Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310023
Type: TESE
Title: Associação entre haplótipos de metaloproteinase-9 de matriz extracelular (MMP-9) e obesidade infantil = efeitos sobre a concentração plasmática de MMP-9
Title Alternative: Association between haplotypes of matrix metalloproteinase-9 extracellular matrix (MMP-9) and childhood obesity : effects on plasma concentration of MMP-9
Author: Belo, Vanessa de Almeida
Advisor: Santos, José Eduardo Tanus dos
Abstract: Resumo: A obesidade em crianças e adolescentes constitui-se num importante fator de risco para doenças cardiovasculares, em especial, aterosclerose. Esta condição é caracterizada por acúmulo de lipídeos e elementos fibrosos em artérias de grande calibre em que mecanismos inflamatórios e remodelamento vascular estão envolvidos. Neste contexto, a metaloproteinase-9 de matriz extracelular (MMP-9) - endopeptidase capaz de degradar componentes da matriz extracelular - e seu inibidor endógeno preferencial, inibidor tecidual de MMP (TIMP-1) são importantes mediadores deste remodelamento e um equilíbrio entre MMP-9 e TIMP-1 deve existir a fim de manter a integridade do sistema cardiovascular. Ademais, níveis aumentados de MMP-9 são observados em pacientes com doenças cardiovasculares e estudos genéticos têm mostrado ainda que polimorfismos funcionais no gene da MMP-9 têm sido relacionados à presença e severidade de doenças cardiovasculares. Contudo, ainda não se sabe como a associação desses polimorfismos com a obesidade infantil pode afetar as concentrações de MMP-9 no plasma. Logo, os objetivos desse trabalho foram: 1) comparar as concentrações plasmáticas de MMP-9, TIMP-1 e razão MMP-9/TIMP-1 (atividade líquida da MMP-9) entre crianças e adolescentes obesos e controles; 2) comparar as frequências genotípicas e haplotípicas dos polimorfismos C-1562T, -90(CA)14-24 e Q279R da MMP-9 entre obesos e controles e 3) correlacionar as concentrações de MMP-9 aos genótipos e haplótipos da MMP-9. Inicialmente, determinaram-se os níveis de pro-MMP-9 e no plasma, por zimografia, e as concentrações plasmáticas de MMP-9 e TIMP-1 em obesos e controles por ELISA. Nós não encontramos diferenças nas concentrações plasmáticas de MMP-9 e razão MMP-9/TIMP-1 entre obesos e controles. No entanto, nossos resultados revelaram que em obesos houve diminuição de TIMP-1. Em seguida, extraiu-se o DNA dos voluntários e determinaram-se as frequências genotípicas dos polimorfismos C -1562T e (CA)n, por PCR seguida de eletroforese, do polimorfismo Q279R, por PCR em tempo real, e as frequências haplotípicas, pelo programas PHASE. Não houve diferenças nas frequências genotípicas e haplotípicas entre os grupos. Nós avaliamos a relevância de diferentes genótipos e haplótipos nas concentrações plasmáticas de MMP-9. Para os polimorfismos C-1562T e Q279R, nós encontramos que no grupo de obesos, portadores dos genótipos CC apresentaram menores níveis de MMP-9 quando comparados aos portadores dos genótipos CT+TT e aos controles com mesmo genótipo. No grupo de obesos, portadores do genótipo QQ apresentaram menores níveis de MMP-9 quando comparados aos portadores do genótipo RR e aos controles com mesmo genótipo. Para o polimorfismo -90(CA) 14-24 não observamos diferenças nos níveis de MMP-9 entre os grupos genotípicos. Em relação aos haplótipos, no grupo de obesos, portadores do haplótipo H2 apresentaram menores concentrações de MMP-9 e da razão MMP-9/TIMP-1 (atividade líquida de MMP-9) quando comparados aos outros haplótipos e aos controles com mesmo haplótipo. No grupo controle, não observamos influência dos genótipos e haplótipos nas concentrações plasmáticas de MMP-9. Portanto, nossos achados que sugerem que genótipos (CC e QQ) e o haplótipo H2 podem diminuir os níveis circulantes de MMP-9 em crianças e adolescentes obesos, mas não em crianças saudáveis, consequentemente, estes genótipos e haplótipo poderiam oferecer proteção contra doenças cardiovasculares somente em crianças obesas

Abstract: The childhood obesity is important risk factor for cardiovascular diseases, in particular, atherosclerose. This condition is characterized by the accumulation of lipids and fibrous elements in the large arteries in which inflammatory mechanisms and vascular remodeling are involved. In this context, matrix metalloproteinase 9 (MMP-9) - endopeptidade capable of degrading components of extracellular matrix - and its endogenous inhibitor preferential, the tissue inhibitors of MMP (TIMP-1) are important mediators of this remodeling and a critical equilibrium between MMP-9 and TIMP-1 must exist in order to maintain the integrity of cardiovascular system. Moreover, elevated levels of MMP-9 have been reported in patients with cardiovascular diseases, and genetic studies showing that functional polymorphism MMP-9 gene were related to presence and severity of cardiovascular diseases. However, it remains unclear how the association of these polymorphisms with childhood obesity can affect MMP-9 plasma concentrations. Thus, the objectives of this study were: 1) to compare plasma MMP-9, TIMP-1 and MMP-9/TIMP-1(activity) ratio between obese and control groups; 2) to compare the genotype and haplotype frequencies of MMP-9 polymorphisms (C-1562T and (CA)14-24 and Q279R) between obese and control and, 3) correlate the MMP-9 concentrations with MMP-9 genotypes and haplotypes. To achieve our first goal, we determined the plasma pro-MMP-9 levels by zymography, and plasma MMP-9 and TIMP-1 concentrations by ELISA in obese and control. We not found differences in MMP-9 plasma concentratios and MMP-9/TIMP-1 between obese and control. However, our results showed that obese had lower plasma TIMP-1 concentrations than control. Moreover, to achieve our second goal, we firstly extracted DNA from volunteers, and then we determined the genotype frequencies of C-1562T and (CA)14-24 polymorphisms by PCR followed by electrophoresis, of and Q279R polymorphism by real time PCR, and the haplotype frequencies by the programs PHASE. We found similar genotype and allelic distribution for the three polymorphisms when study groups were compared. We evaluated the relevance of different genotypes in plasma MMP-9 concentrations in study groups. To the C-1562T and Q279R polymorphisms, we found that in the obese group, CC genotype carries had lower MMP-9 levels when compared with CT+TT genotype carries and control with the same genotype. In the obese group, QQ genotype carries had lower MMP-9 levels when compared with RR genotype carries and control the same genotype. To the -90(CA)14-24 polymorphism, we did not observe differences in the MMP-9 levels among different genotypic groups. In relation to haplotypes, we found that in the obese group, H2 haplotype carriers had lower MMP-9 levels and MMP-9/TIMP-1 ratio when compared other haplotypes and control with the same haplotype. Therefore, our findings suggest that (CC and QQ) genotypes and H2 haplotype decrease circulating MMP-9 levels in obese but not in healthy children, thus genotypes and haplotype could offer protection against cardiovascular diseases in those children
Subject: Metaloproteinases da matriz
Polimorfismo
Haplótipos
Farmacogenética
Aterosclerose
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2011
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Belo_VanessadeAlmeida_M.pdf3.49 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.