaliada a distribuição de todos os casos obstétricos com condições potencialmente ameaçadoras à vida pelos critérios de near miss (laboratoriais e de manejo) da OMS, e pelo desfecho da evolução de cada caso na UTI (óbito ou sobrevivente). Calculou-se a sensibilidade, especificidade e valores preditivos dos critérios combinados de near miss para a predição do óbito materno e posteriormente para a predição da falência orgânica utilizando o escore SOFA máximo como padrão-ouro. Resultados: As complicações obstétricas representaram 65,8% das admissões e 50% dos óbitos. A relação morte-morbidade para infecções e hemorragias foi 1/6 e 1/30, respectivamente. O risco de morte materna foi maior em adolescentes e nas transferências inter-hospitalares. A falência orgânica e o número de órgãos comprometidos mostraram correlacionar-se significativamente com a mortalidade materna. A análise da área sob a curva ROC mostrou a excelente performance do escore SOFA MT na predição do prognóstico dos casos de MMG e identificação dos casos de near miss. Os critérios de near miss propostos pela OMS apresentaram boa sensibilidade e especificidade para identificar os casos de maior gravidade que apresentaram falência orgânica. Conclusões: Nossos resultados apontam para a necessidade de medidas político-sociais, e de saúde reprodutiva para a gravidez na adolescência, reforçam a necessidade de leitos em UTI para complicações obstétricas e do aprimoramento do sistema de transferência interhospitalar. O escore SOFA mostrou ser uma ferramenta confiável para avaliação de prognóstico e gravidade na população de mulheres com MMG. Os critérios de near miss da OMS podem permitir a padronização do conceito para a obtenção de resultados comparáveis nos diversos contextos, além da construção de uma rede integrada de dados, possibilitando a implementação de novas estratégias para redução da mortalidade materna.

Abstract: Introduction: In the last decade the identification of cases of severe maternal morbidity (SMM) has emerged as a promising complement or an alternative to the investigation of maternal deaths. The organic dysfunction is part of the continuum of SMM. Women admitted to intensive care units (ICU) during pregnancy or postpartum may be a good source of information and can reflect with greater accuracy the quality of care to the health of pregnant woman. To characterize and identify the factors influencing the clinical course and outcome of hospitalization is a useful strategy for facing the obstetric emergency and reducing maternal mortality. Objective: To characterize the epidemiological profile and to identify the factors influencing the clinical course (death or survival); to assess the discrimination power of the SOFA score in predicting the outcome; and to validate the WHO's criteria for maternal near miss among the cases of SMM admitted in an obstetric ICU. Method: The validation of a score of severity and prognosis was carried out in women diagnosed with SMM admitted to an obstetric ICU. All 673 admissions that occurred between August 1, 2002 and September 30, 2007 were identified from the ICU admission records system. Following identification of the cases, the respective medical charts were reviewed and the data of interest were collected. A bivariate analysis was performed to evaluate the factors that might be associated with the outcome of ICU admission (death or survival), using the chi-square with Yates correction or Fisher's exact tests. Odds ratios (OR) and their respective 95%CI, defined as the exact range, were calculated. The SOFA score was used for the definition of dysfunction / organ failure along in ICU. To describe the average maximum total SOFA score and standard deviation (mean ± SD) was applied the nonparametric Mann-Whitney test for independent samples. Built up the ROC (Receiver Operating Characteristics) for the maximum total SOFA score and near miss criteria from WHO, presenting the values of sensitivity and specificity. Finally, the distribution of all obstetric cases with potentially life threatening conditions according to the WHO's criteria for near miss (laboratory and management) and to the clinical outcome (death or survival) were evaluated. Sensitivity, specificity and predictive values were calculated for the combination of near miss criteria for the prediction of maternal death and then for the prediction of organic failure using the maximum SOFA score as gold standard. Results: Obstetric complications led to 65.8% of admissions and 50% of maternal deaths. The mortality/morbidity ratio for infections and bleeding was 1 / 6 and 1 / 30, respectively. The risk of maternal death was higher among teenage pregnancy, and patients referred from other hospitals. The failure and the number of organs in failure showed to be significantly correlated with maternal mortality. The analysis of the area under the ROC curve (Receiver Operating Characteristics) showed the excellent performance of the total maximum SOFA (Sequential Organ Failure Assessment) score not only for prognosis prediction but also for identifying cases of SMM. The near miss criteria proposed by WHO showed a good sensitivity and specificity for identifying the most severe cases with organ failure. Conclusions: the present findings point to a need for political and social actions and for measures to be implemented in the area of reproductive health, particularly with respect to teenage pregnancy; to increase knowledge on the actual need for obstetric ICU beds and to improve the inter-hospital transfer system. The SOFA score showed to be an useful tool for evaluating the severity and prognosis of SMM. The WHO near miss criteria could allow a standardization for obtaining comparable results in different contexts, besides the construction of an integrated data network that would make possible the implementation of new strategies for reducing maternal mortality.
Subject: Morbidade
Mortalidade materna
Unidade de tratamento intensivo
Obstetrícia
Fatores de risco
falencia de multiplos orgãos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2009
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
OliveiraNeto_AntonioFranciscode_M.pdf893.12 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.