Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309277
Type: TESE
Title: Transtornos depressivos em pacientes com epilepsia do lobo temporal mesial, refratários às drogas antiepiléticas
Title Alternative: Depressive disorders in patients with epilepsy mesial temporal lobe, refractory to drugs antiepileptics
Author: Gonçalves, Eleonora Borges
Advisor: Cendes, Fernando, 1962-
Abstract: Resumo: Objetivos: Avaliar os transtornos depressivos em comorbidade com a epilepsia do lobo temporal (ELT), em pacientes com crises refratárias às drogas antiepilépticas (DAEs). Pacientes e métodos: Realizamos um estudo transversal, entrevistando e coletando informações dos prontuários de pacientes que procuraram atendimento no Ambulatório de epilepsia de difícil controle do HC-UNICAMP. A população foi de adultos, com idade igual ou maior de 24 anos, em acompanhamento no HC-UNICAMP, com diagnóstico de ELT refratária, em uso adequado da medicação instituída e ausência de rebaixamento intelectual, demência ou problemas de linguagem. Os pacientes foram submetidos a uma entrevista psiquiátrica semiestruturada, o que conferiu diagnóstico segundo a Classificação Internacional de Doenças (CID-10)-OMS. Aplicamos os seguintes instrumentos: (1) Mini Entrevista Neuropsiquiátrica Internacional (MINI) e (2) Inventário de Depressão de Beck (IDB). Resultados: Foram incluídos 40 pacientes com idade de 24-60 anos, trinta e um dos 40 pacientes (77,5%) apresentaram transtornos depressivos: 14 (45,2 %) com distimia, 11 (35,5%) com transtorno depressivo recorrente e 6 (19,3%) com transtorno bipolar, na ocasião depressivo. Dois (5%) apresentaram transtorno misto de ansiedade e depressão. Os outros 7 pacientes (15%) apresentaram eventuais manifestações de depressão e ansiedade, sem constituírem um diagnóstico de depressão, sendo um deles com transtorno orgânico de ansiedade. Apenas 8 dos 31 pacientes (25,8%) receberam tratamento antidepressivo satisfatório prévio. A duração da epilepsia apresentou uma tendência a ser maior nos pacientes com transtorno depressivo (p=0.10); não houve associação entre depressão e frequência de crises. Conclusões: Este trabalho confirma que o transtorno depressivo é frequente e subdiagnosticado em pacientes com ELTM refratária às DAEs. A duração da epilepsia apresenta uma tendência a ser maior nos pacientes deprimidos. Não houve associação entre depressão e frequência de crises

Abstract: Objectives: To assess depressive disorders in patients with temporal lobe epilepsy (TLE), refractory to antiepileptic drugs (AEDs). Patients and methods: We performed a cross-sectional study, interviewing and collecting information from records of patients who sought treatment at the Epilepsy Clinic of the HC-UNICAMP. The population consisted of adults aged greater than 24 years followed at UNICAMP, diagnosed with refractory TLE, in appropriate use of AEDs and lack of established mental retardation, dementia or language problems. Patients underwent a semi-structured psychiatric interview, which gave diagnosis according to the International Classification of Diseases (CID-10) - WHO. We applied the following instruments: (1) Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI) and (2) the Beck Depression Inventory (BDI). Results: There were 40 patients aged 24-60 years. Thirty-one of these (77.5%) had depressive disorders: 14 (45.2%) with dysthymia, 11 (35.5%) with recurrent depressive disorder and 6 (19.3%) with bipolar disorder who had depression at the time of evaluation. Two (5%) had mixed anxiety disorder and depression. The other 7 patients (15%) showed signs of depression and anxiety, without imposing a diagnosis of depression, one of them with organic anxiety disorder. Only 8 of the 31 patients (25.8%) had received prior satisfactory antidepressant treatment. The duration of epilepsy tended to be higher in patients with depressive disorder (p = 0.10). There was no association between depression and seizure frequency. Conclusions: This study confirms that depressive disorder is common and underdiagnosed in patients with TLE refractory to AEDs. The duration of epilepsy had a tendency to be higher in depressed patients. There was no association between depression and seizure frequency
Subject: Transtorno depressivo
Epilepsias refratárias
Epilepsia do lobo temporal
Epilepsia do lobo temporal mesial
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:FCM - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Goncalves_EleonoraBorges_D.pdf2.22 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.