Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311037
Type: TESE
Title: O efeito da reeducação postural global no tratamento da lombalgia durantes a gestação
Title Alternative: Effect of global postural reeducation treatment of lumbar pain during pregnancy
Author: Gil, Vinicius Fernandes Barrionuevo
Advisor: Osis, Maria José Duarte
Abstract: Resumo: A dor lombar é considerada distúrbio comum na população em geral e é queixa frequente durante a gestação. Estudos recentes mostram que aproximadamente 80% das gestantes relatam dores nas regiões lombar e pélvica, sendo que 51% apresentam dor que interfere significativamente em suas atividades físicas e qualidade de vida. Objetivo: Avaliar o efeito da Reeducação Postural Global (RPG) no tratamento da lombalgia durante a gravidez e sua associação com as limitações funcionais das gestantes. Sujeitos e Métodos: Foi realizado um estudo clínico comparativo, de caráter exploratório, em três centros de saúde e um hospital privado na cidade de Campinas, com 34 gestantes nulíparas que apresentavam queixa de dor lombar. As participantes foram alocadas em dois grupos: um deles submetido a sessões de RPG durante oito semanas consecutivas, e o outro seguiu apenas as orientações médicas no pré-natal para controle da dor lombar. A cada sessão de RPG foi avaliada a intensidade da dor através da escala análogo-visual da dor, antes e depois dos procedimentos fisioterapêuticos, e registrada a existência de algum outro tipo de tratamento para a dor lombar. O grupo de controle foi acompanhado pelo mesmo período, com três avaliações (admissão, quatro e oito semanas) sobre a intensidade da dor lombar e as recomendações médicas recebidas. Para os dois grupos foi aplicado o questionário de Roland-Morris para avaliar as limitações funcionais, ao início e ao final do estudo. Foram realizadas análises bivariada e de covariância para avaliar a evolução da intensidade da dor percebida pelas mulheres ao longo do seguimento e sua associação ou não com a realização de RPG e as variáveis de controle. Resultados: No grupo submetido à RPG verificou-se decréscimo estatisticamente significativo na intensidade da dor ao se compararem os momentos antes e depois das sessões; depois de quase todas as sessões a mediana foi igual a zero, e na última sessão a mediana da dor foi zero nos dois momentos. Ao longo do estudo, as mulheres submetidas à RPG tiveram medianas de intensidade da dor e médias do escore de limitações funcionais significativamente menores que as do grupo-controle. A análise de covariância revelou que o tratamento com RPG estava fortemente associado ao menor escore de dor ao final do período de seguimento, além da menor idade das mulheres e o maior escore de dor ao início do estudo. A utilização de medicamentos para dor foi mais frequente no grupo de controle do que entre as mulheres que fizeram RPG. Conclusões: A RPG pode dar uma importante contribuição no tratamento da dor lombar durante a gestação, reduzindo, ao mesmo tempo, as limitações funcionais. Os resultados obtidos sugerem, ainda, que o tempo de tratamento proposto (oito semanas) foi suficiente para o controle da dor lombar, porém, como a observação se limitou ao período de tratamento, não é possível saber por quanto tempo persistiu a remissão da dor

Abstract: Low back pain is considered a common condition in the general population and it is a frequent symptom during pregnancy. Recent studies pointed out that 80% of pregnant women reported low back and pelvic pain, while 51% of them had a pain level that significantly interfered with their physical abilities and quality of life. Objective: To evaluate the effectiveness of Global Postural Reeducation (GPR) in low back pain treatment during pregnancy, its association with pregnancy evolution and pregnant women functional limitations. Subjects and Methods: A clinical comparative and exploratory study was carried out with 34 nulliparous women attended in 3 public health units and 1 private hospital in Campinas. All women were at 20-25 weeks gestation and experiencing low back pain. They were allocated to two groups: 17 women were submitted to 8 GPR weekly consecutive sessions and 17 followed the routine recommendations for treating lumbar pain. In each GPR session the low back pain severity was assessed, before and after procedures. The control group was followed-up for the same period and had 3 low back pain intensity and treatment evaluation sessions (at admission, 4 and 8 weeks). Roland Morris questionnaire was applied to both groups in order to assess functional limitations in the beginning and at the end of follow-up. Results: Women in the GPR group had a significant decrease of low back pain severity, before and after each session. Throughout the study, women in the GPR group had significantly lower pain medians and lower functional limitations score means than women in the control group. Covariance analysis pointed out that GPR treatment was strongly associated to lower perceived pain intensity at the end of the follow-up. (87% versus 12% respectively). Conclusions: GPR can be an effective alternative for treating low back pain during pregnancy, with the advantage of not interfering with the gestational period. GPR can be an important contribution to the low back pain treatment during pregnancy and also it would help to reduce the damage caused by functional limitations. The proposed duration of treatment (8 weeks) was enough for pain control, but as the observation was limited to that period, we can not know for how long the pain remission persisted
Subject: Gravidez
Gestantes
Dor lombar
Fisioterapia
Cuidado pré-natal
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2009
Appears in Collections:FCM - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Gil_ViniciusFernandesBarrionuevo_M.pdf1.4 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.