Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310548
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: A psicologia no projeto PAIDEIA, do consultorio ao territorio? : os psicologos e a politica de saude mental da Secretaria Municipal de Saude - Campinas
Author: Sombini, Carolina Helena Almeida de Moraes
Advisor: Cecilio, Luiz Carlos de Oliveira, 1950-
Abstract: Resumo: A Secretária Municipal de Saúde de Campinas está investindo, desde 2001, na implantação de um modelo assistencial, o PAIDÉIA. Dentro dele a política de saúde mental assume características muito marcantes, na lógica da territorialidade, desinstitucionalização, responsabilização, vínculo, acolhimento, assistência em rede e ações intersetoriais, na qual as famílias de um determinado território tomam-se responsabilidade de uma equipe de saúde. Esta política resulta, como era de se esperar, em forte impacto sobre os processos de trabalho dos psicólogos inseridos em Centro de Saúde, freqüentemente indo de encontro às suas representações e identidade profissional. Essa investigação foi um esforço de caracterizar como estes profissionais têm se posicionado diante da política de saúde mental do município e como vêm os impactos sobre suas práticas concretas. O presente trabalho teve por objetivo geral caracterizar as representações dos psicólogos da rede municipal de saúde de Campinas perante as diretrizes de saúde mental do município; e, específicos: caracterizar os atributos da política de saúde mental de Campinas; descrever como os psicólogos pensam a sua prática cotidiana; e verificar o que o psicólogo percebe como mudança em suas práticas com a implantação do PAIDÉIA. Utilizou-se a metodologia qualitativa, através de entrevistas com 15 dos 20 psicólogos inseridos na rede municipal antes de 2001. A análise dos textos dos entrevistados foi feita a partir de uma interpretação hermenêutica-dialética, que levou a algumas conclusões que apontam caminhos para se pensar a inserção do psicólogo no projeto de Saúde Mental em Campinas. A partir de uma diretriz institucional, que pressiona para a mudança da prática do psicólogo, no CS, inicia-se um processo dialético, do qual fiz escuta e de onde surgem algumas questões: o psicólogo, ao colocar-se enquanto apoiador matricial da equipe de saúde inicia, a partir de uma mudança no seu processo de trabalho, a possibilidade de construção de uma clínica mais consistente e resolutiva, ao mesmo tempo em que auxilia a ampliação da clínica de outros profissionais; o matriciamento pode se dar através de uma lógica auto-referente ou compartilhada, dependendo de seu posicionamento dentro da equipe de PSF. Existe uma resistência por parte desses profissionais em alterarem a prática de atendimentos em consultório, o que é, de certa forma, sentido como uma ameaça de destruição de seu núcleo profissional, compreendido como sinônimo de psicoterapia; o número de profissionais não aumentou na mesma proporção que a demanda com necessidade de atenção em saúde mental; existe uma dificuldade dos outros profissionais entenderem o projeto e assumirem a nova proposta da Saúde Mental; a relação entre gestores e trabalhadores é marcada pela tensão e sensação de abandono em função das dificuldades do projeto; a formação não prepara o psicólogo para a realidade do serviço público; são descritas experiências inovadoras que ocorrem a partir da inserção do psicólogo na equipe de saúde da família

Abstract: Since 2001, the Health Department of the City of Campinas has invested in the deployment of an assistential model known as Paidéia. Within this model the mental health policy assumes relevant features concerned with the logic of territoriality, disinstitutionalization, responsibilization, entailment, sheltering, network assistance and intersectorial actions where the families belonging to a certain territory grow into being the responsibility of a certain health team. As expected, this policy results in a remarkable impact on the working process of the psychologists who are introduced to a Health Center, which is often in shock against its representations and professional identity. This investigation stands for an effort to characterize how those professionals have positioned themselves before the mental health policies in the city and how they understand the impacts on their concrete practices. The general objective ofthis work was to characterize the representations which were taken by the psychologists of the health network in the city of Campinas in relation to the municipal mental health guidelines. The specific objectives were to: characterize the attributes related to the Campinas mental health policy; describe how the psychologists think over their daily practices; and check what is perceived by the psychologists as being a change in their practices through the deployment of Paidéia. A qualitative-basis methodology was used by means of interviews with 15 from among the 20 psychologists inserted in the municipal network before 2001. The text yielded by the interviewees was analysed having an hermeneutic-dialectical interpretation as a starting point. This led to a few conclusions which point out to some ways of thinking the insertion of psychologists in the Campinas mental health project. Starting IToman institutional guideline which forces the change in the practices of the psychologist in the Health Center, a dialectical process begins. I listened to this process and there from some issues arise: as the psychologists position themselves as matricial helpers - starting from a change in their working processes - within the health team, they leverage the possibility of construction of a more consistent and resolutive clinic and, at the same time, help to widen the clinic scope of other professionals; the matricing process may occur through either a self-referenced or a shared logic, depending upon the positioning within the Health Family Program; these professionals are somehow resistant to alter the consulting office practice. To a certain extent, this is felt as a threat of destruction of their professional core - if understood as a synonym for psychotherapy; the number of professionals has not increased in the same rate as it has for the demand with a mental health attention necessity; there is a difficulty on part of the other professionals on understanding the project and taking up the new mental health proposal; the relation among managers and workers is highlighted by the tension and by the sense of abandonment concerned with the project difliculties; the formation does not prepare the psychologist for the public health reality; new innovative experiences which occur from the insertion of the psychologist in the family health team are described.
Subject: Saúde pública
Saúde mental
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2004
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Sombini_CarolinaHelenaAlmeidadeMoraes_M.pdf14.78 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.