Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309967
Type: TESE
Title: Colecistectomia por mini-laparotomia em sistema ambulatorial : analise da metodologia e resultados
Author: Chaim, Elinton Adami, 1957-
Advisor: Pareja, José Carlos, 1940-
Abstract: Resumo: Quarenta doentes foram submetidos à colecistectomia por minilaparotomia em sistema ambulatorial, no período de junho de 1991 a junho de 1992, na Disciplina de Moléstias do Aparelho Digestivo do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas. A idade variou entre 23 e 55 anos (média: 39 anos), predominando o sexo feminino (80%) e a raça branca (90%). Os critérios de inclusão no programa foram: idade máxima de 55 anos; estado físico classe 1 e 2 (ASA); índice de massa corpórea menor que 30; ter acesso a um telefone; residir ou estar hospedado próximo ao Hospital; ter condições familiares para cuidados pós-operatórios; e possuir aceitação do doente. No pós-operatório a introdução da dieta foi feita na quarta hora, a deambulação na quinta hora e a alta hospitalar na oitava hora após o término da cirurgia. O controle clínico foi realizdo através de contato telefônico, pela equipe cirúrgica, e de visita domiciliar, pela equipe de enfermagem. Os critérios de seleção analisados (fatores fisiológicos, idade, peso corporal, psicológicos e condições sociais) foram adequados considerando-se os bons resultados verificados. A colangiografia peroperatória foi realizada com sucesso em 92,5 %, diagnosticando presença de litíase intra-coledociana em cinco doentes (12,5%). O tempo anestésico cirúrgico médio foi de 81,13 minutos, e a necessidade de ampliação da incisão cirúrgica ocorreu em 10,0%, devido a presença de cálculos no colédoco em três doentes e necrose da vesícula biliar em outro. O tempo médio de permanência hospitalar no pós-operatório foi de oito horas em 87,5 % . Quanto às complicações imediatas, ocorreram vômitos em 17 doentes (42,5%), sendo necessária a hospitalização de três deles (7,5%). As complicações tardias ocorreram em dois doentes (5,0%): um deles apresentou febre no quinto dia de pós-operatório, e outro, com coleção sero-hemática na tela subcutânea, foi diagnosticado no sétimo dia de pós-operatório, cuja cultura foi negativa. Não ocorreram óbitos nesta série estudada. O controle clínico pós-operatório em nível domiciliar, através do contato telefônico e da visita da enfermagem, ocorreram de maneira eficiente. O retomo às atividades físicas e profissionais ocorreram precocemente, com predomínio no segundo e quinto dia de pós-operatório respectivamente. A sintomatologia dolorosa no pós-operatório precoce foi controlada cpm uma a duas ampolas de diclofenaco sódico por via muscular ou um a seis comprimidos de diclofenaco sódico por via oral. O acompanhamento pós-operatório foi em média de oito meses, não havendo casos de hospitalização tardia. O aspecto estético, quanto à expectativa dos doentes, foi satisfatório. O método demonstrou-se seguro e eficaz, sendo exeqüível sem que sejam necessários investimentos tecnológicos de alto custo

Abstract: There has been a significant improvement in the surgical treatment of cholelithiasis in the recent pasto In this series of cases, forty patients were surgically treated using a minilaparotomy approach. The criteria for admission to the study included: good physical condition (ASA level 1 or 2, body mass index less than thirty and below fifty five years of age. An informed consent was obtained from all patients and their families, as well as an agreement concerning post-surgical care at home. The patients had to be within easy reach during the few days following the prodecure. The outcome was evaluated by means of the following variables: acceptance of refeeding four hours after the procedure with an appropriate diet; ability to get up from bed and walk around five hours after the procedure; interval between the end of the procedure and discharge; complaints related to the surgical procedure, during hospitalization and at home, and early and late surgical and clínical complications. The patients remained between 30 and 150 minutes under anesthetic drugs (mean = 81.13 minutes). The length of the surgical wound had to be further increased in three patients due to the presence of biliary lithiasis and gall-bladder necrosis. Most of the patients had a radiographic evaluation of the biliary tree made during the surgery. In five cases biliary stones were detected (12,5%). The majority of the patients were discharged eight hours after the procedure. The most frequent early complaint was vomiting in seventeen patients (42,4%). Three patients had to be readmitted. Late complications were noted in two patients. One patient became febrile and another had a sterile subcutaneous fluid collection. Pain was easily relieved by a single dose of an antiinflatory drug (dic1ofenac). There was no death in this series. Retum to professional and routine activities occured within two to three days after discharge in the majority of the cases. All the patients were reevaluated six months after discharge. None had to be readmitted or treated for a complication related to the procedure. We conclude that this is a safe and inexpensive procedure that can be done in most of medical centers
Subject: Colecistectomia
Abdome - Cirurgia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1993
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Chaim_ElintonAdami_M.pdf1.9 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.