Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309422
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: A saude e o dilema da intersetorialidade
Author: Andrade, Luiz Odorico Monteiro de
Advisor: Campos, Gastão Wagner de Sousa, 1952-
Abstract: Resumo: No presente estudo abordou-se a Saúde e o Dilema da Intersetorialidade. A saúde como uma política intersetorial vem sendo um debate ao longo dos últimos cento e cinqüenta anos na sociedade ocidental. A Constituição Brasileira de 1988 reafirmou este conceito. Para analisar a aplicação de políticas públicas intersetoriais desenvolvidas nos municípios de Fortaleza no Ceará, e Curitiba no Paraná, o autor lançou mão do Postulado de Coerência (TESTA, 1992). O PC considera os conceitos de determinantes ("forças" positivas) e condicionantes ("forças" negativas) na aplicação de políticas e as relações destas com a história e organização, papel e propósitos de governo, e teoria e método. No presente estudo utilizou-se como ferramentas metodológicas análises documentais, entrevistas, grupos focais e o Discurso do Sujeito Coletivo. O estudo abrangeu o período de 1997 a 2001. As duas experiências, quando examinadas à luz do PC, revelaram, de um lado, similitudes e, de outro lado, diferenças determinadas pelas singularidades de sua história e organização, bem como a teoria e o método utilizados na implantação das reformas. Em Fortaleza, a intersetorialidade não se materializou por ter a organização condicionado duplamente o método e o propósito. O método, por sua vez, condicionou o propósito. O condicionamento da organização sobre o método e o propósito também foi observado em Curitiba, onde o propósito apareceu, em relação à intersetorialidade, com menos evidência do que em Fortaleza. Por outro lado, em Curitiba tanto a teoria como o método evidenciaram-se mais fortes. Em Fortaleza a teoria e o método foram importados; em Curitiba são frutos dos acúmulos de instituições como o IPPUC e o IMAP. As duas experiências estudadas evidenciam uma inquietação no interior do Estado sobre como trabalhar com a intersetorialidade. Observou-se que em relação a ela há um consenso discursivo e um dissenso prático. Esse dissenso nasce da contradição entre a necessidade de integração de práticas e saberes requeridos pela complexidade da realidade e um aparato de Estado setorializado, onde se acumulam, com maior ou menor conflito, poderes disciplinares que estruturaram hegemonicamente sua organização. Esta organização condicionou os avanços na intersetorialidade das reformas estudadas

Abstract: In this current study the Health and the Dilemma of Intersectoriality was tackled. Health as an intersectorial policy has been a debate during the last one hundred and fifty years in westem society. The 1988 Brazilian Constitution reaffinned this concept. In order to analyze the application of intersectorial public policies developed in the municipalities of Fortaleza in Ceará and Curitiba in Paraná, the author makes use of the Coherence Postulate (TESTA, 1992). The CP considers the concepts of determinants (positive "forces") and regulators (negative "forces") in the application of policies and the relationships of these with history, the organization, the role and purposes of govemment, and theory and method. In this current study, documentary analyses, interviews, focus groups and Collective Subject Discourse were used as methodological tools. The study covered the 1997 to 2001 period. The two experiences, when examined in the light ofthe CP, revealed, on one hand, similarities and, on the other hand, differences determined by the singularities of their history and organization, as well as the theory and methods used in reform implantation. In Fortaleza, intersectoriality did not materialize, by the fact that the organization regulated twofold, the method and the purpose. The method in tum regulated the purpose. Regulation of the organization on the method and purpose was also observed in Curitiba. In Curitiba the purpose appeared, in relation to intersectoriality, less evident than in Fortaleza. On the other hand, in Curitiba as much the theory as the method was shown to be stronger. In Fortaleza the theory and method were imported; in Curitiba they are the fruit of concentrations of municipal institutions such as IPPUC and IMAP. The two experiences studied show uneasiness in the State's interior on how to work with intersectoriality. It was observed that in relation to this there is a discursive consensus and a practical dissension. This dissension comes ITomthe contradiction between the need for integration of practices and knowledge required by the complexity of reality and a sectorialized State apparatus, where there is an accumulation, with major or minor conflict, of disciplinary powers that hegemonically structured its organization. This organization regulated advances in the intersectoriality of the studied reforms
Subject: Sistema Único de Saúde (Brasil)
Promoção de saúde
Planejamento estratégico
Políticas públicas
Administração pública
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: ANDRADE, Luiz Odorico Monteiro de. A saude e o dilema da intersetorialidade. 2004. 365 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/309422>. Acesso em: 5 ago. 2018.
Date Issue: 2004
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Andrade_LuizOdoricoMonteirode_D.pdf21.77 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.