Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310910
Type: TESE
Title: Relação entre doença pulmonar crônica referida, fragilidade e fatores associados em idosos comunitários : dados do FIBRA - Unicamp
Title Alternative: Relation between chronic pulmonary disease self-reported, frailty and associated factors in elderly community : data FIBRA-Unicamp
Author: Stein, Cristiane Serafim, 1970-
Advisor: Guariento, Maria Elena, 1955-
Abstract: Resumo: Introdução: Cresce no Brasil e no mundo a prevalência e o impacto das doenças crônicas não transmissíveis. O rápido envelhecimento da população brasileira está associado a esse crescimento e dificulta a efetiva prevenção e tratamento destas doenças e de suas complicações, levando, consequentemente, à perda de autonomia e de qualidade de vida. Entre essas doenças estão as doenças pulmonares crônicas. Numa projeção para as próximas décadas as doenças pulmonares crônicas estarão entre as cinco principais causas de anos de vida perdidos por morte precoce e por incapacidade. O tabagismo aumenta o risco das doenças pulmonares crônicas no adulto e, sobretudo no idoso agrava as alterações fisiológicas próprias do envelhecimento. Uma vez que a doença pulmonar crônica e o tabagismo participam significativamente de um quadro clínico pior, é interessante estudar sua relação com a síndrome da fragilidade, um evento biológico associado à maior vulnerabilidade de agentes estressores e comprometimento da homeostase, principalmente em faixas etárias mais avançadas. Objetivo: Este estudo objetivou investigar a prevalência de doença pulmonar crônica referida em amostra de idosos comunitários e sua relação com tabagismo, índice de massa corporal, sintomas depressivos e fragilidade e seus indicadores. Métodos: Trata-se de um estudo observacional e transversal, de base populacional, do qual participaram 2.315 idosos, com 65 anos e mais. Os dados foram obtidos em seis cidades brasileiras, localizadas nas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Sul, mediante recrutamento feito em domicílios localizados em setores censitários sorteados ao acaso, conforme plano amostral definido previamente, no período de 2.008 e 2.009. Avaliou-se doença pulmonar crônica referida, tabagismo atual e pregresso, bem como o fenótipo de fragilidade, segundo Fried et al, 2.001, em ambos os grupos (com e sem auto relato de doença pulmonar crônica. Constituíram-se quatro grupos para comparação: com autorrelato de doença pulmonar, com e sem tabagismo, separadamente; e outros dois sem o autorrelato de doença pulmonar, também com a presença ou não de tabagismo. As variáveis categóricas foram submetidas à análise de frequência absoluta e percentual. Para comparação das principais variáveis categóricas foram utilizados os testes de qui-quadrado ou exato de Fisher para valores esperados menores que cinco e o teste de Mann-Whitney para comparação de variáveis numéricas entre dois grupos. Para estudar os fatores associados com a presença de doença pulmonar crônica referida foi utilizada a análise de regressão logística univariada e multivariada, com critério stepwise de seleção das variáveis. Para verificar a associação entre doença pulmonar crônica referida e fragilidade, a variável "doença pulmonar crônica" foi selecionada como variável independente. O nível de significância adotado foi de 5% (p<0,05). Resultados: Dos entrevistados 10,8% referiram doença pulmonar crônica e 43% eram fumantes ou ex-fumantes. Verificou-se associação significativa em relação à doença pulmonar crônica referida e índice de massa corporal (com a condição de baixo peso, p<0,001) e com tabagismo (com os ex-fumantes, p<0,001). A análise de regressão logística para fragilidade mostrou associação com doença pulmonar crônica (p<0,001) e a fragilidade em fadiga também se associou com esta enfermidade (p=0,003). Após análise comparativa entre fragilidade (geral e indicadores) entre os quatro grupos formados da combinação entre doença pulmonar crônica referida e tabagismo, verificou-se maior frequência de fragilidade naqueles com doença pulmonar (com ou sem tabagismo), p= 0,013; maior frequência de fragilidade em fadiga nos com doença pulmonar (com ou sem tabagismo), p=0,006; maior frequência de fragilidade em perda de peso nos tabagistas (com ou sem doença pulmonar crônica); e maior frequência de lentidão na marcha nos com doença pulmonar crônica, não tabagistas, p= 0,013. Conclusão: Nesta amostra de população idosa brasileira com doença pulmonar crônica referida evidenciou-se associação desta com a fragilidade, baixo índice de massa corporal e ao ex-tabagismo. Este achado destaca a relevância de se desenvolverem estudos que permitam esclarecer melhor esta associação, bem como desenvolver estratégias que previnam uma piora do quadro e uma evolução para uma condição de fragilidade e seus conhecidos desfechos

Abstract: Introduction: It grows in Brazil and worldwide prevalence and impact of chronic diseases. The rapid aging of the population is associated with this growth and hinders effective prevention and treatment of these diseases and their complications, leading consequently to loss of independence and quality of life. Among these diseases are chronic pulmonary diseases. In a projection for the next decades the chronic pulmonary diseases will be among the top five causes of years of life lost due to premature death and disability. Cigarette smoking increases the risk of chronic pulmonary diseases in adults and especially in the elderly aggravates the physiological changes of aging. Once the chronic pulmonary diseases and smoking significantly participate in a clinical worst, it is interesting to study its relationship with the syndrome of frailty, a biological event associated with greater vulnerability to stressors and impaired homeostasis particularly in older age groups. Objective: This study aimed to investigate the prevalence of chronic pulmonary disease that in a sample of elderly community and its relation to smoking, body mass index, depressive symptoms and frailty and these indicators. Methods: This is an observational, cross-sectional population-based, which involved 2.315 elderly aged 65 years and older. Data were obtained in six Brazilian cities, located in the North, Northeast, Southeast and South, through recruitment done in households located in census tracts drawn randomly sampling plan as defined previously, between 2.008 and 2.009. It was evaluated that chronic pulmonary disease, former and current smoking, as well as the phenotype of frailty, Fried et al., 2.001, in both groups (with and without self-report chronic pulmonary disease. Four groups were formed for comparison: with self-reported pulmonary disease, with and without smoking, separately, and two others without self-reported lung disease, also with the presence or absence of smoking. Categorical variables were analyzed for absolute frequency and percentage. To comparison of the major categorical variables were used chi-square or Fisher exact test for expected values less than five and the Mann-Whitney test for comparison of numerical variables between two groups. To study the factors associated with the presence of chronic pulmonary disease such analysis was used for univariate and multivariate logistic regression with stepwise selection criterion variables. To investigate the association between chronic pulmonary disease and frailty the variable "chronic pulmonary disease" was selected as the independent variable. The significance was 5% (p <0.05). Results: 10.8% reported chronic pulmonary disease and 43% were smokers or former smokers. There was a significant association in relation to chronic pulmonary disease self-reported and the condition of pre-frailty and frailty (58.4% and 9.2% respectively, p = 0.003) and weakness in fatigue (27.8%, p = 0.002). After comparative analysis of frailty (general and indicators) among the four groups formed from the combination of smoking and chronic pulmonary disease self-reported, there was a higher frequency of frailty in those with chronic pulmonary disease (with or without smoking), p = 0.013; higher frequency of frailty in fatigue in those with chronic pulmonary disease (with or without smoking), p = 0.006; higher frequency of frailty in weight loss in smokers (with or without chronic pulmonary disease) and higher frequency of slow march with the chronic pulmonary disease, nonsmokers, p = 0.013. Conclusion: In this sample of Brazilian elderly population with chronic pulmonary disease that showed up this association was with the frailty, low body mass index, former smoking. This finding highlights the importance of developing studies to clarify this association, as well as develop strategies to prevent a worsening of symptoms and a trend for a condition known frailty and its outcomes
Subject: Doença crônica
Pneumopatias
Idoso fragilizado
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2012
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Stein_CristianeSerafim_M.pdf1.48 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.