Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308862
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Esvaziamento gastrico de liquidos em ratos submetidos a desidratação por privação de agua
Author: Baracat, Emílio Carlos Elias, 1959-
Advisor: Collares, Edgard Ferro, 1938-
Abstract: Resumo: O objetivo do presente trabalho foi estudar um modelo de desidratação por privação de água e o esvaziamento gástrico de líquidos em ratos desidratados. Foram utilizados ratos Wistar (n=380) para o estudo de um modelo de privação de água (n=80) e para o estudo do esvaziamento gástrico das soluções (n=300). No primeiro grupo, os animais permaneceram em privação de água por períodos de 24 (n=10), 48 (n=10) e 72 horas (n=10), comparados com controles (n=15), com acesso à água. A seguir, no estudo da recuperação da desidratação (n=35), utilizou-se o período de privação por 72 horas, sendo que, no tempo de 67 horas de privação, água foi oferecida por 60 minutos (n=15) e 120 minutos (n=15), enquanto controles (n=5) permaneceram sem acesso à água. Foram determinados perda de peso, hematócrito e densidade plasmática em cada animal. No estudo do esvaziamento gástrico, foram estudadas três refeições de prova, salina (n=30), água (n=30) e solução reidratante da OMS (n=30), nos tempos de privação de 24, 48 e 72 horas. O mesmo número de animais foi utilizado para composição dos grupos- controles. A seguir, utilizando o tempo de privação de 72 horas, determinou-se o esvaziamento gástrico da solução reidratante (n=10) e de água (n=10), com oferta de água por 60 minutos no tempo de 67 horas de privação. O mesmo procedimento foi usado para as soluções reidratante (n=10) e glico-salina (n=10), com oferta de água por 120 minutos. Nos dois estudos foram utilizados o mesmo número de animais-controles, com privação total e sem privação de água. No modelo de desidratação, houve diferença estatisticamente significativa nos três parâmetros estudados (perda de peso, hematócrito e densidade plasmática), entre os animais do grupo de estudo e de controle, quando se utilizaram os tempos de privação de 48 e 72 horas, sendo mais pronunciadas neste último (p<0,05). Na recuperação da desidratação, após privação de água por 67 horas e oferta da mesma por 60 minutos, ocorreu uma diminuição progressiva dos valores de perda de peso, hematócrito e densidade plasmática, avaliados com 72 horas do início do estudo. Houve tendência à normalização quando a oferta de água se deu por 120 minutos. Os valores da retenção gástrica de salina e de água foram inferiores aos da solução reidratante, nos três tempos estudados Não houve diferença nas medidas de retenção gástrica entre os grupos de estudo com privação de água e os controles, exceto para as refeições de prova de água e solução reidratante, no tempo de privação de 72 horas, que mostraram retarde de esvaziamento gástrico (p<0,05). No grupo de animais com oferta parcial de água por 60 minutos, no tempo de privação de 67 horas, observou-se uma recuperação do padrão de esvaziamento gástrico da água em relação ao controle, avaliado com 72 horas do inicio do estudo, mantendo-se o retarde da solução reidratante (p<0,02). No esvaziamento gástrico da solução reidratante e glico-salina, com oferta parcial de água por 120 minutos, no tempo de 67 horas de privação, observou-se uma tendência de retarde das refeições de prova, avaliado 72 horas após o início do estudo (p-0,04). Nos estados de desidratação provocados por privação de água, sem mudança ou com alterações pequenas do conteúdo eletrolítico corporal, a solução reidratante mostrou retarde de esvaziamento gástrico, após reidratação com água. Por outro lado, a água, na situação do animal reidratado, mostrou esvaziamento gástrico semelhante ao grupo- controle. Neste estudo, há indicações de que os mecanismos de controle em que participam receptores na mucosa duodenal, e que interferem na motilidade gástrica, estão alterados na desidratação por privação de água, em ratos

Abstract: The aim of the present report was to study a model of dehydration caused by water deprivation and the gastric emptying of liquids in dehydrated rats. Wistar rats (n=380) were used: 80 for the first study and 300 for the second one. In the first group, animals were prived of water for periods of 24 (n=10), 48 (n=10) and 72 hours (n=10) and compared to the controls (n=15) which received water. Subsequently, in the study of recovery from dehydration (n=15), the period of 72 hours deprivation was used and 67 hours after deprivation, water was supplied for 60 (n=15) and 120 minutes (n=15), and controls (n=5) had no access to water. Weight loss, hematocrit and plasmatic density were the parameters established in each animal. In the study of gastric emptying, three proof meals, saline (n-30), water (n=30) and WHO rehydrating solution (n=30), were studied in the deprivation periods of 24, 48 and 72 hours. Control groups had the same number of animals. Then, in the period of 72 hours deprivation, gastric emptying of rehydrating solution (n=10) and of water (n=10) was determined, and water was offered for 60 minutes after 67 hours deprivation. The same procedure was used for rehydrating (n=10) and gluco-saline (n=10) solutions and water was offered for 120 minutes. The same number of control animals was used in both studies. In the model of dehydration, the three parameters showed a statistically significant difference between the animals from study and control groups at privation periods of 48 and 72 hours and the difference was more evident in the latter (p<0,05). In the recovery of dehydration, after 67 hours of deprivation, water was supplied for 60 minutes and the values of weight loss, hematocrit and plasmatic density decreased progressively when evaluated 72 hours after the beginning of the study. The values tended toward normalization when water was offered for 120 minutes. The values of gastric retention of saline and of water were lower than those of rehydrating solution in the three periods. As for the measurement of gastric retention , there was no difference between the controls and the groups of study, with water deprivation, except for the proof meals of water and rehydrating solution, at the period of 72 hours deprivation, which showed a retard of gastric emptying (p<0,05). In the group of animals with partial supply of water for 60 minutes, at the period of 67 hours deprivation, there was a recovery of the pattern of water gastric emptying concerning the control group, and the retard of the rehydrating solution was maintained (p<0,02). In the gastric emptying of rehydrating and gluco-saline solutions, with partial supply of water for 120 minutes, at the period of 67 hours deprivation, proof meals had a tendency to retard when evaluated 72 hours after the beginning of the study (p=0.04). When dehydration was caused by water deprivation, with no change or with little alterations of body electrolytic content, rehydrating solution showed a retard of gastric emptying, after rehydration with water. However, in the rehydrated animal, water showed a gastric emptying similar to that of the control group. In our study, evidences show that the mechanisms of control, in which receptors of duodenal mucosa take part, and which modify gastric motility, are altered in the dehydration caused by water deprivation
Subject: Gastroenterologia
Hidratação
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: BARACAT, Emílio Carlos Elias. Esvaziamento gastrico de liquidos em ratos submetidos a desidratação por privação de agua. 1995. 107 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/308862>. Acesso em: 20 jul. 2018.
Date Issue: 1995
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Baracat_EmilioCarlosElias_D.pdf5.73 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.