Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311168
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Epidemiologia e saude publica : reflexões sobre os usos da epidemiologia nos serviços do sistema unico de saude em nivel municipal
Author: Drumond Junior, Marcos
Advisor: Barros, Marilisa Berti de Azevedo, 1948-
Abstract: Resumo: A crise do paradigma científico dominante moderno tem suscitado debates sobre as características de um paradigma emergente adequadas a abordar a complexidadedos objetos científicos. A integração de pólos freqüentemente isolados, a articulação dos diferentes níveis de aproximação com os objetos, o estabelecimento das mediações, a interdisciplinaridade e a necessidade do diálogo permanente com o senso comum, são algumas destas características que buscam aproximar o conhecimento científico de sua aplicação prática emancipadora e solidária. Este debate está presente também na área da saúde pública que tematiza objeto complexo, expresso tanto pelo quadro sanitário que afeta as populações, quanto pela necessidade de produzir intervenções que modifiquem estes quadros. Na epidemiologia, disciplina básica da saúde pública, o debate predominante se refere a insuficiênciado seu paradigma dominante, a epidemiologia moderna, em abordar a complexidade do quadro sanitário atual. As diferentes características dos paradigmas e modelos de abordagem epidemiológicos são discutidos, assim como as propostas de ampliação da capacidade de produzir conhecimento adequado a modificar positivamente o estado de saúde da população. No entanto, este debate aborda aspectos teóricos e metodológicos mais gerais, pouco abarcando dos aspectos operacionais que dêem suporte às intervenções no serviço de saúde. No contexto da construção do Sistema Único de Saúde nacional, a epidemiologia vem sendo muito valorizada, o que se reflete nas normatizações produzidas e nas práticas implementadas em diferentes modelos de planejamento e tecnoassistenciais. Com a descentralização e a municipalização, municípios estruturam atividades da epidemiologia nos serviços buscando dar respostas aos problemas de saúde, seja na construção dos sistemas de informação, na utilização de métodos, técnicas e indicadores, ou nas atividades de diagnóstico, vigilância, monitorização e avaliação. Com o objetivo de levantar os instrumentos e modos de fazer epidemiologia em serviços do SUS em nível municipal e discutir suas insuficiências,lacunas e potenciais, optou-se por selecionar alguns municípios brasileiros como sentinela da incorporação das práticas epidemiológicas nos serviços. Nestes municípios foi feito um levantamento dos usos da epidemiologia nos serviços, que foram analisados através de indicadores definidos abarcando os diversos tópicos discutidos. Buscou-se analisar nestes municípios, aspectos relativos à organização geral da epidemiologia, às informações e sistemas de informação existentes, aos instrumentos utilizados para abordar a realidade e aos projetos em execução. Discute-se a relação entre os debates acerca do paradigma científico emergente e sua expressão na área da epidemiologia e as tendências da incorporação da epidemiologia, seus potenciais e lacunas nos municípios, em cada tópico analisado. Discute-se, por fim, a necessidade de aproximar a epidemiologia da intervenção através do seu uso no cotidiano dos serviços, integrando os diferentes modelos que tem sido experimentados e os diferentes paradigmas epidemiológicos. Conclui-se que a epidemiologia necessária aos serviços de saúde não pode derivar de fetiches teóricos, metodológicos, de discursos ou práticas, mas precisa ser leve, ágil e articulada com as demais áreas da saúde pública. Uma epidemiologia do cotidiano porém instrumentalizada e ousada para abordar e intervir numa sociedade complexa

Abstract: The crisis of the modem dominant scientificparadigm has given rise to debates on what the characteristics of an adequate emerging paradigm to encompass the complexity of the scientific objects might 00. Some of these characteristics try to bring together scientific knowledge and its emancipatory and solidary practical application. They are: the integration of ftequently isolated poles, the articulation of different levels of approach to the objects, the setting up of mediations, interdisciplinarity and, the need for a permanent dialogue with common sense. This debate also takes p1ace in the field of Public Health that deals with a complex object. This is expressed, not oniy by the sanitary situation that affects populations, but also by the need to produce interventions that will modi:fythis state of affairs. In epidemiology, a basic public health subject, the predominant debate refers to the insufficiency of its dominant paradigm, i.e. modero epidemiology, to deal with the complexity ofthe present sanitary set up. In this paper, we discuss the different features of the paradigms and of the epidemiological models, as well as the proposals to increase the capacity to produce adequate knowledge to positively change the state of the health of the population. However, this debate looks at more general theoretical and methodological aspects, and not at the operational features, that give support to interventions in the public health service. In the context of development of the national Integrated Health System (SDS), epidemiology has OOengiven value, which can 00 seen in the normatizations produced and in the practices carried out throughout different planning and technicalassistance models. Afier decentralization and municipalization, city councils structured epidemiological activities for services. This has OOendone in an attempt to solve the health problems in buildinginformation systems, in the use of methods, techniques and indexes, and in activities such as health analysis, surveillance, monitoring and evaluation. We have opted to select some Brazilian counties as sentries for the incorporation of the epidemiological practices in the services so as to find out the instruments and means of doing epidemiology and to discuss the insufficiencies,gaps and potentials in the SUS services, at county levels. Thus, we made a survey of the uses of epidemiology in the services that were analyzed through the indexes definedby the different chosen topics. With reference to these counties, we analyzed aspects of the general organization of epidemiology, of the existing data and infonnation systems, ofthe instruments used to deal with reality and ofthe ongoing projects. We discuss the relationship between the debates on the emerging scientificparadigm and its expression in the epidemiological field, its potentials and lacks at county leve~ for each of the topics analyzed. Finally, we discuss the need to bring together epidemiology and intervention through its daily use in the services, integrating the different tried out models and the different epidemiologicalparadigms. We conc1udethat the necessary epidemiology I for the health services must not derive ITom theoretical, methodological, discourse or practice fetishes, but must be light, agile and articulated with the other public health areas. An epidemiologyfor daily uses, but instrumentalizedand bold to approach and intervene in a complexsociety
Subject: Epidemiologia
Paradigmas (Ciências sociais)
Serviços de saúde
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2001
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
DrumondJunior_Marcos_D.pdf43.36 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.