Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310870
Type: TESE
Title: Centro de Convivência e Cultura e suas repercussões na vida de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial
Title Alternative: The Cultural and Social Centers and their influence on the lives of people with mental disorders
Author: Ferreira, Priscila Helena Rubin
Advisor: Françozo, Maria de Fátima de Campos, 1954-
Frnaçozo, Maria de Fátima de Campos
Abstract: Resumo: Os Centros de Convivência e Cultura (CECOs) são dispositivos públicos componentes da rede de atenção substitutiva em saúde mental brasileira, onde são oferecidos às pessoas espaços de sociabilidade, produção e intervenção na cidade. Nestes locais, pessoas de uma determinada comunidade têm a liberdade de se reunir livremente, com a finalidade de se socializarem e, através deste contato, construírem juntas, espaços de trabalho, lazer, cultura, saúde, entretenimento, inclusão social, discussões e posicionamentos sobre problemas de sua comunidade. Os CECOs estão associados ao Projeto da Reforma Psiquiátrica, uma vez que surgiram como alternativa de socialização de pessoas com transtornos mentais. Surgida na Europa e América do Norte, nas décadas de 1960 e 70, a Reforma Psiquiátrica é processo político e social complexo, composto de atores, instituições e forças de diferentes origens, que pretende construir um novo estatuto social para o doente mental, que lhe garanta cidadania, respeito a seus direitos à sua individualidade e sua convivência com a sociedade. No Brasil, este processo se iniciou em meados de 1978, com o Movimento Sanitário que dá origem à implantação do Sistema Único de Saúde (SUS) do país, em 1988 e propicia a criação de uma Rede de Atenção à Saúde Mental. Esta pesquisa foi construída em meio ao contexto exposto acima, tratando-se de uma pesquisa qualitativa, através da qual se pretendeu investigar, mediante a realidade atual dos CECOs, como estes espaços têm modificado a vida de pessoas com transtornos mentais e de seus familiares. Para tanto, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com cinco usuários de um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), acometidos de transtornos mentais, que participam do Centro de Convivência Tear das Artes e um de seus respectivos familiares. As entrevistas foram transcritas e seu conteúdo, categorizado e analisado. Como principais resultados, constatou-se que segundo a percepção dos entrevistados, o CECO é um espaço que pode propiciar a inclusão e participação social das pessoas com transtornos mentais através das atividades desenvolvidas no local, em conjunto com pessoas da comunidade. As atividades que permitem livre expressão dos usuários foram valorizadas nos depoimentos. Constatou-se também que as famílias e os próprios usuários têm dificuldades e enfrentam preconceitos para lidar com a doença mental e neste sentido, a participação no CECO pode ser a oportunidade para lidar com a situação

Abstract: The Culture and Social Centers (CECO) are public components of substitute care network in Brazil's Mental Health System, which offers to people spaces of sociability, production and intervention in the city to the public. In these places, people in a community have the freedom to get together in order to socialize and, through this contact, build together, work, leisure, culture, health, and entertainment spaces, social inclusion, discussions and positions on problems in their community. The Culture and Social Centers are associated with the design of the Psychiatric Reform, since they emerged as an alternative for the socialization of people with mental disorders. Emerging in Europe and North America in the 1960s and 70s, the Psychiatric Reform is a political and social complex process, composed of actors, institutions and forces of different origins, which intends to build a new social status for the mentally ill, which guarantees citizenship, respect for their rights to their individuality and their interaction with society. In Brazil, this process began in mid-1978, with the Sanitary Movement that gave rise to the implementation of the Unified Health System (SUS) in the country in 1988 and promotes the creation of a Network of Mental Health Care. This research was carried out within this aforementioned context, addressing the current reality of CECOs. It aimed at understanding how these spaces have transformed the lives of people with mental disorders and those of their families. It was a qualitative investigation. Semi-structured interviews were used to collect data. The participants were five users with mental disorders who participate in a CECO and one of his or her relatives. The interviews were taped, transcribed and their content was analyzed. As part the main results, this research indicated that, according to the perception of the participants, the CECO is a space that can foster social inclusion and participation of people with mental disorders through the activities undertaken at the site, together with the community in which it is inserted. The participants valued the activities that give rise to their free expressions, to their subjectivity. This research also showed that families and the users themselves have difficulty in dealing with the prejudice related to mental illness and in this sense participation in CECO can be an opportunity to demystify the situation
Subject: Saúde mental
Reforma psiquiátrica
Centro de Convivência e Cultura
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FCM - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Ferreira_PriscilaHelenaRubin_M.pdf1.98 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.