Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310038
Type: TESE
Title: Helicobacter pylori e o idoso dispeptico : frequencia, aspectos clinicos, endoscopicos e histologicos : evolução da doença apos tratamento clinico
Author: Santos, Telma da Silva
Advisor: Ferraz, Jose Geraldo Paraiso, 1964-
Abstract: Resumo: Objetivo: Poucos são os trabalhos na literatura que abordam a dispepsia em pacientes idosos. Os objetivos deste trabalho foram: estudar a freqüência do H. pylori na população idosa com dispepsia funcional e ulcerosa; avaliar o comportamento clínico, aspectos endoscópicos e histotágicos do idoso; e, por, fim avaliar a evolução da doença após tratamento clínico. Métodos: Foram estudados pacientes no Ambulatório de Medicina Interna do Hospital Universitáriode Taubaté, no período de abril de 1999 e julho de 2001, por demanda espontânea. Os critérios de inclusão foram: pacientes acima de 60 anos com queixas dispépticas. Os critérios de exclusão foram: pacientes portadores de neoptasia gástrica, pancreatite crônica, doenças agudas relacionadas às vias biliares, hepatopatias crônicas e o uso de antibiótico 30 dias antes do início do estudo. Os pacientes foram submetidos a uma anamnese, e foram avaliados quanto às queixas dispépticas. Seguiram-se investigação diagnóstica por meio de exames Protoparasitológico (PPF), Ultra-som abdominal (USN) e Endoscopia disgestiva alta (EDA)associada à histologia. Após diagnóstico de infecção pelo H. pytori, foi proposto tratamento clínico com esquema triplice (Lansoprasol, Claritromicina e Amoxilina). Os pacientes que aceitaram fazer o tratamento foram seguidos mensalmente, para avaliação clínica, e realizaram uma segunda EDA de controle após 3 meses de tratamento, quando então se avaliou a evolução da doença do ponto de vista histotégico e da erradicação da bactéria. Resultados: Foram avaliados 211 pacientes com sintomas dispépticos, correspondendo a 5,9 % do total de consultas do ambulatório de Medicina Interna do Hospital Universitário; 104 preencheram os critérios de inclusão. A média de idade foi de 70,7 (DP ± 7,9 anos), variando entre 60 e 93 anos. 56,7% dos pacientes eram do sexo feminino. Na anamnese observou-se que a dor gástrica foi o principal sintoma em 66,3% do total dos casos. O PPF foi positivo em 12,5% dos idosos, e a presença do Ascaris lumbricoides foi de 8,7%. A coIicistopatia crônica calculosa foi detectada ao USN em 13,5%. Com relaçãoaos achados endoscópicos, observou-se que a pangastrite enantematosa foi um achado em todos os pacientes incluídos no estudo. As lesões pépticas foram vistas em 27,9%, e a úlcera gástrica, em 6,7%. Nos achados histológicos, observou-se a prevalência da gastrite crônica moderada, e a atrofia glandular, em 31,7% e metaplasia intestinal em 26%. O H. pylorifoi detectado em 68,3%. Ao avaliarmos a presença do H. pylori associado aos achados da anamnese e dos exames subsidiários, observamos que a dor epigástrica continuou sendo prevalente ao grupo, tanto com presença quanto com ausência da bactéria (63,7% e 65,7% respectivamente). Houve prevalência da associação de 3 sintomas para os dois grupos, correspondendo ao total( de 31,7% e com distribuição similar. A prevalência da positividade do PPF foi maior no grupo H. pylori negativo, fato que não ocorreu com achados de coIicistopatia crônica, cuja distribuição foi igual. Com relação aos achados endoscópicos, os dois grupos tiveram distribuição igual, quanto à presença de pangastrite enantematosa crônica, porém as lesões pépticas foram mais prevalentes no grupo H. pylori positivo (p < 0,007), com destaque para as erosões antrais, em 40,8%. Na histologia, a inflamação da mucosa foi mais intensa nos pacientes com a presença da bactéria (92,9%), e 15,2% dos pacientes com HP negativo apresentaram estudo histolágico normal. Também a atrofia glandular foi mais prevalente nos pacientes portadores da bactéria (28,2%), enquanto a metaplasia teve distribuição semelhante para os dois grupos. Após tratamento, os pacientes tiveram uma melhora clínica inicial de 64,21%,que se manteve em 97,2, após 3 meses de tratamento. Na endoscopia, não houve melhora da inflamação e das lesões pépticas. Na histologia, porém, a gastrite moderada se tomou leve em 57%, e houve melhora da atrofia glandular. Conclusões: A freqüência do H. pylori nos idosos estudados foi semelhante àquela que ocorre em outros paises em desenvolvimento. Não houve manifestações clínicas específicas nos indivíduos com infecção pela bactéria, tampouco estes pacientes foram mais sintomáticos. Na EDA dos pacientes H. pylori positivo houve mais lesões pépticas, quando comparados com aqueles com ausência da bactéria. Também se constatou, nos indivíduos H. pylori positivo, um grau de gastrite mais intensa e prevalência de atrofia glandular do que naqueles com ausência da bactéria. O tratamento com esquema tríplice permitiu uma erradicação de 83,9% da bactéria. Também possibilitou caracterizar a evolução da doença, observou-se a melhora dos sintomas e da histologia com transformação da gastrite crônica moderada ativa em gastrite crônica leve ativa, assim como da atrofia glandular

Abstract: Objective: The investigation of dyspepsia in elderty patients is not fully explored in the medical literature. Therefore, the objective of this work was to investigate the clinical,endoscopic and histological aspects of dyspepsia on elderty patients. The frequency of H. pylori, as well as the effects of eradication therapy on clinical, histological and endoscopic outcome was assessed. Methods: Consecutive, elderty patients seeking medical care in the Internal Medicine Outpatient Clinic,University of Taubaté Medical Hospital, between April 1999 and July 2001 were initially screened. The inclusion criteria were: age above 60 years and dyspeptic complaints. The exclusion criteria were: previous history of gastric cancer, chronic pancreatitis, biliary and liver diseases, and prior antibiotic use 30 days before the beginning of the study. The patients were submitted to a clinical evaluation (dyspepsia protocol), followed by laboratory tests including stool examination for oval parasites, abdominal ultrasound scan, upper digestive endoscopy with coltection of gastric samples for histology. Triple therapy H. pylori eradication was emptoyed for H. pylori-infected patients using lansoprazole,clarithromycin and amoxicillin. The patients were then followed monthly for clinical evaluation, with a control endoscopy plus biopsy 3 months following the end of treatment. The clinical, endoscopic and histological outcome was then evaluated, including eradication success. Results: 211 dyspeptic patients were initially screened, corresponding to 5,9% of all consultations of the Internal Medicine Outpatient Clinic. 104 patients were included in the study (age 70,7 ± 7,9 years, range 60 to 93 years). 56,7% of the patients were females. Epigastric pain was the main symptom in 66,3% of the total of the cases, stool examination was positive in 12,5% of the seniors, and the presence of the Ascarislumbicoides was of 8,7%. Gall stones were detected in 13,5%. Enantematous gastritis was found in all patients included in the study. Peptics lesions were detected in 27,9%, including gastric ulcer in 6,7%. Moderate chronic gastritis was predominant on histology, with glandular atrophy observed in 31,7% and intestinal metaplasia in 26%. The H.pylori was detected in 68,3%. Epigastric pain was found to be the commonest symptom, regardless the H. pyloristatus (63,7% and 65,7% respectively). Endoscopically, enantematous gastritis was similarly distributed among both H. pylori positive and negative patients. However, antral erosions were more prevalent in H. pylori positive patients (40,8%, p<0,007). Histologically,gastritis was more imense in H. pylori positive patients (92,9%). Normal histology was found in 15,2% H. pylori negative patients. The glandular atrophy was aIso more prevalent in the patient carriers of the bacteria (28,2%), while the metaplasia had similar distribution for the two groups.Most patients had their symptom improved 3 months following end of treatment (.97,2%).No changes in endoscopical findings were observed. However, moderate gastritis tumed mild in 57% of patients on histology, and there was improvement of the glandular atrophy. Conclusions: The frequency of the H. pylori in elderly dyspeptic patients were similar to the one described for the adult population in developjng countries. There were not specific clinical manifestations in the individuais with infection for the bacteria. H. pylori positive patients had more peptics lesions compared to those with absence of the bacteria. It was also verified that H. pylori positive individuais presented with a more intense gastitis and glandular atrophythan H.pylori negative patients. A 83,9% eradication rate was obtained with triple therapy, with symptom improvement and amelioration of histology
Subject: Helicobacter pylori
Dispepsia
Idosos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2002
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Santos_TelmadaSilva_M.pdf5.57 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.