Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309412
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Dor cronica em mulheres : uma reflexão sobre a clinica
Title Alternative: Chronic pain among women : a clinical reflection
Author: Bedrikow, Rubens, 1962-
Advisor: Campos, Gastão Wagner de Sousa, 1952-
Abstract: Resumo: A partir de 2001, no bojo da reorganização do modelo de atenção à saúde no município de Campinas, surge a proposta de ampliação da clínica, valorizando o sujeito e o contexto, além da doença. Este estudo propôs-se a fazer uma reflexão sobre a clínica praticada em mulheres com dor osteomuscular crônica decorrente de tendinite, lesão por esforço repetitivo, lombalgia e fibromialgia, a partir da atividade do pesquisador como médico em uma unidade básica de saúde. O objetivo foi conhecer o significado da dor para essas mulheres e discutir como esse conhecimento poderia contribuir com a ampliação da clínica. O referencial teórico abarcou questões como a inserção da mulher na sociedade e no trabalho, o Programa de Saúde da Família, o significado da dor e os tipos de clínica. A metodologia incluiu a aplicação de questionário, realização de entrevistas e estudo de prontuários. A maioria das pacientes estudadas exerce atividades ocupacionais que exigem esforço físico diário ou movimentos repetitivos. Esse é o caso das faxineiras, domésticas, costureira, servente, auxiliar de cozinha, salgadeira e atendente de cafeteria, ocupações tipicamente femininas, pois são consideradas como extensão das atribuições do lar. Responsabilizam-se ainda pelos afazeres domésticos e contribuem ou garantem a renda familiar. Desvantagens determinadas pela cultura de gênero, em particular na divisão de responsabilidades entre homens e mulheres no cuidado dos filhos e do lar e na inserção no mercado de trabalho, parecem contribuir com o aparecimento ou manifestação da dor. Não obstante haverem atribuído a dor às tarefas profissionais e domésticas, têm a percepção de que a dor significa mais que um simples problema físico, guardando também relação com questões sentimentais e com suas histórias de vida. Os sentimentos revelados foram tristeza, solidão, angústia, desespero, nervosismo, irritação, depressão, desânimo, agitação, mal-humor, fracasso e ansiedade. As entrevistas abertas captaram ou aprofundaram várias questões geradoras de sofrimento, ligadas à subjetividade de cada paciente, que não haviam sido detectadas pela clínica tradicional. Mostraram também que a dor, muitas vezes, sinaliza sofrimento pessoal, pedido de ajuda ou atenção. Sob a ótica das pacientes, essas questões não biológicas têm grande relevância e precisam ser valorizadas pelos profissionais de saúde. Diante da constatação de que tais questões vieram à tona apenas quando as mulheres encontraram espaço para falar livremente de si, o pesquisador concorda não somente com a mudança na dinâmica tradicional da consulta, mas também, e principalmente, com o acompanhamento do sujeito no seu caminhar na vida, assim como de sua família, conforme preconizado pela Estratégia de Saúde da Família, em particular no modelo proposto por Campos (2003), enfatizando o estabelecimento de vínculo e a adoção da clínica ampliada

Abstract: Since 2001, at the summit of the health attention model rearrangement in the city of Campinas, there has come about a clinical improvement proposal valorizing the subject in her context besides the disease itself. This study suggests a reflection about the clinical practice in women undergoing chronic osteomuscular pain due to tendinitis, RSI (Repetitive Strain Injury), back pain, and fibromyalgia, from the researcher¿s activities as a physician in a public health care unit. The goal was to understand the meaning of pain to these women and to discuss how this knowledge would contribute to clinical improvement and expansion. The theoretical reference encompassed issues such as women insertion in the society and work, the Brazilian government ¿Family Health Program¿, the source of their pain and the types of clinical assessment. The methodology involved the utilization of a questionnaire, interviews, and the analysis of medical charts. Most patients enrolled in the study carry out occupational tasks that require daily physical strain or repetitive movements. This is the case of housekeepers, maids, sewing women, servants, kitchen helpers, appetizer (Brazilian snacks) makers, cafeteria attendants, all typical women occupations since they¿re seen as an extension of household attributions. These women are also in charge of domestic chores and contribute or provide the family income. Disadvantages determined by the local gender culture, in particular the distribution of household responsibilities among men and women as to taking care of home and children and insertion in the working market seem to contribute to the appearance or manifestation of pain. However, although they have attributed the pain to professional and household chores, they have the feeling that pain means more than a simple physical problem, but it is related to sentimental issues and their personal life stories. The feelings disclosed were sadness, loneliness, anguish, despair, nervousness, irritation, depression, hopelessness, agitation, bad mood, failure, and anxiety. The open interviews detected or went deep into several issues that generated suffering which were linked to subjective aspects of each individual patient not noticed in previous traditional clinical appointments. They also demonstrated that pain quite often signalizes personal suffering or a cry for help and attention. Under the patients¿ view, such non-biological issues are in fact relevant and need to be taken into consideration by health professionals. Facing the fact that these issues were only revealed when women felt at ease to talk freely about themselves, the researcher agrees not only with the change in the traditional appointment dynamics, but also, and specially, with the need to follow-up the subject throughout her life, as well as her family, as preconized by the Family Heath Strategy, in particular the model proposed by Campos (2003), emphasizing the establishment of a bond and the adoption of an expanded clinical attention
Subject: Dor
Medicina familiar
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: BEDRIKOW, Rubens. Dor cronica em mulheres: uma reflexão sobre a clinica. 2008. 90 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/309412>. Acesso em: 11 ago. 2018.
Date Issue: 2008
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Bedrikow_Rubens_M.pdf903.79 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.