Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310612
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Sepse e choque septico em crianças em Unidade de Terapia Intensiva : epidemiologia e fatores de risco para obito
Author: Sentalin, Priscilla Bueno Rocha
Advisor: Tresoldi, Antônia Teresinha, 1951-
Abstract: Resumo: A presença freqüente da sepse na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIP), seu tratamento agressivo e sua elevada mortalidade foram o marco inicial deste estudo, cujo objetivo foi descrever a sepse em crianças admitidas em UTIP, analisando o perfil epidemiológico, clínico e laboratorial das crianças no momento da internação e as condutas terapêuticas utilizadas no tratamento das mesmas. O estudo foi baseado na análise retrospectiva dos prontuários das crianças internadas na UTIP do Hospital das Clínicas da Unicamp, no período de janeiro de 1.996 a dezembro de 2.000, com hipóteses diagnósticas iniciais de sepse, síndrome da resposta inflamatória sistêmica e choque séptico. Os dados dos pacientes foram analisados a partir de uma ficha, constando parâmetros epidemiológicos, clínicos e laboratoriais no intervalo das primeiras 24 horas de admissão na unidade, o tratamento realizado durante todo o tempo de internação e a evolução dos mesmos para óbito ou alta. Realizou-se a análise estatística de regressão logística, através das variáveis epidemiológicas, clínicas e laboratoriais. Os resultados demonstraram que a maioria das crianças internadas era lactente, eutrófica, advinda do domicílio, e tendo como principais queixas febre, diarréia, dispnéia e alteração do nível de consciência. Apresentavam tratamentos prévios, como antibioticoterapia e intubação. A maioria dos pacientes fez uso de ventilação mecânica e acesso venoso central logo após a admissão na unidade, bem como a antibioticoterapia empírica. Em 32% dos pacientes foi possível identificar o agente causador da sepse. A análise estatística de regressão logística univariada evidenciou como fatores de risco para óbito a origem não domiciliar da sepse e o antecedente de doença de base; o ¿aspecto de choque¿, a presença de hipotensão e a alteração do nível de consciência; a plaquetopenia, a hipoxemia e valores elevados de lactato sérico. A análise multivariada, apresentou como mais significativos fatores de risco de óbito por sepse, para as crianças internadas na UTIP, a presença de plaquetopenia, o antecedente de doença de base e o ¿aspecto de choque¿. A taxa de mortalidade das crianças internadas na UTIP com sepse foi de 39%, sendo que, destes, 41,9% tinham menos de 48 horas de internação. A mortalidade permanece elevada, com pacientes admitidos já em extrema gravidade. Os fatores de risco relacionados ao mau prognóstico estão vinculados à gravidade do caso (plaquetopenia, hipotensão, hipoxemia, aspecto clínico de choque) e à presença de doença de base

Abstract: This study has started because of the frequent presence of sepsis in the Pediatric Intensive Care Unit (PICU), its aggressive treatment and the high death levels involved. The objective of the study was to describe the sepsis in children from the PICU, analyzing their epidemiological, clinical and laboratorial profile in the moment of admission and their following up. The study was based in the analysis of the charts from Clinical Hospital of Universidade Estadual de Campinas¿ PICU patients admitted from January, 1996 until December, 2000. All the chosen patients had sepsis, systemic inflammatory response syndrome or septic shock as the admission diagnosis hypothesis. The patients¿ data were analyzed based on a card, which had epidemiological, clinical and laboratorial parameters from the first 24 hours of the admission, as well as the following up and the evolution to discharge or death. A statistical analysis of logistic regression was performed based on epidemiological, clinical and laboratorial parameters. The results have shown that the majority of the admitted children was infant, healthy, came of domiciliary, and had already had previous treatments, such as antibiotic therapies and intubations. The most frequent symptoms and signs were fever, dispnea, diarrhea and altered mental status. The majority of the pacients needed antibiotic therapy, mechanical ventilation and central venous access as soon as they were admitted in the PICU. The bacterial etiologies were identified in 32% of the patients. The univariate logistic regression analysis has identified the following death risk factors: the not-domiciliary origin of the sepsis, underlying disease, aspect of the shock, the presence of hypotension, altered mental status, thrombocytopenia, hypoxemia and hyperlactatemia. The multivariate analysis has identified the following independent death risk factors: thrombocytopenia, underlying disease and aspect of the shock. The rate of mortality was 39%, and 41,9% of them had less 48 hours of admission. The mortality stays high and patients are still admitted on severe illness. Risk factors to poor prognosis are depending on the severity of individual instance of illness (thrombocytopenia, hypotension, hypoxemia, aspect of the shock) and presence of underlying disease
Subject: Septicemia nas crianças
Infecção em crianças
Mortalidade infantil
Unidade de tratamento intensivo
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2003
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Sentalin_PriscillaBuenoRocha_M.pdf766.44 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.