Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310922
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Qualidade do sono e fadiga em idosos sob tratamento quimioterápico ambulatorial
Title Alternative: Quality of sleep and fatigue in the elderly undergoing chemotherapy
Author: Schlosser, Thalyta Cristina Mansano, 1987-
Advisor: Ceolim, Maria Filomena, 1962-
Abstract: Resumo: Introdução: O envelhecimento traz consigo maior probabilidade de ocorrência de doenças crônicas, entre elas o câncer. Uma importante conseqüência do câncer é a má qualidade do sono, que também é mais freqüente em idosos. Objetivos: Avaliar a relação entre qualidade do sono e fadiga em idosos com diagnóstico de câncer, sob tratamento quimioterápico ambulatorial; identificar a associação entre qualidade do sono e variáveis sócio-demográficas e clínicas. Sujeitos e Métodos: Estudo descritivo, transversal, com amostra não probabilística de 140 idosos (idade média 69,8 anos DP = 6,8; 52,1% eram mulheres; 4,0 anos de estudo em média) desenvolvido em dois serviços especializados de um hospital universitário do interior do estado de São Paulo. Os dados foram coletados por entrevista e consulta aos prontuários, empregando-se os instrumentos: Questionário de Caracterização Sóciodemográfica e Clínica, Índice de Qualidade de Sono de Pittsburgh (PSQI) e Escala de Fadiga de Piper-revisada. Os instrumentos demonstraram consistência interna adequada (coeficiente alfa de Cronbach de 0,71 para o PSQI e de 0,98 para a Escala de Piper), validados no Brasil. As variáveis numéricas apresentavam distribuição diferente da normal (teste de Kolmogorov-Smirnov). Análise: Estatística descritiva; teste do Qui-quadrado para verificar associação entre as categorias de qualidade do sono (boa ou má) e características sócio-demográficas e clínicas; teste de Mann- Whitney para comparar a distribuição das variáveis numéricas em relação às categorias de qualidade do sono, e a distribuição dos escores de qualidade do sono em relação às categorias de variáveis sócio-demográficas e clínicas. Ajustou-se um modelo de regressão logística univariada para avaliar possíveis fatores de risco associados à qualidade do sono (p ? 0,20 na análise bivariada). O valor de p< 0,05 (?=5,0%) foi adotado como nível crítico para todos os testes. Resultados: Observou-se que 62,9% dos idosos apresentavam sono de má qualidade e 37,1%, sono de boa qualidade, de acordo com o PSQI. O escore global médio nesse instrumento foi de 7,7 (DP=4,0), mediana de 7,0, indicativo de sono de má qualidade. Observou-se que 30,7% dos idosos referiam sono noturno de duração inferior a seis horas. Quanto à fadiga, foi relatada por 42,9% dos idosos, sendo o escore mais elevado atribuído à Dimensão Afetiva (média 3,7, desvio padrão 4,3, mediana 0,0). Encontrou-se associação significativa entre má qualidade do sono e: presença de fadiga (p=0,03) e ocorrência de dor (p=0,00). Os idosos com sono de má qualidade referiram dor de maior intensidade (p=0,00) e obtiveram escores significativamente mais elevados (p<0,05) nas dimensões Comportamental e Sensorial/psicológica da escala de fadiga, em relação àqueles com sono de boa qualidade. A análise de regressão logística múltipla revelou que, conforme a intensidade da dor aumenta em um ponto na escala de dor, há um acréscimo de 21% na probabilidade de apresentar sono de má qualidade. Conclusões: Este estudo aponta para a associação entre fadiga, dor e sono de má qualidade em pacientes com câncer, destacando a necessidade de avaliar os mesmos e tratá-los em conjunto, e não isoladamente. Este projeto integra-se à Linha de Pesquisa Processo de Cuidar em Saúde e Enfermagem

Abstract: Introduction: Old age brings greater likelihood of chronic diseases, including cancer. An important consequence of cancer is the poor quality of sleep, which is more common in the elderly. Objectives: To evaluate the relationship between sleep quality and fatigue in elderly patients with cancer diagnosis undergoing outpatient chemotherapy treatment, as well as to identify possible association between sleep quality and clinical and socio-demographic variables. Subjects and Methods: Cross sectional, descriptive study conducted with a non-probability sample of 140 elderly (mean age 69.8 years SD = 6.8; 52.1% female, average schooling of 4.0 years), developed at two specialized cancer services of a university hospital in Southeastern Brazil . Data were collected through interviews and by consulting medical charts, using the instruments: Sociodemographic and Clinical Questionnaire, Pittsburgh Sleep Quality Index (PSQI) and Piper Fatigue Scale-revised. The instruments demonstrated good internal consistency, with Cronbach's alpha of 0.71 for PSQI and 0.98 for Piper Scale. According to Kolmogorov-Smirnov test, continuous variables showed non-normal distribution. Analysis: descriptive statistics; Chi-square test in order to assess the association between categories of sleep quality (good or bad) and socio-demographic and clinical data; Mann-Whitney test to compare the distribution of numerical variables according to categories of sleep quality, and distribution of sleep quality scores according to the categories of socio-demographic and clinical data. A univariate logistic regression model was fit to evaluate possible risk factors associated with sleep quality (p ? 0.20 in bivariate analysis). The value of p <0.05 (? = 5.0%) was adopted as the critical level for all tests. Results: Results show that 62.9% of subjects had poor sleep quality and 37.1%, good-quality sleep, according to the PSQI. Overall mean scores were 7.7 (SD = 4.0), median 7.0, indicating poor sleep quality. It was observed that 30.7% of subjects reported less than six hours of night sleep. Fatigue was reported by 42.9% of the elderly, the highest score assigned to Affective Dimension (mean 3.7, SD 4.3, median 0.0). Significant association was found between bad sleep quality and: fatigue (p = 0.03); pain (p = 0.00). The elderly with poor sleep quality reported greater pain intensity (p = 0.00) and scored significantly higher (p <0.05) in Behavioral and Sensorial/psychological dimensions of Piper Scale, compared to those with sleep good quality. A multiple logistic regression analysis revealed that, as the intensity of pain rises one point on the scale of pain, there is an increasing of 21% in the probability of having poor sleep quality. Conclusions: This study points to the relationship between fatigue, pain and poor sleep quality in cancer patients, stressing the need to evaluate and treat them as a whole. This project is part of the Research Line Process in Health Care and Nursing
Subject: Fadiga
Sono
Câncer
Idosos
Enfermagem
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2011
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Schlosser_ThalytaCristinaMansano_M.pdf2.87 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.