Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/311012
Type: TESE
Title: Tratamento da incontinencia urinaria de esforço com biofeedback : analise objetiva e impacto sobre a qualidade de vida
Author: Capelini, Maria Viviane Marques Arruda
Advisor: Riccetto, Cássio Luís Zanettini
Abstract: Resumo: De acordo com a Sociedade Internacional de Continência (ICS), a incontinência urinária é o estado no qual a eliminação involuntária de urina se constitui em problema social e de higiêne. A incontinência urinária acomete inúmeras pessoas em todo o mundo, interferindo negativamente na qualidade de vida, em diversos aspectos, como: psicológico; emocional; ocupacional; doméstico e sexual. Apresenta maior prevalência no sexo feminino, sendo sua forma mais comum a incontinência urinária de esforço (IUE). Possui origem multifatorial, muitas vezes relacionada à paridade e, particularmente, ao parto vaginal. O tratamento conservador da incontinência urinária de esforço representa uma alternativa aos procedimentos mais invasivos. Nesse sentido, os exercícios para fortalecimento do assoalho pélvico vêm se constituindo importante recurso terapêutico no tratamento conservador da incontinência urinária de esforço. Este estudo teve por objetivo analisar as alterações nos parâmetros: Pad Test; diário miccional; estudo urodinâmico; e índice de qualidade de vida; em pacientes portadoras de incontinência urinária de esforço, tratadas através de exercícios do assoalho pélvico com biofeedback de eletromiografia de superfície. Foram selecionadas 14 pacientes com diagnóstico de IUE, que realizaram o treinamento durante 12 semanas consecutivas. Os exercícios eram compostos de períodos de contração sustentadas alternados com períodos de relaxamento muscular, e foram executados de acordo com prescrição padronizada para todas as pacientes. Ao término do tratamento, foi solicitado às pacientes que reproduzissem em casa exercícios de manutenção semanais sem supervisão. Os parâmetros objetivos foram analisados em três momentos diferentes: pré tratamento, pós tratamento imediato e após 3 meses após o término do estudo. O parâmetro subjetivo utilizado foi o questionário King¿s Health Questionnaire, para verificar o impacto do tratamento sobre a qualidade de vida. A perda urinária, verificada no Pad Test, variou em média de 14,21g para 1,86g (p< 0,0001). No diário miccional, o número de episódios de perdas em média era de 8,14 diminuiu para 0,43 (p< 0,0001) e a freqüência miccional passou de 7,90 para 5,85 micções por dia (p= 0,0021). Entre os parâmetros urodinâmicos avaliados, a pressão de perda sob esforço evoluiu de 103,93 cmH2O para 142,86 cmH2O (p< 0,0001); e a capacidade cistométrica máxima aumentou de 249,29 ml para 367,86 ml (p=0,0015), com aumento significativo do volume verificado no momento do primeiro desejo miccional (p=0,0056). As diferenças observadas após o término do tratamento mantiveram-se após 3 meses de seguimento. Foi verificada uma associação linear entre os parâmetros Pad Test e pressão de perda sob esforço no período após o tratamento imediato, os quais se apresentaram inversamente correlacionados. Observou-se, também, melhora significativa em todos os domínios do questionário utilizado para avaliação do índice de qualidade de vida após tratamento, exceto no domínio ¿percepção geral da saúde¿, que aborda a saúde em geral, não especificamente relacionada à incontinência urinária. Concluimos que os exercicios de reeducação do assoalho pélvico associados ao biofeedback, aplicados de acordo com o protocolo proposto, determinaram alterações significativas no diário miccional, Pad Test, nos parâmetros urodinâmicos estudados e sobre o índice de avaliação da qualidade de vida, avaliado através de um instrumento validado e adaptado culturalmente para a língua portuguesa. O aprendizado proporcionado pelo biofeedback e pelo treinamento, seguido da manutenção dos exercícios, ainda que sem supervisão, podem ter determinado a manutenção dos bons resultados observados após 3 meses da interrupção do programa de exercícios orientados

Abstract: According to the International Continence Society (ICS), urinary incontinence is a condition in which involuntary urinary leakage causes a social and hygienic problem. Urinary incontinence affects relevant features of the quality of life of many people worldwide, as important as psychological, emotional, occupational, domestic and sexual. It is more prevalent in women and the most common type is stress urinary incontinence (SUI), which has a multifactorial origin that is often related to parity, in particular vaginal birth. Conservative management of stress urinary incontinence is an alternative to the invasive procedures. Exercises that strengthen the pelvic floor are an important therapeutic resource in the conservative treatment of stress urinary incontinence. The purpose of this study was to verify the alterations observed in objective parameters such as urodynamics, 3 days-pad test and bladder diary but also in the Quality of Life Index in women who had performed pelvic floor strengthening exercises using the biofeedback with surface EMG electrodes for 12 weeks. Fourteen patients diagnosed with SUI were selected in accordance with the exclusion and inclusion criteria adopted. They underwent a pelvic floor training period that involved exercises for the pelvic muscles with Biofeedback for 12 consecutive weeks. Muscle contracting and relaxing exercises were prescribed by a physiotherapist. After the end of the protocol, the patients were requested to continue performing the same exercises at home. They also answered a quality of life questionnaire before and after the treatment. The objective parameters were analysed at the end of the treatment and again after three months. Significant improvements were verified among the objective parameters that were assessed. There was a significant reduction in the pad weight (from 14,21 g to 1,00 g, p<0,0001), but also in the number of urinary leakage episodes (from 8,14 per day to 2,57 per day, p<0,0001) and in the daytime frequency (from 7,93 per day to 5,85 per day, p=0,0021) reported in the bladder diary. There were also verified a significative increase in the Valsalva leak-point pressure (from 103,93 cmH2O to 139,14 cmH2O, p<0,0001), in the cistometric capacity (from 249,29 ml to 336,43 ml, p=0,0015) and in the bladder volume related to the first desire to void (from 145 ml to 215,71 ml, p=0,0056). Significant differences observed in relation to the objective parameters were maintained during the 3 months follow up. The King¿s Health Questionnaire was used to assess the quality of life index and also revealed significant differences between the pre and post treatment periods in relation to all the domains, except in the case of ¿general health perception¿, which covered health in general and not just urinary incontinence properly. We concluded that the treatment of SUI with pelvic floor exercises with biofeedback caused significant changes in objetive parameters such as the bladder diary, pad test, and urodynamics but also in the quality of life index assessd using a validated questionnaire. We could suggest that the knowledge about the mechanism of pelvic floor contraction, which was acquired during the pelvic floor exercises with biofeedback could have encouraged the patients to keep in training, leading to the maintenance of the good results three months after the program ended, even without supervision
Subject: Terapia por estimulação elétrica
Incontinencia urinária por estresse
Qualidade de vida
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2005
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Capelini_MariaVivianeMarquesArruda_M.pdf1.31 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.