Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310907
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Fatores biopsicossociais no envelhecimento e percepção da qualidade de vida do idoso
Title Alternative: Biopsychosocial factors associated with ageing and elders perception of life quality
Author: Alberte, Josiane Souza Pinto
Advisor: Guariento, Maria Elena, 1955-
Abstract: Resumo: Em vista da relevância que adquire o parâmetro qualidade de vida entre os indivíduos que estão envelhecendo, desenvolveu-se este trabalho que tem por objetivo avaliar e comparar os fatores que interferem na percepção da qualidade de vida (PQV) de dois grupos distintos de idosos que requerem um suporte institucional de duas instituições diferentes. Foram avaliados cento e seis pacientes entre sessenta e oitenta anos de ambos os sexos. Entre esses, 48 eram acompanhados no Ambulatório de Geriatria (AG) do Hospital de Clínicas da Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP. O outro grupo constituiu-se de 58 sujeitos do Grupo da Terceira Idade do Serviço Social do Comércio (SESC) de Campinas. Os instrumentos utilizados foram: ficha de avaliação de dados sócio-demográficos, prática de atividade física, doenças / estados mórbidos, número de medicamentos e fatores estressantes auto-relatados, bem como a percepção da qualidade de cada um dos ciclos de vida (infância, adolescência, idade adulta e velhice); International Neuropsychiatric Interview (MINI); questionário de qualidade de vida - WHOQOL-bref. Os resultados mostraram que a melhor percepção da qualidade de vida no domínio físico relacionou-se à prática de atividade física, ao não relato de dores, referência à boa infância e boa velhice, uso regular de menor quantidade de medicamentos. No domínio psicológico os idosos com melhor avaliação da qualidade de vida foram os que não apresentavam transtorno distímico, relatavam boa adolescência e velhice, usavam menor número de medicamentos e se consideravam felizes. No domínio social, a maior pontuação para qualidade de vida relacionou-se a: considerar-se feliz, não ter evidência de hipomania, negar solidão como evento estressante e referir boa adolescência. Quanto ao domínio ambiental, a referência à melhor qualidade de vida associou-se a: referir boa infância e velhice, maior nível de escolaridade e negar doença como evento estressante. Esses achados abrem para uma nova avaliação dos conceitos atuais sobre a velhice e processo de envelhecimento considerando-se os fatores que se associam a uma melhor percepção da qualidade de vida entre os idosos. Nesse estudo, verificou-se que a percepção da qualidade dos ciclos de vida, o uso de medicamentos, a prática de atividade física, a evidência de distimia e hipomania, o nível de escolaridade e a referência a dores, solidão e doença como eventos estressantes tinham interferência na percepção da qualidade de vida dos idosos avaliados

Abstract: Considering the relevance of life quality among aging individuals, this study has been developed with the aim to compare factors that interfere with the perception of lifequality (PLQ) between two distinct groups of elderly requiring the support of two different institutions. One hundred and six pacients have been assessed between ages sixty and eighty of both sexes. Among these, forty eight were followed closely by the Geriatric Ambulatory of the Hospital das Clínicas at the Faculty of Medical Sciences - UNICAMP. The other group consisted of fifty eight subjects from the group of elderly of the Serviço Social do Comércio (SESC) from Campinas. The instruments used were: a valuation card of sociodemographic data, ie, physical activity, diseases/morbid states, number of medicines taken, stress factors, as well as the perception of their life quality in each of the cycles of life, such as infancy, adolescence, adulthood and old age; The International Neuropsychiatric Interview (MINI); questionnaire on life quality - WHOQOL - BREF. The results showed that the best perception of quality of life in the physical domain were related to physical activity and absence of pain, a good activity and good age, regular minor use of medication. In the psychological area of the elderly, the best life quality valuation was of those who did not present distimic disorder, reported a happy adolescence and old age, used less medication, and considered themselves happy. In the social sphere the best valuation of life quality was related to considering oneself as happy, presenting an absence of hipomania, no stress on account of loneliness, a good adolescence. As for the environmental domain, the best quality of life was associated with a good childhood and old age, a higher level of education, no disease as stressful event. These findings lead to a new appraisal of the concepts on old age and the aging process, considering the possibilities associated with a better life quality for the elderly. In this study the perception of the life cycles'quality, the use of medication, physical activity, evidence of distimia and hipomania, level of education, reference to pains, solitude and disease as stressful events, interfered with the life quality of the valuated elderly
Subject: Idosos
Condições sociais
Atividade física
Saúde mental
Estágios do ciclo de vida
Comorbidade
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2009
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Alberte_JosianeSouzaPinto_D.pdf6.05 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.