Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310430
Type: TESE
Title: Caracterização de quedas em idosos residentes na comunidade na estrategia saude da familia
Title Alternative: Falls characterization in community-dwelling elderly persons in Family Health Strategy.
Author: Ikuta, Yuji Magalhães
Advisor: Costallat, Lilian Tereza Lavras, 1952-
Abstract: Resumo: O envelhecimento populacional é um fenômeno de amplitude mundial. A ONU considera o período de 1975 a 2025 como a ¿era do envelhecimento¿. As quedas constituem grave problema de saúde pública com conseqüências para a saúde do idoso, como hospitalização e morte. Assim, torna-se imprescindível o cuidado à pessoa idosa na atenção básica que é a porta do sistema de saúde. Este estudo teve como objetivos determinar a prevalência de quedas e caracterizar os fatores de risco domiciliares e o perfil sócio-demográfico dos idosos. Foi realizado um estudo transversal analítico com uma amostra de 2.080 idosos com idade igual ou superior a 60 anos, adscritos às Unidades de Saúde da Família do município de Amparo, São Paulo. Foram excluídos os idosos acamados e com déficit cognitivo. A coleta de dados foi efetuada mediante a aplicação de questionário, durante a visita domiciliar, com variáveis sócio-demográficas, história de quedas e fatores de risco domiciliares. Os dados foram distribuídos, analisados e comparados com os testes Qui-quadrado, Mann-Whitney e Odds ratio. Adotou-se como nível de significância p<0,05 com IC de 95%. Dos idosos incluídos, 26,88% referiram quedas, sendo que 60,46% relataram uma queda e 39,53% mais de uma queda. As variáveis sócio-demográficas associadas, estatisticamente, com quedas foram o convívio com não familiares com 2 vezes maior chance para quedas, seguido de analfabetismo com uma probabilidade 1,81 vez maior, sexo feminino com risco 1,74 vez aumentado, faixa etária acima de 70 anos com 1,58 vez maior risco, morar sozinho com uma chance 1,44 vez superior, estado civil não casado com 1,37 vez maior risco, renda de 0 a menos de 3 salários mínimos com uma probabilidade 1,34 vez maior e IMC abaixo de 30 (p=0,0317). Com relação à história de quedas, 81,40% sofreram de 1 a 3 quedas, o período de maior ocorrência foi de dia (82,52%). O idoso apresenta uma probabilidade 4,5 vezes maior para cair quando está andando e 1,63 vez maior chance para cair no próprio domicílio, principalmente no quintal. O número de fatores de risco no domicílio não apresentou relação significativa com a prevalência de quedas. Os fatores de risco domiciliares com significativa associação estatística com a ocorrência de quedas foram os brinquedos espalhados no chão, com chance 1,57 vez maior para quedas nos domicílios que os apresentam, sapatos, revistas e objetos espalhados no chão com uma probabilidade de quedas 1,43 vez aumentada. Os idosos que apresentam fatores de risco domiciliares possuem uma chance 2,2 vezes maior de cair quando comparados àqueles que não nenhum fator de risco. Portanto, sabendo que a ocorrência de quedas resulta em diversas conseqüências á saúde do idoso com comprometimento de sua qualidade de vida e capacidade funcional, ressalta-se a importância da realização de políticas públicas com maior incentivo a Estratégia Saúde da Família para atuar na prevenção, tratamento e recuperação do idoso com história de queda e no manejo dos fatores de risco para a manutenção da autonomia e independência, em todas dimensões de sua saúde, em sua família e em sua comunidade

Abstract: community and to determine home hazards associated to fall and to describe the social-demographic profile of studied seniors. The developed research was transverse analytical type, involving 2080 elderly (with 60 years or more) living in a community in the Family¿s Units Health of the municipal district of Amparo (SP). The bedridden seniors and elderly with cognitive deficit were excluded. The data were collected by the application of an interview protocol, containing social-demographic variables, history of falls and risk factors for fall in the home. The data were distributed, analyzed and compared with the tests Qui-square, Mann-Whitney and Odds ratio. It was adopted as level of significance 5% or p <0,05 with IC of 95%. Among the studied seniors, 26,88% referred falls. In the midst with falls, 60,46% related one fall and 39,53% more than one fall. Statistical association existed between the occurrence of falls and the variables: conviviality with no family in the home with 2 times larger chance for falls, following by illiteracy with a probability 1,81 time larger, feminine sex with risk 1,74 time increased, age group above 70 years with 1,58 time larger risk, to live alone with a chance 1,44 time superior, no married marital status with 1,37 time larger risk, low wage (less than 3 minimum wages) with a probability 1,34 time larger and IMC below 30 (p=0,0317). Regarding the history of falls, 81,40% suffered from 1 to 3 falls, the period of larger occurrence was in the daytime (82,52%). Elderly presents a probability 4,5 times larger to fall when he is walking and 1,63 time larger chance to fall in the own home, mainly in the back yard. The number of environmental risk factors for falls in the home didn't present significant relationship with the prevalence of falls. The home risk factors with significant statistical association with the occurrence of falls were the dispersed toys in the ground, with a chance 1,57 time larger for falls and shoes, magazines and other dispersed objects in the ground of the home with a probability of falls 1,43 time increased. Elderly that present home risk factors have a chance 2,2 times larger of falling when compared to those that have no factor of home environmental risk. Therefore, the occurrence of falls results in several consequences for the senior's health with compromising of his life quality and functional capacity. The importance of the accomplishment of public politics is emphasized with larger incentive to the Primary Care, to act in the prevention, treatment and the senior's fall victim recovery and in the handling of the risk factors for the maintenance of the autonomy and independence, in all dimensions of his health, in his family and community
Subject: Acidentes por quedas
Fatores de risco
Idosos
Familia - Saúde e higiene
Prevenção
Promoção da saúde
Saúde do idoso
Qualidade de vida
Autonomia pessoal
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2007
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Ikuta_YujiMagalhaes_M.pdf2.07 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.