Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311265
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Fatores preditivos de morbimortalidade no trauma hepatico
Title Alternative: Predictive morbimortility factors in liver trauma
Author: Diorio, Alan Cesar
Advisor: Mantovani, Mário, 1940-
Mantovani, Mario
Abstract: Resumo: O trauma é um evento muito freqüente em jovens, com acometimento freqüente do fígado. O objetivo do estudo foi avaliar os fatores preditivos de má evolução em pacientes operados com trauma hepático. Para tanto, foram estudados 638 pacientes no período de Janeiro de 1990 a Dezembro de 2003, com seus parâmetros epidemiológicos, fisiológicos e anatômicos comparados e os valores preditivos para ocorrência de má evolução analisados através de estudo estatístico apropriado. O trauma penetrante foi o agente agressor mais freqüente. A instabilidade hemodinâmica esteve presente em 21,1% das vítimas, com RTS médio de 7,02, ATI médio 17,4 e ISS médio de 20,7. A maioria das lesões hepáticas foi grau III e os órgãos e estruturas abdominais mais frequentemente lesados em associação às mesmas foram o diafragma (33,4%), o estômago (20,5%), o cólon/reto (17,9%) e o baço (13,6%). As lesões não abdominais localizaram-se mais freqüentemente nos segmentos craniencefálico e torácico. A morbidade global foi de 50,4%, sendo que as complicações relacionadas ao fígado mais freqüentes foram o sangramento persistente (9,8%), o abscesso intraperitoneal (3,8%) e a fístula biliar (3%). As complicações não hepáticas ocorreram em 273 pacientes (42,8%) e as mais freqüentes foram as pulmonares, sepse e as complicações relativas ao SNC. Os fatores preditivos de ocorrência de complicações hepáticas foram a idade superior a 60 anos, a instabilidade hemodinâmica à admissão, o RTS alterado, a presença de lesões hepáticas complexas (grau>III), o ATI > 25 e o ISS = 25. Todas estas variáveis, a presença de lesões associadas abdominais e não abdominais e o mecanismo de trauma fechado foram preditivos de ocorrência de complicações não hepáticas. A mortalidade foi de 22,1% (141 casos), e ocorreram principalmente por sangramento persistente, sepse, FMOS e pelo TCE. Todos os fatores estudados, exceto a presença de lesões associadas abdominais, foram preditivos para a evolução a óbito. Estas vítimas apresentaram-se ainda, mais instáveis na admissão, com o RTS médio mais baixo (5,35), lesões hepáticas mais complexas, o ATI e ISS maiores (média de 24,7 e 30,6, respectivamente) além de TRISS médio de 0,64 (menor), quando comparadas às demais vítimas da amostra

Abstract: Trauma is a very common event in young people, often with involvement of the liver. The aim of this study was to evaluate the predictive factors of poor prognosis in patients operated with liver trauma. In order to this, 638 patients were studied from January 1990 to December 2003, regarding their epidemiologic, physiologic and anatomic data and the predictive values for poor prognosis were statistically analyzed. The penetrating trauma was the most frequent mechanism of trauma. Hemodynamic instability occurred in 21,1% of the victims, with a mean RTS of 7,02, mean ATI of 17,4 and mean ISS of 20,7. Most liver injuries was grade III and the organs and abdominal structures often affected were the diaphragm (33,4%), the stomach (20,5%), the colon/rectum (17,9%) and spleen (13,6%). The non abdominals structures often affected were most frequently located in the craniencephalic and thoracic segments. Morbidity was 50,4% and the most common liver related complications were: persistent bleeding (9,8%); intra-peritoneal abscess (3,8%) and biliary fistula (3%). Complications not related to the liver occurred in 273 patients (42,8%) and the most commom were pulmonary, sepsis and SNC related diseases. The predictive factors for liver complications were: age higher than 60, hemodynamic instability during admission, altered RTS, complex liver injuries (grade>III), ATI>25 and ISS= 25. All these variables, the existence of associated abdominal and extra-abdominal injuries and the mechanism of closed trauma were predictive of the occurrence of liver unrelated complications. Mortality was 22,1% (141 cases), and it occurred mainly due to bleeding, sepsis, multiple systems organ failure and head trauma. All the studied factors, with the exception of associated abdominal injuries, were predictive of death. Fatal victims were more unstable during admission, with lower mean RTS (5,35), more complex liver injuries and higher ATI and ISS ( average 24,7 and 30,6, correspondingly), besides TRISS medium of 0,64 (lower), when compared to the other patients
Subject: Abdome - Cirurgia
Violência
Indices de gravidade do trauma
Traumatismo
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: DIORIO, Alan Cesar. Fatores preditivos de morbimortalidade no trauma hepatico. 2007. 88f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/311265>. Acesso em: 10 ago. 2018.
Date Issue: 2007
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Diorio_AlanCesar_M.pdf1.11 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.