Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308949
Type: TESE
Title: Efeito da cafeina na função cardiaca de ratos treinados
Author: Camacho, Rachel Lima
Advisor: Antunes, Edson, 1960-
Abstract: Resumo: Os efeitos do tratamento com cafeína no coração têm sido amplamente estudados. Sabe-se que a cafeína bloqueia os receptores de adenosina, induzindo aumento na pressão arterial e na resposta inotrópica e cronotrópica no tecido cardíaco. Ingerida antes do exercício a cafeína é considerada estimulante e atua aumentando a utilização de gordura durante a prática da atividade física e diminuindo a de carboidrato. Além disso, a cafeína aumenta a concentração de cálcio intracelular na musculatura. No entanto, os efeitos da associação do tratamento com cafeína ao treinamento físico, nas funções cardíacas ainda são pouco estudados. Portanto, o objetivo deste trabalho foi avaliar as respostas cronotrópicas, inotrópicas e o fluxo coronariano de corações isolados de ratos tratados com cafeína e treinados por natação durante 8 semanas. Ratos machos Wistar foram tratados com cafeína (1g/L, diluída na água de beber) e treinados por natação durante 8 semanas, sendo que o treinamento consistiu de 5"sessões semanais com duração de 60 minutos e carga de5% do peso corporal. Ao término do protocolo, os corações foram isolados e as respostas aos agonistas isoproterenol, adenosina e endotelina-l foram analisados. A freqüência cardíaca e a pressão arterial foram avaliadas in vivo, através da canulação da artéria femoral; e ainda, foram coletadas amostras de sangue para avaliação do lactato sangüíneo. O treinamento físico promoveu redução no ganho de peso corporal nos animais, assim como diminuição na concentração de lactato plasmático e na freqüência cardíaca basa!. A cafeína promoveu significativo aumento de pressão arterial basal, que foi prevenido pelo treinamento físico. Nos corações isolados, o tratamento com cafeína associado ao treinamento por natação, resultou em aumento de fluxo coronariano basal. O isoproterenol promoveu aumento da resposta cronotrópica semelhante entre os grupos estudados, enquanto que dessensibilização da resposta inotrópica ao agonista ß adrenérgico foi observada nos animais tratados com cafeína. A adenosina induziu uma resposta cronotrópica negativa mais acentuada nos animais submetidos ao treinamento físico. A resposta inotrópica negativa a endotelina-l foi semelhante em todos os grupos estudados. Assim, nossos resultados mostram a administração de cafeína associada ao treinamento físico intensifica a resposta cronotrópica negativa a adenosina

Abstract: The effect of caffeine on the cardiovascular system has been largely investigated. However, conflictant results have been found, some investigators showed that caffeine increases blood pressure after caffeine increases blood pressure after caffeine treatment. Therefore, the aim of this work was to investigate the effect of caffeine treatment on the cardiac parameters in sedentary and trained rats by swim training program. The swim training program consisted of 5 days a week, 60 min each session for 8 weeks of training. After that, the animaIs were anesthetized and the hearts were isolated for dose-response curves for isoproterenol, adenosine and endothelin-1 were obtained. Plasma lactate leveI, blood pressure and heart rate were also evaluated. Heart rate, body weight and lactate plasma levels were significantly lower in trained group showing that the physical training employed in our study was effective. Caffeine treatment for 8 weeks produced an increase of blood pressure that it was prevent by physical training. In isolated heart, basal coronary flow was markedly increases in trained and caffeine treated group. Caffeine by itself elevates the basal heart rate in both groups (sedentary or trained). Isoproterenol determined a positive chronotropic response similarly in all studied groups while a desensitization of inotropic response were seen for isoproterenol in isolated heart ITomcaffeine/treated group. . The potency for adenosine was significantly higher in both trained groups for the negative chronotropic response. However, adenosine was not able to induce any negative inotropic response in isolated heart from caffeine/ treated animaIs (sedentary and trained) showing that different population of adenosine receptors mediate the inotropic and chronotropic response rat isolated heart. No changes were found for the actions of endothelin-1 in all studied groups. In conclusion, caffeine treatment associated with swim physical training induces a desensitization of inotropic response and supersensitivity of negative chronotropic response to adenosine in swimtraining groups. Consumed before the exercise program, caffeine is considerate a stimulant
Subject: Rato - Exercícios
Cafeína
Coração
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2001
Appears in Collections:FCM - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Camacho_RachelLima_M.pdf15.06 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.