Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309809
Type: TESE
Title: Osteotomia valgizante da tibia proximal com e sem enxerto osseo autologo = estudo clinico prospectivo
Title Alternative: Opening-wedge high tibial osteotomy with and without bone graft : a prospective randomized clinical trial
Author: Zorzi, Alessandro Rozim
Advisor: Miranda, João Batista de, 1949-
Abstract: Resumo: Introdução: A técnica de abertura de cunha medial apresenta vantagens em relação às outras de osteotomia valgizante da tíbia, o que a tem tornado muito popular. Sua desvantagem é a criação de uma falha óssea na tíbia proximal, o que poderia possibilitar perda de correção ou retardo de consolidação. O uso de enxerto ósseo autólogo da crista ilíaca tem sido preconizado para diminuir o risco destas complicações. Entretanto, nenhum estudo clínico comparou a evolução clínica entre pacientes com e sem o uso do enxerto ósseo. Hipótese: Não há necessidade de enxerto ósseo na osteotomia de abertura medial, fixada com placa-calço igual ou menor que 12,5 mm. Desenho do estudo: Estudo clínico controlado, duplo-cego, randomizado. Métodos: Foram realizadas 46 osteotomias entre Abril de 2007 e Novembro de 2008. As osteotomias foram divididas aleatoriamente por um programa de computador em dois grupos de 23 joelhos cada. No grupo A, foi usado enxerto autólogo da crista ilíaca para preencher o espaço. No grupo B, o espaço foi deixado sem preenchimento. O enxerto foi coletado nos dois grupos, para garantir o mascaramento tanto dos pacientes quanto dos avaliadores. Avaliações clínicas foram realizadas a cada duas semanas até que sinais clínicos de consolidação estivessem presentes. Resultados: As varáveis demográficas foram similares nos dois grupos. A média de tempo para consolidação no grupo A foi de 12,4 semanas (IC 11,2 - 13,6), e no grupo B foi de 13,7 semanas (IC 12,5-14,9), sem diferença estatística (p=0,130). Perda de correção ocorreu em um paciente no grupo A (4,35%) e em dois pacientes no grupo B (8,7%). Conclusão: Nesta amostra, o tempo de consolidação das osteotomias foi similar nos grupos com e sem enxerto ósseo

Abstract: Background: Medial opening-wedge has gained popularity among other techniques of high tibial osteotomy with many advantages. The disadvantage of this method is the creation of a gap, with the possibility of collapse or delayed bone healing, and the need to harvest iliac crest bone graft. The filling of the gap is recommended, but no reports have compared grafted and ungrafted osteotomies. Hypothesis: There is no need for graft to achieve bone union in medial opening-wedge high tibial osteotomy when 12,5 mm or less spacer plate is used. Study design: Double-blinded randomized controlled clinical trial. Methods: Forty-six opening-wedge high tibial osteotomies were carried out. They were randomly divided by software in two groups of 23 knees: group A filled with autologous bone graft and group B unfilled. Bone graft was taken in all cases to ensure blindness of patients and investigators. Clinical evaluations were performed each two weeks until signs of bone union were achieved. Results: Demographic variables were similar in both groups. Mean time to bone union in group A was 12.4 weeks (CI 11.2-13.6) and in group B was 13.7 weeks (CI 12.5-14.9), without significant difference (p=0.130). Signals of loosening of screws occurred in one patient (4,35%) in group A, against two patients (8,7%) in group B. Conclusion: In this series both groups achieved bone union in similar times
Subject: Osteoartrite
Joelho
Osteotomia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Zorzi_AlessandroRozim_M.pdf2.26 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.