Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309876
Type: TESE
Title: Valor da quimioterapia pre-operatoria no tratamento do tumor de Wills
Author: Oliveira Filho, Antonio Gonçalves de, 1961-
Advisor: Bustorff-Silva, Joaquim Murray, 1957-
Silva, Joaquim Murray Bustorff, 1957-
Abstract: Resumo: A nefrectomia sempre foi o primeiro procedimento terapêutico no tratamento dos tumores de Wilms (TW), porém devido ao sucesso da radioterapia e quimioterapia em reduzir o tamanho de tumores inoperáveis, em 1971 a Société Intemationale d'Oncologie Pediatrique (SIOP) iniciou um protocolo que procurava avaliar o papel do tratamento pré-operatório em todas as crianças com esta doença. Com o objetivo de analisar o uso da quimioterapia pré-operatória (QTPO) no tratamento do TW, foi realizado estudo retrospectivo que incluiu 91 crianças no período de janeiro de 1990 a dezembro de 2000 tratadas no Centro Infantil de Investigações Hematológicas Dr. Domingos A. Boldrini, em Campinas, São Paulo. Quarenta e três pacientes (47,2 %) receberam QTPO, sendo que 33 foram considerados irressecáveis ao diagnóstico. Trinta e quatro crianças (79,1 %) apresentaram redução de 50 % ou mais do volume tumoral inicial. Dezesseis crianças apresentaram complicações intra-operatórias (17,6%), sendo que menor número ocorreu entre as crianças que receberam QTPO (p=0,0495). A ruptura tumoral ocorreu em 13 casos (14,3 %). Foi visto que um número significativamente menor de rupturas ocorreu nas crianças que receberam a QTPO (p=0,013). A ruptura tumoral apresentou associação significativa com a ocorrência de recidivas, principalmente as abdominais (p = 0,0174), sendo que a presença de recidiva alterou negativamente a sobrevida (p = 0,0001). Entretanto, foi verificado que a utilização da QTPO não diminuiu a ocorrência de recidiva. A principal complicação pós-operatória foi a obstrução intestinal, porém não foi encontrada qualquer relação com o uso de QTPO e sua ocorrência. Um menor número de crianças classificadas como estádio III e que receberam QTPO foram submetidas à radioterapia sendo que isto não teve influência negativa na sobrevida. A sobrevida global em 5 anos para todos os pacientes foi de 81,6 %. Comparando-se crianças com estádios I e II e crianças com estádios III e IV que receberam ou não QTPO, verificou-se sobrevida semelhante entre as que receberam o tratamento pré-operatório e aquelas com estádios I e II. Nenhuma criança apresentou complicações graves (toxicidades graus 3 ou 4) advindas do tratamento pré-operatório. Pela análise dos dados concluiu-se que neste estudo, a QTPO foi eficaz e segura em reduzir o tamanho dos tumores de Wilms irressecáveis ao diagnóstico e diminuir o número de complicações intra-operatórias

Abstract: Nefrectomy was always the first therapeutic approach to treat Wilms' tumor (WT). However, due to the success of chemotherapy and radiotherapy in shrinking unresectable tumors, in 1971, the Societe Internationale du Oncologie Pediatrique (SIOP) started a new protocol to evaluate the role of pre-operative treatments in children with WT. From January 1990 through December 2000, a retrospective study was done at Boldrini Children's Cancer Center in Campinas, SP, to evaluate the role of preoperative chemotherapy (POCT) in the treatment of WT. Among 91 children with WT registered in that period, 43 of them (47,2 %) have received POCT. The main indication was due to unresectable tumor at diagnosis (33 cases). Thirty-four patients (79,1 %) have showed more than 50 % reduction from the initial tumor volume. Sixteen children have had intra-operative complications (17,6 %), 12 of them in the group with no POCT (p = 0,0495). Rupture of the tumor during surgery has occurred in 13 patients (14,3 %), with a less significant number of occurrences in the POCT group (p = 0,013). Tumor rupture has showed association with abdominal recurrence (p = 0,0174). The relapse had a negative impact on survival (p = 0,0001). The main pos-operative complication was small bowel obstruction. There was no association between use of POCT and post-operative complications. Fewer children with stage III disease, who underwent POCT, have received radiotherapy, although no influence on survival was observed. Survival rate after 5 years was 81,6 %. Analysis of survival curves comparing children with stages I and II and children with stages III and IV who have received or not POCT, have showed lower survival rates in those who haven't received POCT (p = 0,0024). No major complications (grade 3 or 4 toxicities) were observed during the pre-operative treatment. We conclude that the POCT is a safe method to treat unresectable tumors at diagnosis, allowing a good shrinkage of the tumor burden and diminishing intra-operative complications
Subject: Nefroblastoma
Radioterapia
Cirurgia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2003
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
OliveiraFilho_AntonioGoncalvesde_D.pdf13.39 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.