Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309276
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Memoria lexico-semantica no comprometimento cognitivo leve amnestico e doença de Alzheimer leve : aspectos neuropsicologicos, de neuroimagem estrutural e modelo de organização cerebral
Title Alternative: Lexical semantic memory in amnestic mild cognitive impairment and mild Alzheimer's disease : neuropsychological and neuroimaging aspects and model of cerebral organization
Author: Balthazar, Marcio Luiz Figueredo, 1975-
Advisor: Damasceno, Benito Pereira, 1942-
Abstract: Resumo: A organização cerebral da memória léxico-semântica, assim como suas alterações em pacientes com doença de Alzheimer (DA) leve e Comprometimento Cognitivo Leve amnéstico (CCLa) não são completamente conhecidas. Neste estudo, avaliamos o desempenho de pacientes com DA leve, CCLa e idosos normais em testes léxico-semânticos como o Teste de Nomeação de Boston (TNB), Teste de Similaridades do CAMCOG e Fluência Verbal (FV) para categoria animais, além de outros domínios cognitivos. Aprofundamos o estudo do desempenho dos pacientes no TNB avaliando: 1) se houve benefício com o uso de pistas semânticas e fonêmicas, após erros espontâneos de nomeação e 2) o padrão de erros de nomeação espontâneos (classificados como semânticos, fonológicos, por omissão e por paragnosia visual); e subclassificando os erros semânticos de forma hierárquica (erros superordenados, coordenados e circunlóquios). Avaliamos também os padrões de atrofia cerebral desses pacientes em relação a controles por meio de métodos de neuroimagem estrutural por Ressonância Magnética: volumetria hipocampal e Morfometria Baseada em Voxels (RM-MBV). Ainda, correlacionamos o desempenho dos pacientes no Teste de Aprendizado Auditivo Verbal de Rey (TAAVR) com o volume hipocampal e o padrão de erros espontâneos gerais e semânticos no TNB com a densidade de substância cinzenta em todo o cérebro por RM-MBV. Os pacientes com CCLa tiveram desempenho inferior aos controles no teste de FV para animais, enquanto que os pacientes com DA leve tiveram desempenho inferior ao grupo CCLa e controles em todos os testes léxico-semânticos. Porém, após utilizarem pista fonêmica, os pacientes com DA leve tiveram desempenho em nomeação de figuras proporcionalmente semelhante aos controles e CCLa. Também, os três grupos tiveram padrão de erros espontâneos gerais e semânticos qualitativamente iguais, embora quantitativamente tenha havido maior número de erros no grupo DA leve, seguido por CCLa e controles, respectivamente. Quanto ao exames de neuroimagem estrutural, houve um continuum no volume hipocampal, porém sem diferença estatística significante entre DA leve e CCLa. Houve correlação significativa entre o volume hipocampal e o item de evocação tardia do TAAVR, considerando os três grupos em conjunto; quanto à RM-MBV, os pacientes com DA leve apresentaram mais áreas com maior grau de atrofia de substância cinzenta que CCLa e controles; o grupo CCLa apresentou atrofia principalmente em giros parahipocampais e tálamos, quando comparados aos controles. Em relação à substância branca, o grupo DA leve apresentou atrofia em região periventricular, corpo caloso e em áreas próximas a córtices associativos. Não houve áreas de atrofia de substância branca no grupo CCLa em relação aos controles. Encontramos diversas áreas em que houve correlação significativa entre os erros espontâneos de nomeação e a densidade de substância cinzenta, considerando os três grupos juntos. Notadamente, as regiões temporais mediais e tálamos correlacionaram-se com todos os subtipos de erros; as regiões anteriores dos lobos temporais, principalmente os giros superior e inferior, correlacionaram-se com erros coordenados e circunlóquios; os giros frontais superiores (o esquerdo mais que o direito) correlacionaram-se com erros superordenados, e os inferiores, com erros tipo circunlóquios. Discutimos o possível papel de cada uma dessas áreas nos processos mentais léxicosemânticos e sua contribuição para o entendimento de como esse tipo de memória está organizada no cérebro humano.

Abstract: Cerebral organization of lexical-semantic memory, as well as its disruption in mild Alzheimer's disease (AD) and in amnestic Mild Cognitive Impairment (aMCI) is not fully understood. In this study, we evaluated the performance of mild AD, aMCI and normal aging subjects in lexical-semantic tests: Boston Naming Test (BNT), CAMCOG's Similarities item, Verbal Fluency (VF) for animals' category and others cognitive domains. We detailed their performance on BNT by evaluating: 1) if they needed or were benefited by semantic and phonemic cues and 2) the pattern of general errors (classified as semantic errors, visual paragnosia, phonological errors, and omission errors). The semantic errors were further subcategorized into three subclasses (coordinate, superordinate, and circumlocutory). We also evaluated the pattern of brain atrophy in aMCI and mild AD patients by using structural neuroimaging methods: hippocampal volumetry (HV) and Voxel-based morphometry (VBM). We correlated HV with subjects' performance on Rey Auditory Verbal Learning Test (RAVLT) delayed recall item, and the pattern of spontaneous and semantic errors on BNT with grey matter density, by using VBM. aMCI subjects performed worse than controls on VF for animals' category, while mild AD performed worse than aMCI and controls in all lexical-semantic tests. However, after phonemic cues, mild AD subjects performed similar to aMCI and control subjects. They also had the same qualitative pattern of spontaneous and semantic errors, although quantitatively, AD patients committed the most errors, controls committed the fewest errors, and aMCI subjects showed an intermediate performance. Concerning structural neuroimaging, the three groups also presented a continuum pattern in HV, although there were no statistically differences between aMCI and AD HV. RAVLT delayed recall item was significantly related to HV, considering the three groups together. In relation to VBM analysis, mild AD patients had more areas with more grey matter atrophy than aMCI and control subjects. aMCI showed more atrophy mainly in parahippocampal gyri and thalami, when compared with control subjects. Considering white matter, mild AD group showed atrophy in periventricular regions, corpus callosum and areas adjacent to associative cortices. There was not white matter atrophy in aMCI patients in comparison with controls subjects. We found several areas with significant correlations between spontaneous naming errors on BNT and grey matter density, considering the three groups together. Medial temporal structures and thalami were correlated with all subtypes of errors; anterior temporal regions, mainly superior and inferior temporal gyri, were related with coordinate and circumlocutory errors; superior frontal gyri (left more than right) were related with superordinate errors, while inferior frontal gyri (left more than right) were related to circumlocutory errors. We discussed the possible role of each of these areas in the lexical-semantic mental processes, and their contribution to the understanding of cerebral organization of semantic memory.
Subject: Memória
Alzheimer, Doença de
Imagem por ressônancia magnética
Neuropsicologia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2008
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Balthazar_MarcioLuizFigueredo_D.pdf10.84 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.