Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/30899
Type: Artigo de periódico
Title: Polinização de Cambessedesia hilariana (Kunth) DC. (Melastomataceae): sucesso reprodutivo versus diversidade, comportamento e freqüência de visitas de abelhas
Title Alternative: Pollination of Cambessedesia hilariana (Kunth) DC. (Melastomataceae): reproductive success versus bee diversity, behaviour and frequency of visits
Author: Fracasso, Carla M.
Sazima, Marlies
Abstract: The reproductive phenology, pollination biology and reproductive system of Cambessedesia hilariana were studied in a population occurring on rocky outcrops at Vinhedo, São Paulo State, southeastern Brazil. This species presents a flowering peak between October and December with high daily flower production. Anthesis begins at 7:00 h with slow petal separation, followed by grouping of the reproductive elements in the inferior part of the flower. The only resource is pollen, which is collected by the bees through buzz pollination. The stigma is receptive and the pollen viable for up to 60 hours. Fruit-set under natural conditions (70%) is similar to that from hand crosses (74%), but higher than fruit-set from selfed flowers (12.5%). There was no indication that self incompatibility reactions are present during pollen tube growth. The main pollinators are Bombus morio, Centris sp., Centris cf. nitens, Euglossa cordata and Xylocopa sp. The most frequent visitor is Centris sp. (50.71%), but its visits resulted in lower fruit- and seed-set than those of the other bee species. High fruit- and seed-set in C. hilariana seem to be related to bee diversity, pollinator foraging behaviour at the flowers and ability to carry pollen, frequency throughout the flowering period, as well as to the reproductive system which favours xenogamy.
A fenologia reprodutiva, a biologia da polinização e o sistema de reprodução de Cambessedesia hilariana foram estudados em uma população rupícola em Vinhedo, São Paulo, sudeste do Brasil. Essa espécie apresenta pico de floração entre outubro e dezembro, com alta produção de flores por dia. A antese se inicia por volta das 7:00 h com o afastamento das pétalas, seguida pela disposição em grupo dos elementos reprodutivos na parte inferior da flor. O recurso disponível é o pólen, liberado por vibrações realizadas pelas abelhas. O estigma é receptivo e o pólen é viável, ambos durante cerca de 60 horas. A frutificação em condições naturais (70%) assemelha-se à obtida por meio de polinizações cruzadas manuais (74%) sendo maiores que as porcentagens obtidas em flores autopolinizadas manualmente (12,5%), porém não há indícios de reações de autoincompatibilidade nos tubos polínicos. Os principais polinizadores são Bombus morio, Centris sp., Centris cf. nitens, Euglossa cordata e Xylocopa sp. O visitante mais freqüente é Centris sp. (50,71%), contudo suas visitas resultam nas menores taxas de formação de frutos e sementes quando comparadas às taxas resultantes de visitas das outras espécies de abelhas. Altas taxas de frutificação e formação de sementes em C. hilariana parecem estar relacionadas à diversidade de abelhas, ao comportamento de forrageio, à capacidade de transporte de pólen e à freqüência de visitas ao longo do período de floração, bem como ao sistema reprodutivo que favorece a xenogamia.
Subject: biologia floral
Cambessedesia
comportamento e diversidade
melitofilia
sucesso reprodutivo
Cambessedesia
diversity and behaviour
floral biology
melittophily
reproductive success
Editor: Sociedade Botânica de São Paulo
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S0100-84042004000400018
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-84042004000400018
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042004000400018
Date Issue: 1-Oct-2004
Appears in Collections:Unicamp - Artigos e Outros Documentos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0100-84042004000400018.pdf98.95 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.