Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310063
Type: TESE
Title: O nivel de qualidade de vida dos fisioterapeutas do complexo de saude do campus da UNICAMP
Title Alternative: The quality of life of physical therapists of the health complex of a local public University - UNICAMP
Author: Ferreira, Naiza do Nascimento, 1980-
Advisor: Oliveira, José Inácio de, 1951-
Abstract: Resumo: A Fisioterapia é uma profissão nova em relação a outras profissões da área de saúde, muitas vezes com tradição secular. Um dos objetivos da Fisioterapia é ajudar as pessoas a atingir a máxima funcionalidade e qualidade de vida (QV). Tendo em vista a falta de estudos sobre QV dos fisioterapeutas, as mudanças ocorridas no mundo do trabalho que podem influenciá-la, a existência de vários fatores de risco inerentes a essa atividade e o fato desses profissionais utilizarem o próprio corpo como instrumento de trabalho, essa pesquisa se propôs a investigar mais especificamente os aspectos relacionados à QV desses profissionais. Este é um estudo transversal, descritivo e analítico, que objetivou conhecer a QV dos fisioterapeutas do complexo de saúde do campus de Campinas (SP) da UNICAMP, no ano de 2007. Os dados foram coletados através de uma ficha de informações pessoais, com questões referentes às características sociodemográficas e saúde do trabalhador, e Whoqol-Bref. A taxa de resposta foi 80% e a amostra consistiu de 64 profissionais. A amostra pesquisada é predominantemente do sexo feminino, jovem, possui pouco tempo de formação, mas alto nível de especialização, sendo também otimista quanto ao futuro da profissão. Metade vive com companheiro, mas a maior parte não possui filhos. Estes fisioterapeutas convivem com o multiemprego, conciliando de duas a até cinco atividades, com uma média de 39,32 horas semanais trabalhadas. Na amostra total, a maioria dos profissionais está satisfeita com o seu estado de saúde e avalia sua QV como boa. Entretanto, verificamos um contraste entre essa auto-avaliação do estado de saúde e os relatos de presença de doenças e sintomas. A maior parte dos participantes do estudo também apresentou alta QV no domínio físico, psicológico e meio ambiente e baixa QV no domínio relações sociais. Avaliar a QV não é uma tarefa fácil e não se esgota na aplicação de um instrumento de medida. Partindo dessa premissa, buscamos conhecer os aspectos sociodemográficos, os relativos ao mundo do trabalho e a QV, não apenas como um retrato dos fisioterapeutas, mas, principalmente, com o intuito de alertar para a necessidade de formulação de novas políticas públicas sociais e de saúde, que proponham novos rumos para o planejamento de serviços, por meio de ações que considerem os potenciais de fortalecimento e desgaste dessa população, utilizando-se de um método que encare o processo de trabalho como determinante na totalidade da QV humana, e considere esta se expressando no trabalho. Palavras-chaves: Fisioterapia; Qualidade de vida; WHOQOL-Bref; Saúde do trabalhador

Abstract: The Physical Therapy is a new profession, comparing with others in health area, many times with secular tradition. One of its objects is to help people to reach their maximum functionality and quality of life. Based on the lack of searchs about physical therapists¿ quality of life, the changes on the labour world that can affect it, the existence of many risk points of this activity and the fact that these professionals use their own bodies as a labour instrument, this search intends to investigate some specific points related with these professionals¿ quality of life. This is an observational cross sectional study aiming at knowing the quality of life of physical therapists of the health complex of the local public University (UNICAMP), in 2007. Data were collected using a questionnaire including personal informations and the Whoqol-Bref instrument. Response rate was 80% and the sample consisted of 64 professionals. The search sample is predominantly female, young, with few years of graduation, but hightly specialized, also being optimistic about the profession¿s future. Half of them lives with a partner, but most has no child. These physical therapists deal with multiple jobs, conciliating two until five jobs, with a mean of 39,32 worked hours a week. Of the total sample, the majority was satisfied with their health condition and evaluated their quality of life as good. However, we notice a contrast between this self-evaluation and the reported illness. Most of these people also had high quality of life in the physical, psychological and environment domains and low quality of life in the social relationships domain. To evaluate quality of life is not an easy task and doesn¿t end with the application of a measure instrument. Starting from this premise, we tried to recognize the facets about social and demographic aspects, and the ones related with the labour world and quality of life, not only as a physical therapists¿ portrait, but, mainly, intending to alarm about the necessity of new social and health public politics that propound new directions to the planning of services, through actions that consider the fortifying and wasting potentials of this population, using a method that stare at labour as a determinant on human¿s quality of life, and also consider its expression on labour. Keywords: Physical Therapists; Quality of life; WHOQOL-Bref; Worker¿s health
Subject: Fisioterapia
Qualidade de vida
Saúde do trabalhador
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2008
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Ferreira_NaizadoNascimento_M.pdf2.3 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.