Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309920
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Manipulação tubular de sodio e modificações em algumas vias intracelulares relacionadas ao crescimento renal, induzido pela acidose metabolica cronica
Author: Bento, Leda Marcia Araujo
Advisor: Gontijo, Jose Antonio Rocha, 1956-
Abstract: Resumo: A acidose metabólica crônica induzida por cloreto de amônia tem sido relacionada como fator de crescimento renal. No presente estudo, investigou-se a manipulação tubular renal de sódio e alguns passos de vias ligadas ao crescimento celular e expressão gênica em tecido renal de ratos, após a indução de acidose metabólica através da administração de NH4Cl. O estudo da função renal de ratos acidóticos, foi estimado pelo clearance de creatinina e pelo clearance de lítio, respectivamente para avaliar a taxa de filtração glomerular e a manipulaçãorenal de sódio. Utilizando-se da técnica de imunoprescipitação e immunoblotting, avaliamos o grau de fosforilaçãopré-estímulo e pós-estímulo insulínico, do receptor de insulina (IR), do substrato do receptor de insulina (IRS-l), bem como de algumas proteínas relacionadas às vias de crescimento: Shc, GrB2 e pErK, em tecido renal. Após a administração por 10 dias de NH4Cl,verificamos um aumento significativo no peso renal (Co= 0,28 g/lOOg vs Ac= 0,32g/1O0g) dos animais acidótico quando comparados aos grupos controle. A acidose promoveu um aumento sustentado da excreção fracional de sódio e potássio, as quais foram acompanhados por uma significativa elevação da fração de excreção fracional proximal e pós-proximal destes íons. Essa diferença ocorreu embora não tenha sido observada modificações significativas na filtração glomerular e na carga filtrada de sódio. Observamos que a expressiva excreção renal de sódio associada ao aumento do peso renal, são processos que competem pela disponibilidade de energia nas células tubulares dos néfrons, priorizando o crescimento (hipertrofia), em detrimento do transporte transmembrana de eletrólitos e água. Estas alterações podem ser o resultado de uma relação recíproca entre a síntese de proteínas, o metabolismodos túbulos renais e o transporte tubular de sódio. Os efeitos da maioria dos fatores de crescimento se fazem por receptores tirosina-quinase de alta afinidade (RTK). A estimulação extracelular ativa proteínas de sinalização em domínios citoplasmáticos, resultando na homodimerização do receptor e numa autofosforilação em resíduos tirosina. Esta fosfotirosina torna-se sítio seletivo de ligação para proteínas como as com homologia para o proto-oncogene src-2 (SH-2). Estes estímulos promovem uma ativação em cascata de um grande número de moléculas sinalizadoras intracelulares, incluindo as fosfolipases, fosfotidilinositol 3-quinase (pI 3-quinase), ErKl e ErK-2 quinases (complexoMAP quinases),entre outras. A ativação destas vias de sinalização levam a mudanças na expressão gênica e no estado fenotípico das células. Aventa-se a possibilidade de que fatores circulantes bem como a secreção parácrina de fatores de crescimento possam ter alguma função sobre o crescimento renal nesta situação experimental influenciando paralelamente os passos iniciaisda ação insulínica. Na avaliação da expressão de algumas vias conhecidas de regulação metabólica e crescimento (IR, IRS-l e Complexo MAPK quinase), verificamos um marcante aumento no nível de fosforilação basal nos animais acidóticos quando comparados aos grupos controle e pair-fed. Após estímulo, foi observado um maior aumento no nível de fosforilação dos animais dos grupos controle e pair-fed , visto que nos animais acidóticos a atividade basal já estava significativamente aumentada. Resultado similar, foi observado com o anticorpo anti-IRS-l. Para os resultados da imunoprescipitaçãocom anticorpo anti-Shc, foi verificado alterações somente pós-estímulo insulínico. A Atividade GrB-2 basal apresentou um aumento significativo nos animais do grupo pair-fed em relação aos acidóticos. Após administração de insulina verificamos um aumento indistinto do grau de fosforilação em todos os grupos estudados.(controle, acidóticos e pair-fed). Analisando a resposta das proteínas do complexo MAPK (pErK) basal e pós-estímulo verificamos uma fosforilação significativamentemaior nos acidóticos no período basal com uma maior resposta neste grupo após administração de insulina. Com nossos resultados aventamos a hipótese de que a acidose metabólica ou o aumento da amoniogênese renal, possa constituir em sinais precoces de disfunção renal, podendo corresponder a um gatilho modulador que induza uma resposta reparadora celular através da estimulação de receptores ou pós-receptores celulares vinculados à vias de crescimento e diferenciação

Abstract: There is a surprising lack of experimental data on mechanisms of systemic metabolic acidosis cause disturbances in blood pressure, renal sodium handling and renal growth. Paucity studies have indicated that a systemic metabolic acidosis causes a decrease in salt and water reabsorption in the kidney. To evaluate the metabolic acidosis effect on blood pressure and renal events, we compared three distinct groups of Wistar-Hannover rats: 1) control, Co; 2) NH4Cl-treated, Acidotic and 3) pair-fed, PF, rats. Separate groups of rats were housed individually in standard stainless-steel cages in temperature and humidity controlled room with a 12-h light-dark cycle. The following study was undertaken on male, unrestrained and unanesthetized rats (weighting 200-250 g) to investigate the effects of a chronic, NH4Cl-induced metabolic acidosis on the glomerular filtration rate and renal handling of sodium estimate respectively by creatinine and lithium clearance. The present study shows that chronic acidosis (blood pH, 7.16 ± 0.13) caysed a sustained increase in renal ftactional sodium excretion (267.9 ± 36.4%), accompanied by a rise in the fractional proximal (113.3 ± 3.6%) and post-proximal (179.7 ± 20.2 %) sodium and ftactional K+ (163.4 ± 5.6%) excretions when compared to pair-fed rats. These differences occurred in spite of na unchanged arterial blood pressure, creatinine clearance and sodium filtered 1000. On the other hand, a body growth impairment was observed in the acidotic (control, 258 ± 3.7 g vs acidotic, 232 ± 4.6 g) and pair-fed rats (225 ± 3.6 g), whereas there was significant enhance in the kidney weights in acidotic rats (1.73 ± 0.05 g) compared to other experimental groups (control, 1.46 ± 0.05 g); pair-fed (1.4 ± 0.05 g). This altered renal sodium handling and potassium excretion may result from a reciprocal relationship between tubular metabolic pathway stimuli and ion transport. Growth hormone and peptides stimulates the tyrosine kinase activity of its receptor, resulting in the phosphorylation of its cytosolic substrate, insulin receptor substrate 1 (IRS-l). IRS-l is also a substrate for different peptides and growth factors. This leads to downstream activation of a number of common signaling molecules involved in changes in gene expression, protein synthesis and in the phenotypic state of the cell. However, the role of these intracellular signaling pathways in NH4Cl-induced acidosis kidney hypertrophy was not investigated. In current study demonstrated tOOtmetabolic acidosis induced by NH4Cl cause an increased basal insulin receptor (pF: 83,4 ± 20 vs Acidotic:159,3± 88 ), IRS-1 (PF:157,6 ± 31 vs Acidotic:154,2 ± 30) and MAPK kinases (PF: 130,9 ± 31 vs Acidotic:152,8 ± 22 ) phosphorylation levels in kidney. Purther studies are required to investigate which factors, probably paracrine ones, regulate these cytosolic pathways associated with the acidosis-induced renal hypertrophy and the involvementofkidney vicariance on functional response
Subject: Rins
Hipertrofia
Insulina
Acidose
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2001
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Bento_LedaMarciaAraujo_M.pdf16.85 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.