Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309794
Type: TESE
Title: Condições maternas interferentes nas concentrações plasmaticas da gonadotrofina corionica e lactogenio placentario no primeiro trimestre de gravidez
Author: Sollero, Celina de Paula Azevedo
Advisor: Jorge, Jesse de Paula Neves, 1938-
Abstract: Resumo: Partindo de estudos epidemiológicos que demonstraram haver associações entre baixo peso ao nascer, hipertrofia placentária e hipertensão arterial na vida adulta, nós estudamos um grupo de mulheres no primeiro trimestre da gestação, para verificar se existem indícios de interferências entre as condições maternas e a função placentária. Analisamos as relações entre o hormônio gonadotrófico coriônico e o hormônio lactogênio placentário e idade materna, paridade, índice de massa corpórea, pressão arterial, hemoglobina materna, hematócrito, volume corpuscular médio, contagem de glóbulos vermelhos, ferro, ferritina, capacidade total de ligação do ferro, 2,3-difosfoglicerato, carbóxihemoglobina, pressão parcial do oxigênio para a hemoglobina saturada em 50%, pressão parcial do hidrogênio, pressão parcial do oxigênio, pressão parcial do dióxido de carbono e saturação do oxigênio. Encontramos diferenças significativas entre fumantes e não fumantes com relação ao hormônio gonadotrófico coriônico, hematócrito, volume corpuscular médio, ferro e carbóxihemoglobina. Encontramos ainda correlações entre o hormônio gonadotrófico coriônico, e o índice de massa corpórea, a hemoglobina, o hematócrito e a carbóxihemoglobina, para o grupo total de gestantes. Entre as não fumantes o hormônio gonadotrófico coriônico se correlacionou negativamente com a pressão sistólica. O hormônio lactogênio placentário se correlacionou com a pressão sistólica. Entre as não fumantes o hormônio lactogênio placentário se correlacionou com a pressão parcial do oxigênio e a saturação do oxigênio. Concluímos que as condições maternas tem interferência na concentração plasmática dos hormônios placentários já no primeiro trimestre da gestação.

Abstract: Several studies have shown a relationship between low birth weight, large placental size and high blood pressure in adult life. Large placentas, were reported to be associated with maternal anaemia at the time of delivery. We studied a group of pregnant women during the first trimester of gestation, with the aim of investigating the influences of the maternal environment into the levels of placental hormones in maternal blood at this stage of pregnancy. We studied maternal blood levels of hCG and hPL and its relations to maternal age, parity, gestation age, maternal high and weight, Body Mass Index, blood pressure, Hb, Ht, MCV, RBCC, iron, ferritin, TIBC, 2,3-DPG, carboxi Hb, P50, PH, PC02, P02, 02sat and smoking habits. We found significant differences between smokers and non smokers in relation to hCG, Ht, MCV, Iron and carboxi Hb. We also found a relationship between hCG, and maternal weight, BMI, Hb, Ht, and carboxi Hb. Among the non smokers there was a significant negative correlation between the sistolic blood pressure and the levels of hCG. In hPL, there were significant correlation with maternal weight, BMI, and systolic blood pressure. Among the non smokers hPL correlated positively with P02 and 02sat. We concluded that maternal environment has influence in maternal blood levels of hCG and hPL in the early stages of pregnancy
Subject: Placenta
Hemoglobinas
Pressão arterial
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1996
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Sollero_CelinadePaulaAzevedo_D.pdf3.86 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.