Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310805
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Investigação da motilidade gastrintestinal e de sua relação com características clínicas, psicológicas e nutricionais em pacientes com diabetes mellitus tipo 1
Title Alternative: Assessment of gastrointestinal motility and its relationships with clinical features and psycological and nutritional factors in patients with type 1 diabetes
Author: Cunha, Mariza Faria, 1979-
Advisor: Mesquita, Maria Aparecida, 1956-
Abstract: Resumo: Os objetivos deste estudo foram investigar a motilidade gastrintestinal e a sensibilidade gástrica em pacientes com diabetes mellitus tipo 1 (DM1), e as relações desses fatores com sintomas gastrintestinais, infecção pelo Helicobacter pylori, controle glicêmico, e características psicológicas e nutricionais desses pacientes. Foram estudados 33 pacientes com DM1 com idade média de 39 ± 9 anos, sendo 26 do sexo feminino e 7 do sexo masculino. O tempo desde o diagnóstico do diabetes era de 23±7 anos. Um questionário padronizado foi usado para obter informações sobre dados sóciodemográficos e presença de sintomas gastrintestinais. Foram também registrados os dados laboratoriais e os dados referentes às complicações do diabetes, incluindo a neuropatia periférica. O controle glicêmico foi avaliado de acordo com os valores da hemoglobina glicada (HbA1c). A avaliação nutricional foi realizada através de antropometria e inquéritos alimentares (registro alimentar de 3 dias e questionário de frequência alimentar). A presença de ansiedade e depressão foi avaliada pela Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (HAD). Os pacientes foram submetidos ao exame de endoscopia digestiva alta, com biópsias gástricas para a pesquisa do Helicobacter pylori e biópsias duodenais para a pesquisa de doença celíaca. O esvaziamento gástrico e a distribuição intragástrica de uma refeição sólida foram avaliados pela cintilografia gástrica. O estudo do tempo de trânsito orocecal (TTOC) foi realizado pelo teste do H2 expirado com lactulose. A sensibilidade gástrica foi avaliada pelo teste de saciedade com água. Nossos resultados mostraram a presença de sintomas gastrintestinais em 75,7% dos pacientes, ansiedade e/ou depressão em 61,3% e infecção pelo H. pylori em 34,4%. Houve uma associação estatisticamente significativa entre sintomas gastrintestinais e ansiedade e/ou depressão. O valor médio da HbA1c foi 9,1±1,7%, indicando controle glicêmico inadequado no grupo estudado. A avaliação dos dados do IMC mostrou que 43,3% dos pacientes estava com sobrepeso e 3,3% eram obesos. Por outro lado, a avaliação dos outros parâmetros antropométricos mostrou que 15% dos pacientes apresentavam-se desnutridos ou com risco nutricional. Além disso, foi observado que a dieta de muitos pacientes era deficitária em termos de consumo calórico e de vitaminas e sais minerais. Entre os pacientes com DM1, 37,9% apresentaram esvaziamento gástrico lento e 30,8% prolongamento do TTOC. Não houve correlação entre os valores do TTOC e do T½ do esvaziamento gástrico. A análise da distribuição intragástrica demonstrou que o esvaziamento gástrico lento estava relacionado com uma maior retenção do conteúdo gástrico no compartimento proximal. Não houve diferença entre os pacientes com DM1 e o grupo-controle quanto aos parâmetros avaliados no teste da saciedade com água. Entretanto, dentro do grupo de pacientes diabéticos, aqueles que apresentavam esvaziamento gástrico mais prolongado ou maiores valores nos escores de ansiedade/depressão apresentaram aumento na sensibilidade gástrica em relação aos outros pacientes do grupo. A ansiedade e depressão ainda estavam relacionadas com a presença de sintomas gastrintestinais, pior controle glicêmico e diminuição da ingestão calórica. Não houve relação entre ansiedade/depressão e alterações no esvaziamento gástrico ou no TTOC. Nenhum dos parâmetros avaliados estava associado com a infecção pelo H. pylori ou com a presença de neuropatia periférica. Nesse estudo também não houve evidência de associação do esvaziamento gástrico lento com a presença de sintomas gastrintestinais, controle glicêmico, consumo energético ou parâmetros nutricionais. Por outro lado, os valores de todos os parâmetros antropométricos estavam significativamente diminuídos nos pacientes com TTOC prolongado, indicando que essa anormalidade afeta negativamente o estado nutricional dos pacientes com DM1. Em conclusão, os resultados desse estudo demonstraram uma interação complexa entre sintomas gastrintestinais, controle glicêmico, alterações motoras e sensoriais, fatores psicológicos e fatores nutricionais em pacientes com DM1, com destaque para a presença de ansiedade e depressão como ligação entre vários desses parâmetros. Nossos dados também reforçam a necessidade de uma abordagem mais abrangente e efetiva dos aspectos psicológicos e nutricionais nesses pacientes

Abstract: The aim of this study was to assess gastrointestinal motility and gastric sensitivity in long-standing type 1 diabetes mellitus (DM1) patients, and the relationships of these factors with gastrointestinal symptoms, Helicobacter pylori infection, glycemic control, and psychological and nutritional features. Thirty-three type 1 DM patients, mean age of 39 ± 9 years, 26 females and 7 males, were included. Diabetes duration was 23±7 years. A standardized questionnaire was used to obtain information about sociodemographic data and chronic GI symptoms. Laboratory data and parameters related to DM complications, including peripheral neuropathy, were recorded. Glycemic control was assessed by glycated hemoglobin (HbA1c). Nutritional evaluation was performed by the assessment of anthropometric indices and from the data of the three-day food diary and food frequency questionnaire. The presence of anxiety and depression was assessed by the Hospital Anxiety and Depression scale. During endoscopy gastric and duodenal biopsies were taken for the assessment of H. pylori infection and celiac disease. Gastric emptying and intragastric distribution of a solid meal were evaluated by scintigraphy. The lactulose hydrogen breath test was used to determine OCTT. Gastric sensitivity was assessed by the water load test. Our results im DM1 showed gastrointestinal symptoms in 75.7%, H. pylori infection in 34.4% and anxiety and/or depression in 61.3%. There was a statistically significant association between gastrointestinal symptoms and anxiety/depression. Mean HbA1c was 9.1±1.7%, indicating poor glycemic control in our study group. According to BMI, 44.6% of DM1 were overweight or obese. On the other hand, the analysis of the other anthropometric parameters showed malnutrition or risk of malnutrition in 15% of DM1. In addition, many patients have diets deficient in calories, vitamins, and minerals. Delayed gastric emptying was found in 37.9% and prolonged OCTT in 30.8% of patients. No significant correlation was found between OCTT and T½ values. Intragastric distribution analysis showed that delayed gastric emptying was related to increased proximal retention of the meal. The assessment of gastric sensitivity by the water load test showed no difference between type 1 DM patients and controls. However, within the patients group increased gastric sensitivity was associated with delayed gastric emptying and also with anxiety/depression. Anxiety and depression were also linked to gastrointestinal symptoms, poorer glycemic control and reduced caloric intake. There was no evidence of a relationship between anxiety/depression and delayed gastric emptying or prolonged OCTT.None of the above parameters were related to H. pylori infection or peripheral neuropathy. We found no evidence of association between delayed gastric emptying and gastrointestinal symptoms, glycemic control, caloric intake or nutritional parameters. In contrast, the values of all anthropometric parameters measured in the present study were significantly decreased in patients with prolonged OCTT, indicating that this abnormality may have a negative effect on nutritional status in type 1 DM. In conclusion, our results showed a complex interaction between gastrointestinal symptoms, glycemic control, upper gastrointestinal sensory-motor dysfunction, and psychological and nutritional factors, in which anxiety and depression appear to play a special role, since these disturbances were linked to several of the above parameters. Our results reinforce the need for a more effective and comprehensive approach to the psychological and nutritional features in these patients
Subject: Diabetes mellitus tipo 1
Esvaziamento gástrico
Transito gastrointestinal
Avaliação nutricional
Ansiedade
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Cunha_MarizaFaria_D.pdf3.46 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.