Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310237
Type: TESE
Title: Analise dos fatores morfologicos que influenciam a evolução dos pacientes apos operação de reconstrução geometrica do ventriculo esquerdo
Title Alternative: Analysis of the morphologic factors that influence clinical outcome of patients after geometric left ventricular
Author: Ribeiro, Gustavo Calado de Aguiar
Advisor: Franchini, Kleber Gomes, 1961-
Abstract: Resumo: A insuficiência cardíaca é um dos maiores problemas de saúde publica da atualidade. Esforços têm sido feitos para a obtenção do entendimento dos mecanismos que resultam no comprometimento funcional e estrutural do miocárdio, responsáveis, em última instância, pela síndrome clínica. A doença isquêmica resulta em infarto do miocárdio e hipertrofia excêntrica das câmaras ventriculares que têm papel central no estabelecimento e evolução das alterações estruturais que acompanham a deterioração funcional do miocárdio e, por conseguinte, a da função global das câmaras cardíacas. No presente estudo foram avaliados pacientes portadores de insuficiência cardíaca decorrente de infarto do miocárdio e apresentando acinesia na parede anterior com indicação clínica de tratamento cirúrgico, com o objetivo de avaliar alterações estruturais e funcionais do miocárdio. Os pacientes foram avaliados clinicamente, por ecocardiografia e ressonância magnética no período pré-operatório e clínica e ecocardiograficamente em seguimento de 2 anos após a cirurgia. Foram realizadas biópsias intra-operatórias do endocárdio ventricular para avaliação de área de fibrose. A percentagem da área de fibrose encontrada na biópsia foi comparada com a percentagem de fibrose encontrada na ressonância magnética e comparada com a evolução. Os pacientes foram divididos de acordo com os territórios vasculares do miocárdio infartados e comparados na evolução. Os pacientes apresentavam sintomas importantes de insuficiência cardíaca (CF III-IV) no pré-operatório de cirurgia para correção da geometria do ventrículo esquerdo. A média da fração de ejeção era de 35,6% e o volume sistólico final do ventrículo esquerdo era de 150,6 ml. Foram verificadas reduções dos sintomas de insuficiência cardíaca (NYHA) no período de seguimento pós-operatório ( de 3,7± 0,4 para 1,53± 0,6, p<0,001) e melhora da fração de ejeção (de 35,5± 5,4 para 47,3± 7,3, p<0,001). Houve também redução do remodelamento no período de seguimento pós-operatório (de 150,6 ± 52,8 ml para 91,92± 32,7 ml, p<0,001). Houve correlação inversa entre o volume sistólico final do ventrículo esquerdo e as frações de ejeções do pré (r= -0,6) e pós-operatório (r=-0,88). Houve uma correlação positiva entre o percentual da área de fibrose tanto com o volume sistólico final (r=0,67) e correlação inversa com a fração de ejeção do ventrículo esquerdo (r=-0,78). Pacientes com menor percentual da área de fibrose do ventrículo esquerdo evoluíram com menor número de eventos cardiovasculares (p<0,001), assim como pacientes com menor volumes sistólico (p=0,004). Houve correlação com área de fibrose analisada pela ressonância magnética e mensurada pela biópsia (r=0,89) Os achados deste estudo são que pacientes com múltiplas áreas acinéticas também apresentam benefício com este procedimento e o percentual de área de fibrose mensurada por ressonância magnética correlaciona-se com a biópsia, e com a evolução pós-operatória analisada pelo volume sistólico final do ventrículo esquerdo, com a fração de ejeção do pós-operatório e com menor número de eventos. Esses achados permitem concluir que a cirurgia de reconstrução geométrica do ventrículo esquerdo alivia sintomas, melhora a remodelamento do ventrículo esquerdo em pacientes com insuficiência cardíaca com sintomas avançados. Finalmente, que a análise do percentual de área de fibrose avaliada por ressonância nuclear magnética sugere ser um importante método não-invasivo para análise da evolução

Abstract: Heart failure is one of the biggest problems faced by public health. Efforts have been made in order to achieve full understanding of the mechanisms that result in the myocardium structural and functional deterioration, which is responsible for advanced symptoms. Coronary disease results in myocardium infarction and eccentric hypertrophy of the ventricular chambers, which play a central role in the setting up and evolution of the structural alterations that follow myocardium functional deterioration and, consequently, the global ventricular dysfunction. In the present study patients presenting heart failure due to myocardium infarction and akinesia in the anterior wall that underwent surgery were evaluated, aiming at analyzing structural and functional alterations of the myocardium. These patients were evaluated by clinical exams, echocardiography, and magnetic resonance in the pre-operative period and underwent clinical and echocardiograph exams for a period of two years after surgery. Endomyocardial biopsy were done intra-operatively in all patients for fibrosis analysis. The fibrosis area in endomyocardium tissue was correlated with percentage of fibrosis found in magnetic resonance. The patients were separated in two groups, according of the number of myocardium infarctions. The patients presented advanced symptoms of heart failure (CF III-IV) in the pre-operative for the reconstruction of the left ventricle. The average ejection fraction was 35,6% and the left ventricle end systolic volume was 150,6ml. Patients with multiterritory myocardial infarction were evaluated and correlated with the percentage of scar tissue was measured by magnetic resonance imaging and was correlated to the patient¿s evolution and biopsy. Significant reductions in number and intensity of symptoms in the post-operative outcome were verified (from 3.7± 0.4 to 1.53± 0.6, p<0.001). There was correlation between the left ventricle final systolic volume (from 150.6 ± 52.8 ml to 91.92± 32.7 ml, p<0.001). and the ejection fractions in the pre and port-operative (from 35.5± 5.4 to 47.3± 7.3, p<0.001). There was also a correlation between the percentage of the scar tissue both in the final systolic volume (r=0.67) and in the ejection fraction (r=-0,88) of the left ventricle. Patients having a smaller percentage of the scar tissue area evolved with a smaller number of cardiovascular events (p<0.001) Patients with multiple ventricle territories presenting myocardium infarction evolved with larger left ventricle final systolic volume (p=0.004) The findings of this study are patients presenting akinetic multiple areas are benefited by this type of procedure and the percentage of scar tissue area measured by resonance magnetic correlates to the left ventricle final systolic volume in post-operative, with an ejection fraction of the post-operative and with a smaller number of events. These findings lead to the conclusion that geometric reconstruction surgery of the left ventricle relieves symptoms, improve left ventricle remodeling in patients with advanced symptoms of heart failure. Finally, the analysis of the percentage of scar tissue evaluated magnetic resonance is an important non-invasive method to analyze evolution
Subject: Insuficiência cardíaca
Remodelação ventricular
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Ribeiro_GustavoCaladodeAguiar_D.pdf2.39 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.