Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310003
Type: TESE
Title: Infecção grave do trato respiratório inferior em crianças menores de 3 anos : etiologia viral e co-detecção como fatores de risco
Title Alternative: Severe lower respiratory tract infection in infants and toddlers : viral etiology and co-detection as risk factors
Author: Silva, Emerson Rodrigues da, 1972-
Advisor: Ribeiro, José Dirceu, 1952-
Abstract: Resumo: Introdução: A infecção do trato respiratório inferior (ITRI) é uma das principais causas de morbimortalidade em crianças, principalmente em países em desenvolvimento e em crianças menores de 3 anos de idade. Os vírus estão entre os principais agentes etiológicos das ITRI em crianças. No entanto, poucos estudos até o momento investigaram o impacto dos vírus respiratórios em populações de crianças de países em desenvolvimento e de que maneira as codetecções de dois ou mais vírus modificam a gravidade das infecções. Objetivo: identificar quais vírus respiratórios causam ITRI em lactentes e crianças até 3 anos de idade hospitalizadas e qual o impacto das codetecções virais sobre a gravidade destes episódios. Métodos: crianças de até 3 anos de idade internados em um hospital terciário no Brasil durante os meses de alta prevalência de vírus respiratórios tiveram amostras coletadas de aspiração nasofaríngea. Estas amostras foram testadas para 13 diferentes vírus respiratórios através de PCR em tempo real (RT-PCR). Os pacientes foram acompanhados durante a internação, e dados clínicos e das características da população foram registradas durante esse período e na alta para avaliar marcadores de gravidade, como tempo de internação e uso de oxigênio. Foi usada análise univariada para identificar potenciais fatores de risco e a regressão logística multivariada para determinar o impacto de detecções virais específicas sobre os desfechos, bem como para avaliar o efeito das codetecções sobre estes mesmos desfechos. Resultados: Foram analisados 260 episódios de ITRI com uma taxa de detecção viral de 85% (n = 222). Codetecção foi observada em 65% de todos os episódios de vírus-positivos. O vírus foi mais prevalente Vírus Sincicial Respiratório (RSV) (54%), seguido por Metapneumovirus humano (hMPV) (32%) e Rinovírus humano (HRV) (21%). Nos modelos multivariados, lactentes com codetecção de HRV + RSV permaneceram 4,5 dias a mais no hospital (p = 0,004), quando comparados ao grupo sem a codetecção. A mesma tendência foi observada para o número de dias de uso de oxigênio suplementar. Conclusões: Embora RSV permaneça como a principal causa da ITRI em crianças, mostrou-se um aumento no tempo de internação e uso de oxigênio em crianças com RSV e HRV codetectados por RT-PCR em comparação com aqueles com RSV mas sem HRV em codetecção. Além disso, nosso estudo identificou um número significativo de crianças infectadas por vírus recentemente identificados, tais como hMPV e bocavirus Humano (HBoV), e este é um achado relevante para comunidades pobres de países em desenvolvimento

Abstract: Introduction: lower respiratory tract infection (LRTI) is a major cause of morbidity and mortality in infants and children, especially in developing countries and in children under 3 years old. Viruses are among the major etiologic agents of LRTI in children. However, few studies to date have investigated the impact of respiratory viruses in populations of children in developing countries and how the co-detections of two or more viruses modify the severity of infections. Objective: To identify respiratory viruses in infants and children up to 3 years of age hospitalized due to LRTI and verify the impact of viral co-detections on the severity of these episodes. Methods: Children less than 3 years of age admitted to a tertiary hospital in Brazil during the months of high prevalence of respiratory viruses had collected samples of nasopharyngeal aspirate. These samples were tested for 13 different respiratory viruses by real-time PCR (RT-PCR). Patients were followed during hospitalization, and clinical and population characteristics were recorded during this period and at discharge to assess markers of severity, such as length of stay and use of oxygen. Univariate analysis was used to identify potential risk factors and multivariate logistic regression was used to determine the impact of specific viral detections on outcomes and to evaluate the effect of co-detections on these same outcomes. ix Results: We analyzed 260 episodes of LRTI with an overall viral detection rate of 85% (n = 222). Co-detection was observed in 65% of all virus-positive episodes. The most prevalent virus was Respiratory Syncytial Virus (RSV) (54%), followed by human metapneumovirus (hMPV) (32%) and human rhinovirus (HRV) (21%). In multivariate models, infants with co-detection of HRV + RSV stayed 4.5 days longer in the hospital (p = 0.004), when compared to the group without this co-detection. The same trend was observed for the number of days using supplemental oxygen. Conclusions: Although RSV remains the leading cause of LRTI in children, our study has shown an increase in the length of stay and use of oxygen in children with RSV and HRV co-detected by RT-PCR in comparison with those with RSV alone. Furthermore, our study identified a significant number of children infected by viruses recently identified, such as hMPV and Human bocavirus (HBoV), and this is an important finding for poor communities in developing countries
Subject: Sistema respiratório
Virologia
Infectologia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_EmersonRodriguesda_D.pdf2.87 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.