Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311065
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Estudo das infecções hospitalares em pacientes com HIV/AIDS hospitalizados e da colonização nasal pos Staphylococcus aureus em pacientes com HIV/AID não hospitalizados
Author: Padoveze, Maria Clara
Advisor: Branchini, Maria Luiza Moretti
Abstract: Resumo: Pacientes com HIV/Aids são potencialmente uma população de maior risco para aquisição de Infecções Hospitalares (IH) quando comparados a outros grupos de pacientes hospitalizados. Dados da literatura indicam que a infecção mais comum nestes pacientes é a Infecção da Corrente Sanguínea (ICS) e o principal agente etiológico é o Staphylococcus aureus. O presente estudo desenvolveu-se em duas fases. Na primeira fase foi realizada uma avaliação das IH ocorridas em pacientes HIV-positivos comparando com pacientes HIV-negativos internados na Enfermaria de Moléstias Infecciosas (MI) do Hospital das Clínicas (HC) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Na segunda fase foi realizada a pesquisa de colonização por S. aureus em pacientes HIV-positivos atendidos ambulatorialmente na Unidade de Pesquisa Clínica (UPC) da Disciplina de Moléstias Infecciosas da Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP. Foram coletadas três amostras de swab nasal em dias diferentes em pacientes sem história de internação prévia por até 2 anos antes do início do seguimento. As amostras de S. aureus obtidas da pesquisa de colonização nasal foram genotipadas utilizando-se a técnica de "Pulsed-Fiel Gel Electrophoresis" (PFGE). Potenciais fatores associados com a colonização nasal por S. aureus foram avaliados. Os resultados da Fase I revelaram que os pacientes HIV-positivos apresentaram maiores taxas de IH quando comparados com o grupo de controle. Os pacientes HIV-positivos foram submetidos a maior número de cateteres venosos centrais-dia e sondagens vesicais de demora-dia do que os pacientes HIVnegativos internados na mesma unidade. A localização topográfica mais freqüente foi a ICS e o principal agente etiológico identificado foi o S. aureus. A aquisição de S. aureus em pacientes HIV-positivos foi significantemente maior do que nos demais pacientes. Os resultados da Fase II demonstraram uma taxa de colonização nasal por S. aureus de 63,1% nos pacientes incluídos na pesquisa (70 em 111). Os padrões de colonização identificados foram: a) colonização ausente, com três amostras negativas (36%); b) colonização transitória, com apenas uma amostra positiva (25%) e c) colonização persistente, com duas ou três amostras positivas (39%). Utilizando técnica de PFGE, a colonização persistente foi subcategorizada em: c1) persistente simples, que apresenta o mesmo perfil genômico entre as amostras (24%); c2) persistente múltipla, que apresenta diferentes perfis genômicos entre as amostras (7%) e c3) persistente combinada, que apresenta duas amostras com perfil genômico idêntico e uma amostra com perfil genômico diferente (8%). O fator de risco associado com a colonização nasal por S. aureus foi a classificação clínica e laboratorial de Aids, segundo os critérios do Centers for Disease Control and Prevention (CDC). O uso de antimicrobianos no momento da coleta ou até 6 meses antes foi associado com resultados negativos para a pesquisa de S. aureus. Não foram identificados fatores especificamente associados com os diferentes tipos de Colonização identificados

Abstract: Patients with HIV/AIDS have potentially higher risk for Nosocomial Infection (NI) acquisition comparing other hospitalized groups of patients. In reviewing literature, the most common infection in these patients is the Blood Stream Infection (BSI) and the Staphylococcus aureus is the principal etiologic agent. The present study was developed in two phases. Phase I was developed at the Infectious Diseases Ward (IDW) in the Hospital das Clínicas (HC) from Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) evaluating NI developed among patients who were HIV-positive and comparing to NI developed among patients who were HIV-negative. Phase II objective was to study the S. aureus nasal colonization from HIV-positive outpatients without history of hospitalization within two years before the beginning of the follow-up of this study and was developed at the Unidade de Pesquisa Clínica (UPC) of de Infectious Diseases Department from UNICAMP. Three samples of nares swabs were collected in different days. The DNA profiles of the samples of S. aureus obtained from patients were analyzed by using Pulsed-Field Gel Electrophoresis (PFGE). Potential risk factors associated to the nasal colonization for S. aureus were accessed. Phase I results showed that HIV-positive patients had higher rates of NI than HIV-negative patients. The HIV-patients were more likely to have a central venous catheter or urinary catheter than HIV-negative patients cared for in the same ward. The most frequent NI site was the BSI and the S. aureus was the principal identified etiologic agent. HIV-positive patients were more likely to have S. aureus infection compared to the HIV-negative patients. Results from Phase II detected the presence of S. aureus nasal colonization in 70 of 111 enrolled HIV-patients (63,1%). Nasal colonization for S. aureus were classified as: a) absent: patients having three negative results, in 36% of the cases; b) transient: patients having one positive results, in 25% of the cases; and c) persistent: patients having two or three positive results, in 39% of the cases. By using PFGE, the last category were subdivided into: c1) simple persistent, patients having two or three positive samples with the same DNA profile, in 24% of cases; c2) multiple persistent, patients having positive samples with different profiles, in 7% of cases, and, c3) combined persistent, patients having two positive samples with the same profile and one positive sample with different profile, in 8% of cases. Clinical and laboratorial classification of AIDS, using Centers for Disease Control and Prevention (CDC) criteria, was identified as the risk factor for S. aureus nasal colonization. The antibiotics use at the moment of collection of nasal swab or 6 months before were associated with negative results for S. aureus. No specific risk factors were associated with different types of colonization
Subject: Epidemiologa molecular
DNA - Análise
Infecção - Pacientes - Hospitais
Infecções estafilicocicas
Septicemia
Drogas - Resistência em micro-organismos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: PADOVEZE, Maria Clara. Estudo das infecções hospitalares em pacientes com HIV/AIDS hospitalizados e da colonização nasal pos Staphylococcus aureus em pacientes com HIV/AID não hospitalizados. 2004. 168p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/311065>. Acesso em: 5 ago. 2018.
Date Issue: 2004
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Padoveze_MariaClara_D.pdf5.2 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.