Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311269
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Mortalidade de mulheres em idade reprodutiva no municipio de Jundiai, São Paulo : analise de 1985 a 2006
Title Alternative: Mortally in women of reproductive age, in the municipality of Jundiai, São Paulo : 1985 a 2006
Author: Matias, Jacinta Pereira
Advisor: Parpinelli, Mary Angela, 1956-
Abstract: Resumo: Objetivos: analisar a tendência da mortalidade de mulheres em idade reprodutiva por grupos de causas, enfatizando a mortalidade materna. Métodos: estudo populacional de série temporal, através de banco de dados eletrônico com informações da declaração de óbito (DO) emitido pela Fundação SEADE, correspondente ao total de óbitos de mulheres de 10 a 49 anos, residentes no município de Jundiaí, São Paulo, no período de 1985 a 2006. Realizou-se a conversão das causas básicas de todas as DO anteriores a 1996, codificadas pela Classificação Internacional de Doenças (CID), 9ª revisão, e a recodificação pela CID, 10ª. revisão. Calcularam-se os coeficientes específicos de mortalidade por capítulos da CID10, por algumas causas e por subgrupos etários por 100.000 mulheres. As estimativas populacionais e o número de nascidos vivos (NV) foram obtidos dos registros da Fundação SEADE. A análise de tendência foi realizada pelo método de regressão de Poisson ajustado pelos períodos de 1985-89, 1990-94, 1995-99, 2000-06, e por faixa etária. Os riscos relativos e os intervalos de confiança de 95% (IC95%) foram calculados. Calculou-se a razão de morte materna (RMM) oficial e corrigida para o período de 1999 a 2006. A investigação das causas maternas declaradas ou presumíveis foi realizada através dos arquivos do comitê municipal de investigação da morte materno-infantil (CMIMM). Resultados: a mortalidade geral de mulheres em idade reprodutiva apresentou tendência decrescente a partir do período de 1995-99, RR 0,85 (0,77-0,93), e de 2000-06, RR 0,47 (0,43-0,51). As doenças cardiovasculares (DCV), as neoplasias e as causas externas foram os principais grupos de causas. As mortes por DCV reduziram significativamente a partir de 1995 e passaram para a 2a causa de morte no período de 2000-06. A mortalidade por neoplasias manteve-se estável, com pequena variação nos coeficientes (23,8 em 1985-89 para 25,7 em 2000-06) e passou a ocupar a primeira causa de morte, no último período. Os coeficientes de mortalidade por causas externas foram significativamente decrescentes, no último período, e mantiveram-se como a terceira causa de morte. Não houve tendência de redução da mortalidade por agressões e por AIDS. A mortalidade materna foi a 10a causa de morte no último período. A RMM corrigida foi de 29,4 mortes por 100.000 NV, para o período de 1999 a 2006, com subnotificação de 50% e fator de correção 2. As mortes maternas foram por causas majoritariamente diretas, sendo as síndromes hipertensivas e a infecção as mais prevalentes. Conclusões: os resultados mostraram melhoria das condições de vida e de saúde das mulheres, entretanto a ausência de queda da mortalidade por causas evitáveis, como agressões e AIDS, aponta para a necessidade de políticas públicas sociais e de programas preventivos. A prevalência das causas obstétricas diretas, principalmente as síndromes hipertensivas, sugere a necessidade de revisão de protocolo assistencial e falha na integração entre os níveis de assistência obstétrica ambulatorial e hospitalar. É necessário aperfeiçoar a atribuição da causa materna de morte e promover a publicação periódica da investigação das mesmas pelo CMIMM

Abstract: Objectives: to analyze the mortality trend of reproductive age women per causal groups, emphasizing maternal mortality. Methods: a time series population study with death certificate (DC) information, through electronic database issued by the SEADE Foundation, corresponding to the total number of deaths from women age 10 to 49 years old, residing in the municipality of Jundiaí, São Paulo, in the period from 1985 to 2006. The basic cause of all DC conversion before 1996 was performed. Causes were coded by the International Classification of Diseases (ICD), 9th revision, recoding was performed by the ICD, 10th revision, was performed. The specific rates of mortality per ICD 10 chapters were calculated by some causes and age subgroups per 100.000 women. The population estimates and the number of live births (LV) were obtained from the SEADE Foundation records. The trend analysis was performed by the Poisson regression model adjusted for the periods of 1985-89, 1990-94, 1995-99, 2000-06, and age group. The related risks and confidence intervals of 95% (CI 95%) were calculated. The official maternal mortality ratio (MMR) was calculated and corrected for the period from 1999 to 2006. The investigation of the stated or presumptive maternal causes was performed through the files of ¿Comitê Municipal de Investigação da Morte Materno-infantil¿ (CMMMI). Results: the general mortality of reproductive age women displayed a decreasing trend from the period of 1995-99, RR 0.85 (0.77-0.93), and of 2000-06, RR 0.47 (0.43-0.51). The cardiovascular diseases (CVD), neoplasm and external causes were the main groups of causes. The deaths per CVD were reduced from 1995, with significant trend and turned into the second cause of death in the period of 2000-06. The mortality per neoplasm was kept stable, with little rate variation (23.8 in 1985-89 to 25.7 in 2000-06) and started occupying the first cause of death in the latter period. The mortality rates per external causes decreased, with a significant trend in the latter period, and continued as the third cause of death. There wasn¿t decrease in mortality per aggressions and AIDS. The maternal mortality was the 10th cause of death in the latter period. The corrected MMR was 29.4 deaths per 100.000 LB, for the period from 1999 to 2006, with an underreporting rate of 50% and a correction factor of 2. The maternal deaths were mostly direct causes and hypertensive syndromes and infection predominated. Conclusions: the results point out to an improvement in and health and quality of life in these women. However, an increase in mortality for avoidable causes, such as aggressions and AIDS, points to the need of social public policies and prevention programs. The prevalence of direct obstetric causes as determining factors, mainly the hypertensive syndromes, suggests the need of healthcare protocol review and possible failure of integration between the obstetric outpatient and healthcare levels. It is necessary to improve the attribution of the maternal mortality cause and promote periodic publication of death causes investigation by the CMMMI
Subject: Mortalidade
Mães - Mortalidade
Gravidez - Complicações
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: MATIAS, Jacinta Pereira. Mortalidade de mulheres em idade reprodutiva no municipio de Jundiai, São Paulo: analise de 1985 a 2006. 2008. 93p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/311269>. Acesso em: 10 ago. 2018.
Date Issue: 2008
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Matias_JacintaPereira_D.pdf7.28 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.