Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309818
Type: TESE
Title: Atividade antiulcerogenica do extrato bruto hidroalcoolico e da cumarina isolada da Mikania laevigata Schultz. Bip.
Author: Bighetti, Aparecida Erica
Advisor: Carvalho, João Ernesto, 1954-
Carvalho, João Ernesto de
Abstract: Resumo: As plantas do gênero Mikania, distribuem-se pelas regiões tropicais da África, Ásia e América do Sul (Argentina, Paraguai e Uruguai). No Brasil, ocorrem principalmente nas regiões sul e sudeste. São conhecidas popularmente como guaco e desenvolvem-se como trepadeira arbustiva, lenhosa, apresentando caule cilíndrico e ramoso. As folhas do gênero Mikania são muito utilizadas pela medicina popular como antiasmáticas, antireumáticas, cicatrizantes e antiofídicas. Os objetivos deste trabalho foram avaliar a atividade antiulcerogênica do extrato bruto hidroalcoólico a 70% e da cumarina isolada da Mikania laevigata Shultz Bip., e sugerir um possível mecanismo de ação. Para a obtenção do extrato bruto (EB), foram utilizadas as folhas da espécie acima. O EB apresentou atividade antiulcerogênica em modelo de úlcera induzida por indometacina. Os mecanismos de ação antiulcerogênicos envolvem os fatores que promovem a citoproteção, aumentando a resistência da mucosa contra agentes agressores ou ainda, limitando o acesso destes agentes à ela e envolvem fatores que controlam a secreção ácida gástrica. O EB em modelo de úlcera induzida por etanol, por via oral e subcutânea, apresentou atividade antiulcerogênica. Estes resultados sugerem um efeito específico e sistêmico para o EB de Mikania laevigata Shultz Bip. Alguns mecanismos citoprotetores foram avaliados. Entre eles, a participação do óxido nítrico, substância endógena que aumenta a resistência da mucosa por promover a vasodilatação, aumentando o fluxo sanguíneo local. Em modelo de úlcera induzida por etanol em ratos tratados previamente com L-name, inibidor da NO sintase, o EB manteve sua atividade antiulcerogênica, sugerindo que esta atividade não está relacionada com o óxido nítrico. Outra hipótese seria a interferência dos grupos sulfidrila não proteicos da mueosa. Estas substâncias, provavelmente promovem uma diminuição do aumento da permeabilidade vascular ou ainda impedem a ação de radicais livres sobre a mucosa. Para isto, foi utilizado o modelo de úlcera induzida por etanol em ratos tratados previamente com N-etilmaleimida, um composto alquilante dos grupos sulfidríla. O EB de Mikania laevigata Shultz Bip., por via oral, manteve sua atividade, sugerindo que este grupo de substâncias não está envolvido no mecanismo antiulcerogênico apresentado. Um outro grupo de substâncias endógenas importantes no processo de citoproteção são as prostaglandinas, que aumentam a secreção de muco e bicarbonato. Em modelo de úlcera induzido por etanol, com administração prévia de indometacina, um antiinflamatório não esteroidal, que inibe a ciclooxigenase, enzima envolvida na síntese de prostaglandinas, o EB manteve sua atividade antiulcerogênica, sugerindo que essas substâncias parecem não participar da atividade apresentada pelo EB de Mikania laevigata Shultz Bip. A partir de então, buscou-se avaliar a atividade antisecretória do EB, através do modelo de ligadura do piloro. O tratamento intraduodenal com EB alterou de forma significativa o volume e a concentração hidrogeniônica do conteúdo gástrico nos grupos de animais tratados. Este resultado sugeriu uma atividade antisecretória por parte do EB de Mikania laevigata Shultz Bip. Nestas condições, buscou-se avaliar a influência do EB sobre a atividade dos secretagogos envolvidos na secreção ácida gástrica. Em modelo de ligadura do piloro em ratos tratados com histamina, um mediador da secreção ácida gástrica, o EB não reduziu de forma significativa a concentração hidrogeniônica do conteúdo gástrico, sugerindo a não participação desta via no mecanismo antisecretório. Para avaliar a participação da gastrina, em modelo de ligadura do piloro, foi administrado pentagastrina, a parte funcional a molécula da gastrina. Neste modelo o EB também não reduziu de forma significativa a concentração hidrogeniônica do conteúdo gástrico, sugerindo a não participação desta via. Por último foi administrado betanecol, um potente agonista colinérgico e o EB de Mikania laevigata Shultz Bip. reduziu de forma significativa o volume e a concentração hidrogeniônica do conteúdo gástrico. A cumarina isolada a partir do EB de Mikania laevigata Shultz Bip., em modelo de úlcera induzida por indometacina, apresentou atividade antiulcerogênica. Estes resultados sugerem que o EB de Mikania laevigata Shultz Bip. Apresenta atividade antiulcerogênica por mecanismo antisecretório, provavelmente por via anticolinérgica e que a cumarina isolada a partir do EB parece participar desta atividade

Abstract: Plants trom the Mikania genera are distributed throughout tropical regions of Africa, Asia and South America (Argentina, Paraguay and Uruguay).ln Brazil they are mainly found in the south and southeast ~egions. They are popularly known as guaco and develop as woody shrubs with cylindrical and branchy stems. The leaves are used in folk medicine as healing agent, antiespasmodic, antireumatic, antivenim. The objective of this work was to evaluate the antiulcerogenic activity of crude 70% hydroalcoholic extracts and cumarines isolated from Mikanea laevigata Schults Bip., and suggest a possible pharmacological mechanism. The crude extracts were obtained trom the species mentioned above. The crude extract demonstrated antiulcerogenic activ.ity in indometacine induced ulcer model. In ethanol induced model the when administrated orally or subcutaneously presented antiulcerogenic activity. These results suggest that a specific and systematic effect are caused by Mikania laevigata Shultz Bip. Some cytoprotective mechanisms were evaluate. Among them, the participation of nitric oxide, an endogenous substance that promoted vasodilatation , increasing the local blood flow. In ethanol induced ulcer model previously treated with L-name, an NO synthase inhibitor, . the crude ethanol extract maintained the antiulcerogenic activity suggesting that the activity isn't related to the nitric oxide. Another hypothesis is the interference of mucus non protein sulfydril groups. These substances probably promot~ a decrease of the vascular permeability increase or inhibit free radical action on the mucus. To check this out, ethanol induce ulcer model in rats was employed in animais previously treated with N-ethylimide, an alkylating compound of sulfydril groups. Oral administration of the Mikania laevigata, crude extract maintained the activity suggesting that this group isn't involved in the pharmacological activity in questiono. Another important group of endogenous substances in cytoprotection are. The prostaglandin, that increase mucus and bicarbonate secretion. In ethanol induced ulcer model with previous indometacine treatment, an non steroid anti-inflammatory that inhibits the enzyme responsible for prostaglandin nthesis, the crude extract maintained the antiulcerogenic activity. So seems that this group of substances are not involved in the activity caused by Mikania laevigata Shultz Bip. From this point the antisecretory activity of the crude extract was evaluated employing pyloric ligation mode!. Intraduodenal treafment with the crude extract significantly modified the volume and hidrogen concentration of the treated animais. This suggests that Mikania laevigata Shultz Bip., has antisecretory activity. Under these conditions the influence of the crude extracts on secretagoge activity involved in gastric acid secretion was evaluated. On pyloric ligature model in rats treated with histamine, a gastric acid secretion mediator, the crude ethanol extract didn't significantly reduce the gastric contents of hydrogen concentration , suggesting that this pathway hasn'tany participation in the antisecretory mechanism Pentagastrine administration, the functional part of gastrine molecule was used on pyloric ligation model to evaluate gastrine participation. With this model the crude extract also didn't significantl'y reduce the hydrogen concentration of gastric contents, suggesting no gastrin participation. Lastly the influence of bethanechol , a potent colinergic agonist on secretions had its activity significantly reduced by the crude extract the of M laevigata. Both volume and hydrogen concentration produced by bethanechol were reduced. The coumarine isolated from M Lavigata on indometacine induced ulcer model presented antiulcerogenic activity. These results suggest that M laevigata cru de ethanol extract present antiulcerogenic activity by an antisecretory mechanism, probably by an anticolinergic pathway and the isolated coumarine also seems to participate in this activity
Subject: Plantas medicinais
Ulcera peptica
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1999
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Bighetti_AparecidaErica_M.pdf1.88 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.