Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309919
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Efeito da ingestão de etanol e sacarose sobre a manipulação renal de sodio e a pressão arterial em ratos
Author: Cruz, Adriana Zapparoli Alves
Advisor: Gontijo, Jose Antonio Rocha, 1956-
Abstract: Resumo: Estudos criteriosos sobre a evolução diária da ingestão de etanol, pressão arterial e a manipulação renal de sódio, não tem sido adequadamente realizados. No presente estudo, após a determinação da dose diária de etanol necessária para produzir intoxicação alcoólica em ratos, avaliamos os efeitos desta administração de álcool etílico e seu controle isocalórico (solução de sacarose), sobre modificações do apetite, o peso corporal diário e a pressão arterial caudal. Após, estimarmos a filtração glomerular e manipulação tubular renal de sódio respectivamente, pelas técnicas do clearance de creatinina e pelo clearance de lítio. Ainda, determinamos estes mesmos parâmetros após a restrição (pair fed) ou suplementação dietética nos animais tratados com etanol. Os animais foram subdivididos em quatro grupos experimentais assim definidos: (1) animais, sob livre acesso de ração, foram tratados com doses isocalóricas de etanol e sacarose; (2) animais tratados com etanol, com acesso ad libitum à ração e animais tratados com sacarose com restrição calórica; (3) animais tratados com etanol recebendo suplementação calórica-eletrolítica dietética e animais recebendo solução de sacarose. Estimamos os níveis de corticosterona circulante avaliada pela técnica de radioimunoensaio. A confirmação da intoxicação alcoólica foi realizada pela determinação dos níveis plasmáticos de etanol pela técnica atenuação de energia radiativa. Para análise dos resultados, utilizou-se a Análise de Variância uma via e Teste t-Student quando adequados, estabelecendo como níveis de significância aceitável de 5% (p ±0,05). Estabeleceu-se que a concentração sérica etanol 10% seria aquela necessária para a indução de intoxicação alcoólica crônica. Os animais tratados com solução de etanol 10% e com acesso livre a ração apresentaram uma diminuição significativa das massas corporais e renais, uma redução evidente da ingestão diária de ração e uma elevação transitória nos níveis pressóricos acompanhados por elevação persistente nas concentrações plasmáticas de corticosterona. Quando administrada uma suplementação calórica aos animais tratados com etanol 10%, não ocorre alteração na perda de massa corporal e também nos níveis pressóricos. Os animais tratados com soluções de etanol a 2,5%, 5% e 10% (curva doseresposta), não apresentam alterações significativas do fluxo urinário por minuto e também na excreção urinária de sódio e potássio, quando avaliada na urina coletada semanalmente durante 15 horas. Os animais tratados com sacarose 2,5% e 5% não apresentam alterações significativas na manipulação renal de sódio ou potássio e do fluxo urinário. A administração de solução de etanol 10%, promove uma queda transitória no sétimo dia da excreção renal de sódio em decorrência de uma rejeição pós-proximal deste íon seguida por uma reabsorção de potássio sem m odificações significativas na filtração glomerular. Em animais tratados com sacarose 10% submetidos à restrição calórica, ocorre um aumento na filtração glomerular e na reabsorção de sódio e diminuição de potássio nos segmentos pós-proximais do néfron. O efeito da sacarose parece potencializar os aumentos nos níveis pressóricos associada a modificações tubulares em dietas com níveis normais principalmente de sódio em ratos

Abstract: There is a surprising Iack of experimental data on the mechanisms of ethanol-induced disturbances in blood pressure and renal sodium handling. Current evidences suggests that effects of ethyl alcohol on kidney function partly depend on influencing plasma concentrations of ethanol and corticosterone. The present study was undertaken to investigate the effects of two-weeks ethanol (3.25, 6.5 and 13 g ethanol/kg/day) intake on tubule sodium handling and arterial blood pressure of unanesthetized, unrestrained rats and their non-alcohol-treated controls. To evaluate the ethanol effect on blood pressure and renal function, we compared three distinct groups of (n=10 each) of Wistar-Hannover (weighting between 180-250 g) rats 1) sucrose-treated, 2) ethanol-treated and 3) pair-fed rats. Separate groups of rats were housed individua11yin standard stainless-steel cages in temperature and humidity controlled room with a 12-h light-dark cycle.The experiments consisted of one control week followed by two weeks of oral administration of 2.5 5.0 and 10 % ethyl alcohol or at same concentration of sucrose solutions twice a day by gavage. Arterial pressure was estimated electrosphygmomanometry and renal function tests were performed in individual metabolic cages 7 and 14 days after the beginning of ethyl alcohol or sucrose administration by creatinine and lithium clearances. The basal blood pressure was not significantly different among the three groups (124.1± 0.5 mmHg). At first week, arterial pressure was significantly increased in ethanol and sucrose-treated rats compared with the pair-fed group reaching respectively, in ethanol- treated: 135.6±10.5 mmHg and sucrose-treated: 146.4± 4.2 mmHg by day 3 compared to 118.6 ±2.4 mmHg in pair-fed rats (p<0.05) (Fig. 1). The arterial pressure did not change significantlyin the all groups during the second week of the study. The data from the renal function studies in the three experimental groups are shown in Figure 2. The urinary flow rates did not differ significantly among the groups throughout of renal tubule sodium handling. The glomerular filtration rate estimated by creatinine clearance (CCr), increase significantly from255.9 ±18.8 µ /min/l00 g b.w. to 320.8± 50.3 µ /min/l00 g b.w. and to 317 ± 26.3 µ/min/l00g b.w. in food-restricted (pair-fed) by the first and second week, respectively, compared to the basal level and ethanol and sucrose-treated groups (p<0.01). Nevertheless, no significant changes m creatinine clearance were observed in the ethanol-treated and sucrose groups compared to the basal estimated glomerular filtration rate. The basal renal fractional sodium and potassium excretion did not differ among the experimental groups. Ethanol and sucrose oral administration cause a sustained and significant decrease in fractional renal sodium (PENa) excretion by the 7th day post treatment, returning near to basal values until the 14thday just in ethanol-treated animaIs. The decreased fractional urinary sodium excretion was accompanied by a significant fall in post-proximal sodium excretion by the 7th day in all groups remaining above the basal values until the 14th day post-treatment. In contrast to sucrose-treated rats data, there was no change in fractional urinary sodium excretion by the 14th day after ethyl alcohol oral administration, although by this time the proximal tubular sodium reabsorption was strikingly depressed which in both groups coinciding with an increased lithium clearance. The FEPNa+remaining unaltered in pair-fed animaIs by the 14th day compared to basal values. In conc1usion, the observations ftom the current study suggest that chronic ethanol consumption not only increases plasma corticosterone levels in a dose-dependent fashion, but also affects transiently blood pressure and renal function. This study highlights the necessity for further investigations on possible mechanisms involved in functional ethanol-kidney interaction
Subject: Pressão arterial
Álcool
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2001
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Cruz_AdrianaZapparoliAlves_M.pdf16.06 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.