Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310069
Type: TESE
Title: Conhecimentos, atitudes e praticas frente a exposição ocupacional ao HIV entre estudantes, docentes e funcionarios do curso de odontologia da Universidade de Uberaba
Author: Miranzi, Mario Alfredo Silveira
Advisor: Oliveira, José Inácio de, 1951-
Abstract: Resumo: Os riscos ocupacionais em odontologia são comumente associados com agentes físicos, químicos e biológicos. A presença de vírus na corrente circulatória, em especial o vírus da hepatite B (HVB), vírus da hepatite C (HCV) e vírus da imunodeficiência humana (HIV), atribuem um risco de exposição ocupacional entre os prestadores de serviços em saúde bucal. O objetivo deste estudo foi avaliar o conhecimento, atitude, comportamento e prática em relação ao risco de exposição ocupacional ao HIV entre estudantes, professores e funcionários e utilização das medidas universais de biossegurança no Curso de Odontologia da Universidade de Uberaba. Questionários específicos (Questionário 1 foi aplicado em estudantes e professores e Questionário 2 para funcionários) foram aplicados na população. Os resultados, com relação a conhecimento sobre medidas universais de biossegurança (Rp2/1 = 5,09, Rp3/2 = 1,83 e Rp4/3 = 1,20), atitudes e comportamento frente o risco ocupacional, incluindo a prática clínica odontológica, revelaram que, 250(64,01%) dos estudantes já realizaram procedimentos clínicos, 346(73%) conhecem as medidas universais de biossegurança e 212(44,0%) sabem como proceder em casos de exposição a fluidos orgânicos. Os resultados demonstraram deficiência em conhecimento principalmente nos primeiros períodos de clínica. Os estudantes também tendem a superestimar os riscos de transmissão do HIV. O conhecimento foi significativamente maior no grupo mais próximo da formatura com relação às precauções universais (P> 0,01) e a disposição em atender os pacientes com Aids melhorou, considerando os alunos concluintes A população avaliada apresenta alto risco de exposição a material biológico e cerca de um terço desta tem baixo nível de conhecimento das medidas de biossegurança, apesar de fazer uso delas. Novas estratégias, assim como o ensino formal em medidas universais de biossegurança supervisionado, poderão mudar esta situação. A omissão, tanto em atitude quanto conhecimento, possui impacto negativo na qualidade de atendimento e na proteção paciente/profissional. A prevenção de exposição ocupacional depende da educação e resulta em significante melhoria em muitos domínios de conhecimento, atitudes e prática

Abstract: Occupational hazards in dentistry are most commonly associated with physical, chemical and biological agents. Bloodborne viruses, notably hepatitis B virus, hepatitis C virus and human immunodeficiency virus (HIV), pose a risk for occupational exposure among oral health care workers. Dentistry and other health professions had to reassess the methods of infection control and avail then to all patients. The objectives of this study were to evaluated the knowledge, attitudes, behavior and practices in relation to occupational exposure risk for HIV among students and teachers and clerks the usage of universal biosafety measures of the course of Dentistry Universidade de Uberaba. A specific questionnaire (Questionnaire 1 were applied to students and teachers and Questionnaire 2 to clerks) population were applied. The results identified knowledge of universal biosafety measures (Rp2/1 = 5,09, Rp3/2 = 1,83 e Rp4/3 = 1,20), attitudes and behavior face of occupational risk, including dental practices. 250(64,01%) students were involved in clinical procedure, 346(73%) knew the universal biosafety measures and 212(44,0%) knew the procedure in case of organics fluids exposure. The results demonstrate deficiencies in knowledge mainly among students of the earliest semesters. Students also tended to overestimated the risks of HIV transmission. Knowledge in relation to the occupational exposure risk increased significantly among students near the graduation in relation to universal precautions (P< 0,01) and willingness to provide care for Aids-patients increased (P=0,01) following university in the evening the town really comes alive. The appraised population has a high risk of biological material exposure and about 33,0% (third part of) has a low formal knowledge about universal biosafety measures, although most of these were generally used new strategies such as formal teaching of universal biosafety measures in loco supervision, and biosefety team, are necessary to chance this situation. It was proved that the cross infection should be considered in dental practice and some results suggested there are still lots of things to do to improved the conscience of students, teachers and clerks. Uncorrected, such attitudes and knowledge deficiencies have the potential to impact negatively on the quality of care, patient-practitioner safety and proper postexposure proplylaxis. Prevention of occupational exposure is dependent on education resulted in significant improvement in many domains of knowledge, attitudes and practice
Subject: Prevenção de acidentes
Biossegurança
HIV (Virus) - Transmissão
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2003
Appears in Collections:FCM - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Miranzi_MarioAlfredoSilveira_D.pdf1.7 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.