Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309386
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Frequencia da obesidade e seus fatores determinantes em crianças e adolescentes com sindrome de down atendidas em um centro de referencia
Title Alternative: Frequency of obesity and its determinant facators in children and adolescents with Down syndrome assisted at a Center of Reference
Author: Samur-San Martin, Juan Eduardo, 1967-
Advisor: Hessel, Gabriel, 1960-
Abstract: Resumo: A obesidade é definida como um excesso de gordura corporal em relação à massa magra, sendo uma doença com aumento da prevalência nos últimos anos. O Objetivo desse trabalho foi estudar a frequência da obesidade e os fatores determinantes em crianças e adolescentes com síndrome de Down. Casuística e Métodos: O estudo foi realizado em 47 crianças e adolescentes matriculados no Centro de Educação Especial Síndrome de Down, divididos em 3 sub-grupos, em faixas etárias, para a análise dos resultados: A) de 5 a 10 anos; B) de 11 a 15 anos e C) de 16 a 20 anos de idade. As variáveis estudadas foram: peso, estatura, índice de massa corporal (IMC), dobra cutânea triciptal (DCT), dobra cutânea subescapular (DCSE), circunferência da cintura (CC), bioimpedância (BIA) e prática de atividade física com a interpretação pelo IPAQ versão curta. Para comparação das proporções foi empregado o teste do Qui-quadrado ou teste exato de Fischer. Para correlação entre o IMC e a DCT, DCSE, CC e BIA foi utilizado o coeficiente de correlação de Pearson. O nível de significância adotado foi de 5%. Resultados: A idade das crianças e adolescentes com SD variou de 5 a 20 anos com média de 12,17 anos. Em relação à estatura, observou-se que empregando os valores de referência do Center for Disease Control and Prevention (CDC), 25/47 (51,19%) apresentaram baixa estatura. Contudo, empregando-se uma curva especifica para a síndrome de Down, curvas de Cronk et al., apenas 1/47 (2,12%) apresentou baixa estatura. A freqüência da obesidade por meio dos diferentes indicadores foi: IMC = 36,17%, DCT = 30%, DCSE = 62,50%, CC = 22,85% e BIA = 7,31%. A freqüência de obesidade por meio do IMC não apresentou diferença estatisticamente significativa nas seguintes faixas etárias: 5 a 10 anos, 11 a 15 anos e de 16 a 20 anos. O coeficiente de correlação entre o IMC e os outros métodos de avalição nutricional foi de: 0,67 com a DCT, 0,71 com a DCSE, 0,95 com a CC e 0,55 com o percentual de massa gorda da bioimpedância. Em relação à atividade física observou-se que 4/17 (23,52%) foram classificados como sedentários, 1/17 (5,88%) foram classificados como insuficiente ativo A, 5/17 (29,41%) foram classificados como insuficiente ativo B, 4/17 (23,52%) como ativo e 3/17 (17,64%) como muito ativo. Quando esses resultados foram comparados com o estado nutricional, não foi observada correlação significativa. Nas mães de crianças e adolescentes com síndrome de Down, observou-se sobrepeso em 4/10 e obesidade em 4/10. Conclusões: 1. Há baixa estatura na maioria das crianças e adolescentes se for adotada como referência a curva do CDC. 2. É alta a freqüência de obesidade nas crianças e adolescentes com SD na faixa etária de 5 a 20 anos, variando de 22,85% a 62,50%, de acordo com o método adotado (IMC, DCT, DCSE e CC). 3. Não há diferença da freqüência de obesidade em relação ao gênero nas diferentes faixas-etárias avaliadas. 4. Observou-se correlação entre IMC e os diferentes métodos aplicados para avaliação nutricional (DCT, DCSE, CC e BIA). 5. Não foi observada relação entre obesidade e nível de atividade física em 17 questionários analisados.

Abstract: Obesity is defined as an excess of body fat relative to lean body mass, is a disease with increasing prevalence in recent years. The objective of this work was to study the frequency of obesity and its determinants in children and adolescents with Down syndrome. Methods: The study was conducted in 47 children and adolescents enrolled at the Centro de Educa?o Especial S?drome de Down (Center for Special Education Down Syndrome) divided into 3 sub-groups by age, for the analysis of the results: A) from 5 to 10 years old, B) 11 to 15 years old and C) from 16 to 20 years old. The variables studied were: weight, height, body mass index (BMI), triceps skinfold, subscapular skinfold, waist circumference (WC), bioelectrical impedance analysis (BIA) and physical activity with the interpretation the IPAQ short version. To compare proportions, the chi-square or Fisher exact test were applied. For correlation between BMI and triceps skinfold, subscapular skinfold, WC and BIA used the correlation coefficient of Pearson. The level of significance was 5%. Results: The age of children and adolescents with Down syndrome ranged from 5 to 20 years old with an average of 12.17 years. About height, it was observed that using benchmarks from the Center for Disease Control and Prevention (CDC), 25/47 (51.19%) had short stature. However, using an specific curves for Down syndrome, curves Cronk et al., Only 1 / 47 (2.12%) had short stature. The frequency of obesity through the different indicators were: BMI = 36.17%, triceps skinfold = 30%, subscapular skinfold = 62.50%, WC = 22.85% and BIA = 7.31%. The prevalence of obesity by BMI did not show a statistically significant difference in the ages 5 to 10 years, 11 to 15 years and 16 to 20 years. The correlation coefficient between BMI and other methods of nutritional assessment was: 0.67 with the triceps skinfold, with subscapular skinfold 0.71, 0.95 to WC and 0.55 with percentage of fat mass in elderly women. In relation to physical activity showed that 4 / 17 (23.52%) were classified as sedentary, 1 / 17 (5.88%) were classified as insufficiently active A, 5 / 17 (29.41%) were classified as insufficient asset B, 4 / 17 (23.52%) as active and 3 / 17 (17.64%) as very active. When these results were compared with the nutritional status, there was no significant correlation. In mothers of children and adolescents with Down syndrome, overweight was observed in 4 / 10 and obesity in 4 / 10. Conclusions: 1. There's stature in most children and adolescents if adopted as a reference curve of the CDC. 2. The high frequency of obesity in children and adolescents with DS aged 5 to 20 years, ranging from 22.85% to 62.50%, according to the method adopted (BMI, skinfolds, and WC). 3. There is no difference in the frequency of obesity in relation to gender in different age-groups studied. 4. A correlation between BMI and the various methods used for nutritional assessment (triceps skinfold, subscapular skinfold, waist circumference and BIA). 5. There was no relationship between obesity and physical activity in 17 questionnaires analyzed.
Subject: Down, Síndrome de
Obesidade
Crianças
Adolescentes
Índice de massa corporal
Peso corporal
Atividade física
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Samur-SanMartin_JuanEduardo_M.pdf2.5 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.