Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311203
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: A questão da passividade na melancolia : o paradigma de Hamlet
Author: Portella, Luciana Balbo
Advisor: Pereira, Mario Eduardo Costa, 1961-
Abstract: Resumo: A tese de doutoramento intitulada "A questão da passividade na melancolia: paradigma de Hamlef' trata de alguns o questionamentos clínicos sobre a ação da passividade e, conseqüente impacto sobre a relação analítica, num caso de melancolia. Sua descrição teórica é feita a partir das noções de paixão encontradas na literatura filosófica até chegar a psicanálise e sua problemática metapsicológica. As diferentes modalidades de passividade são descritas sob a ótica do sadismo e do masoquismo na teoria fteudiana para permitir uma articulação com a hipótese argumentativa de que é a passividade que faz certa A tese de doutoramento intitulada "A questão da passividade na melancolia: paradigma de Hamlef' trata de alguns o questionamentos clínicos sobre a ação da passividade e, conseqüente impacto sobre a relação analítica, num caso de melancolia. Sua descrição teórica é feita a partir das noções de paixão encontradas na literatura filosófica até chegar a psicanálise e sua problemática metapsicológica. As diferentes modalidades de passividade são descritas sob a ótica do sadismo e do masoquismo na teoria fteudiana para permitir uma articulação com a hipótese argumentativa de que é a passividade que faz certas coisas acontecerem na melancolia. A peça shakesperiana de Hamlet fornece uma perspectiva heurística, ficcional na qual o personagem principal atrai sobre si uma sorte de fatalidade que isola-o do contato com o outro e torna-o cada vez mais passivo. Trata-se de uma passividade curiosa, atípica, intrigante. Uma passividade que transporta rapidamente o leitor à clínica psicanalítica e interpela diretamente o papel do analista na relação transferencial

Abstract: The doctorate thesis entitled "The issue of passivity in melancholy: the paradigm of Hamlef' deals with some clinical questionings about the action of passivity and its consequent impact on the analytical relationship in a case of melancholy. Its theoretical description begins ITomthe notions of passion found in the philosophicalliterature to arrive to psychoanalysis and its metapsychological problematic. The different modalities of passivity are described ITom the standpoint of sadism and masochism in the Freudian theory to better link them to the argumentative hypothesis tOOtpassivity makes certain things OOppen.The Shakespearean play Harnlet offers a heuristic, fictional perspective in which the main character attracts a kind of fatality that isolates him ITomthe contact to the others and makes him increasingly passive. This is a weird, atypical and amazing passivity, which quickly refers the reader to the psychoanalytical clinic and directly questions the role ofthe analyst in the transferential situation
Subject: Sadismo
Masoquismo
Psicopatologia
Psicanálise
Psicoterapia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2004
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Portella_LucianaBalbo_D.pdf14.59 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.