Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309360
Type: TESE
Title: Associação entre exposição por longo prazo a baixas doses de agrotoxicos e neurotoxidade cronica humana : revisão sistematica da literatura entre 1996-2006
Title Alternative: Association between long staged exposition to the low doses of pesticides and human chronic neurotoxicity being : systematic review of literature between 1996-2006
Author: Ramos, Marcia Maria Reis Vieira
Advisor: Zambrone, Flavio Ailton Duque, 1953-
Abstract: Resumo: A ocorrência de neurotoxicidade crônica secundária à exposição em longo prazo a níveis baixos de agrotóxicos é ainda controversa. O presente estudo teve por objetivo analisar a relação da exposição ao longo prazo aos agrotóxicos e a ocorrência de efeitos neurotóxicos crônicos. Consiste em uma revisão crítica e sistemática da literatura, de estudos epidemiológicos publicados entre 1996 e 2006, que abordaram a ocorrência de neurotoxicidade crônica em humanos, secundária à exposição a baixas doses de agrotóxicos. A revisão da literatura identificou estudos descritivos de prevalência, estudos de coorte, estudos de caso-controle e ecológicos que investigaram a relação entre neuropatologias crônicas adquiridas e a exposição aos pesticidas. Foram incluídos sessenta e três estudos nesta revisão (quarenta e seis estudos caso-controle, sete estudos seccionais e nove estudos de coorte). Somente um estudo ecológico foi identificado. Vinte e dois dos estudos caso-controle se relacionaram à doença de Parkinson ou parkinsonismo e vinte e quatro abordaram outras alterações neurológicas. Uma grande parte dos estudos documentou exposição humana a uma mistura de agrotóxicos Os organofosforados formam os mais estudados, seguidos dos carbamatos. A grande maioria dos estudos utilizou métodos indiretos para a avaliação da exposição (85%). Poucos estudos levaram em consideração a história de intoxicação aguda prévia. A maioria dos estudos mostrou uma associação positiva entre a exposição aos agrotóxicos e a ocorrência de doenças neurológicas, no entanto muitas destas associações são limitadas, fracas ou não estatisticamente significantes. Diversos efeitos neurológicos eram de detecção subjetiva e de difícil confirmação diagnóstica. Esta revisão constatou que alguns efeitos neurotóxicos crônicos podem estar associados à exposição de longo prazo, aos agrotóxicos, embora nenhuma associação com substâncias específicas pode ser detectada. Muitos dos resultados dos estudos apresentaram uma relação fraca; inconsistente; ou estatisticamente insignificante. Os estudos epidemiológicos que estão por vir devem tentar sanar os vieses encontrados nos estudos desta revisão, em especial devem proceder a uma avaliação da exposição mais cuidadosa. Um programa de pesquisa é necessário para um maior esclarecimento do risco representado por exposição em longo prazo e às baixas doses destas substâncias

Abstract: The occurrence of secondary chronic neurotoxicity to the exposition in long stated period to low levels of pesticideds is still controversial. The present study it had for objective to analyze the relation of the exposition in long stated period to the pesticides and the occurrence of chronic neurotoxic effect. It consists of a critical and systematic review of literature, in epidemiologists studies published between 1996 and 2006, that they had approached the occurrence of chronic neurotoxicity in human beings, secondary to the exposition the low doses of pesticides. The review of literature identified descriptive studies of prevalence, ecological studies, coorte studies and case-control studies that had investigated the relation between acquired chronic neuropathologies and the exposition to pesticides. They had been enclosed sixty and three studies in this revision (forty and six case-control studies, seven sectional studies and nine coorte studies). Only one ecological study it was identified. Twenty and two of the case-control studies had related to the Parkinson illness or parkinsonism and twenty and four had approached other neurologic alterations. A great part of the studies registered exposition human being to a mixture of pesticides. The organophosphates ones forms the most studied, followed of the carbamates. The great majority of the studies used indirect methods for the evaluation of the exposition (85%). Few studies had taken in consideration the history of previous acute poisoning. The majority of the studies showed a positive association between the exposition to the pesticides and the occurrence of neurological illnesses, however many of these associations are limited, weak or not statistically significant. Diverse neurological effect were of subjective detection and with difficult diagnostic confirmation. This review evidenced that some chronic neurotoxic effects can be associate to the long stated period exposition to the pesticides, even so no association with specific substances can be detected. Many of the results of the studies had presented a weak relation, inconsistent, or statistically insignificant. The epidemiologists studies who are for coming must try to cure the bias found in the studies of this revision, in special must proceed to a most careful evaluation of the exposition. A research program is necessary for a bigger clarification of the risk represented for exposition in long stated period and to the low doses of these substances
Subject: Neurotoxicologia
Agentes neurotoxicos
Exposição ocupacional
Agrotóxicos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2007
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Ramos_MarciaMariaReisVieira_M.pdf2.23 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.